Categorias: Cannabis

Tratamento com Canabidiol: Como funciona, Indicações e Benefícios

O tratamento com canabidiol (CBD) se mostra eficaz no enfrentamento de uma série de doenças e no alívio dos sintomas de muitas outras.

Ele sempre foi uma opção para os brasileiros, mas existiam muitos trâmites para a importação. No entanto, em 2015, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou a Resolução Nº 3, que excluiu o composto químico encontrado em plantas do gênero Cannabis do rol de substâncias entorpecentes.

Desde então, a legislação vem avançando, ainda que timidamente, no sentido de ampliar as possibilidades de uso medicinal do CBD e de disciplinar o mercado.

Neste conteúdo, você descobre como o canabidiol funciona, quais são as indicações, doenças que podem ser tratadas com CBD e muito mais.

Avance na leitura e descubra como recorrer ao tratamento.

Quais são as propriedades mais importantes do canabidiol (CBD)?

Apesar de a liberação do CBD no Brasil ter acontecido somente em 2015, o canabidiol é uma substância já conhecida por suas propriedades medicinais há milhares de anos.

Estima-se que sociedades rudimentares já utilizavam os compostos extraídos das plantas do gênero Cannabis há, pelo menos, 6 mil anos.

Isso porque eles sabiam, ainda que empiricamente, que os canabinoides são potentes analgésicos, anti-inflamatórios, reguladores de apetite, além de possuírem muitas outras propriedades terapêuticas.

Hoje, a ciência sabe que o CBD, pode ajudar até mesmo a tratar de doenças como câncer, AIDS, mal de Parkinson e Alzheimer.

Quais são as principais indicações de uso do canabidiol?

Como veremos ao longo deste conteúdo, o que não faltam são indicações de tratamentos que podem ser feitos à base de canabidiol.

Ele vem sendo amplamente prescrito, por exemplo, para tratar de doenças como epilepsia, inclusive a refratária, além de ser utilizado em casos de autismo e nos cuidados paliativos em pacientes com câncer.

De qualquer forma, como todo canabinoide, o CBD se caracteriza por ser um verdadeiro “coringa” em razão da sua versatilidade, mas sozinho não tem todo o efeito positivo da planta, necessita de outros canabinoides para alcançar o efeito entourage.

A ciência tem feito incríveis descobertas e, ao que tudo indica, muitas outras estão por vir.

Já no próximo tópico, você descobre quais doenças podem ser tratadas com canabidiol.

Quais doenças podem ser tratadas com o canabidiol?

Estudos acadêmicos servem para validar teorias e, no caso da indústria farmacêutica, para comprovar a eficácia das substâncias ativas usadas em medicamentos.

No entanto, o CBD vem tendo sua utilidade comprovada não apenas por pesquisas, como ainda mais pela experiência prática.

Sendo assim, nos tópicos abaixo vamos mostrar de que forma o canabidiol vem comprovando seu poder, seja com relatos de curas incríveis, análises de caso ou estudos.

Antes, confira a lista com as doenças cujo tratamento se beneficia do CBD. Ao clicar nos links, você tem acesso a mais informações, além de histórias de superação e qualidade de vida.

Acne

A ciência tem evidências bastante sólidas para dizer que o canabidiol é um medicamento eficaz para tratar doenças de pele.

Além da psoríase e dermatite, a acne é uma das condições que podem ser tratadas com pomadas à base de CBD, já disponíveis para compra no Brasil.

São necessárias mais pesquisas conclusivas, mas os resultados obtidos até hoje com pacientes reais, alguns em estudos controlados, apontam para um futuro dos mais promissores.

Ansiedade

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o brasileiro é o povo mais ansioso do mundo: 9,3% da população sofre dessa condição que pode, inclusive, incapacitar para o trabalho.

Era o que estava acontecendo com Paulo, um paulistano que encontrou no CBD, se não a cura, um alívio para as crises de ansiedade que o atormentavam. 

Essa melhora não foi por acaso.

Afinal, cientistas brasileiros, liderados pelo Dr. Alexandre Crippa, verificaram em um estudo com pacientes humanos a eficácia do CBD contra a ansiedade.

Alzheimer

Poucas doenças são tão dramáticas em sua progressão quanto o Alzheimer.

A enfermidade faz com que a pessoa acometida perca a memória gradativamente e, nos estágios mais avançados, leva também à perda de funções motoras básicas.

É por isso que, em alguns casos, a recuperação de um paciente com Alzheimer é recebida com muita alegria e, em outros, parece até milagre.

Um deles foi o da dona Therezinha Camargo que, aos 89 anos, conseguiu reverter a doença depois de se ver incapacitada até mesmo para tarefas simples, como ir ao banheiro.

Artrite reumatoide

Em um artigo publicado aqui no Portal Cannabis & Saúde, o reumatologista Thiago Bitar esclareceu pontos importantes sobre uma enfermidade que afeta mais de 2 milhões de brasileiros, a artrite reumatoide.

Segundo o especialista, o maior desafio ao prescrever o CBD no tratamento dessa doença autoimune e que atinge as articulações é a falta de estudos conclusivos.

Em compensação, a prática tem revelado que o canabidiol é eficaz para controle da dor, com boa tolerância e sem contraindicações, de acordo com o médico.

Artrose

O Dr. Bitar expôs, em um outro conteúdo, os benefícios de se utilizar o canabidiol no tratamento da artrose, uma doença óssea que também afeta as articulações.

De acordo com o médico, para essa condição, o CBD pode ser indicado como substituto de analgésicos e anti-inflamatórios.

Autismo

As estimativas do governo dizem que, no Brasil, cerca de 2 milhões de brasileiros têm algum nível de transtorno do espectro autista (TEA).

Normalmente, essa condição é detectada em crianças, contudo, nada impede que adultos passem a vida sendo portadores de autismo sem saber.

Um desses casos é o da tradutora carioca Bárbara Gael, que descobriu que era autista somente aos 50 anos de idade.

Isso depois de passar a maior parte da sua vida lutando contra a depressão e o pânico, dos quais só experimentou alívio quando recorreu ao canabidiol.

Câncer

Depois da epilepsia, talvez a doença em que o CBD mais vem sendo prescrito em tratamentos seja o câncer. 

Em geral, médicos indicam o canabinoide como auxiliar nos cuidados paliativos e para reduzir náuseas e vômitos.

Contudo, há indícios de que o canabidiol também seja uma substância anticancerígena, podendo ajudar na remissão do câncer de pâncreas, um dos mais difíceis de diagnosticar.

Outro tipo de câncer cujo tratamento com CBD pode ser prescrito é o de pulmão, para o qual ele ainda auxilia nos cuidados paliativos.

Dependência química

Um dos mitos que cercam o canabidiol é o que o qualifica como uma substância entorpecente.

Nada mais falso, principalmente se considerarmos que o CBD pode ser usado para controle da dependência química, inclusive da própria maconha.

Ele também pode ser indicado para reduzir a dependência química da cocaína e dos seus subprodutos, o crack, a merla e o óxi, como aponta o Dr. Gilberto Kocerginsky.

Depressão

O caso da carioca Bárbara Gael, exposto anteriormente, é um entre tantos em que o CBD foi extremamente efetivo no combate à depressão.

Ela é uma dos cerca de 12 milhões de brasileiros que sofrem dessa doença, a mais prevalente das de origem psiquiátrica no Brasil.

No seu tratamento, o óleo de canabidiol pode ser um valioso aliado, não só por atenuar os sintomas como pelos seus raros efeitos colaterais.

Além disso, o CBD é uma alternativa aos sempre arriscados antidepressivos, medicamentos controlados e com alto potencial de causar dependência.

Dermatite

Você viu no tópico sobre acne que a dermatite é uma das doenças de pele que também podem ser tratadas com canabidiol.

A respeito disso, vale destacar um estudo realizado por pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos.

Eles descreveram os processos de interação entre a anandamida (um neurotransmissor) e o CBD, pela qual sintomas como coceira, descamação e secura foram minimizados.

Diabetes

Embora o uso recreativo de maconha seja proibido por lei no Brasil, é importante destacar que é dessa forma que muitas pessoas com doenças crônicas encontram alívio para seus sintomas.

Uma dessas condições é a diabetes, que faz com que a produção de insulina e glucagon seja insuficiente para regular as concentrações de açúcar no sangue.

Há, inclusive, um estudo do National Health and Nutrition Examination Survey segundo o qual usuários recreativos têm menor incidência dessa doença, comparados com não usuários.

Dor neuropática

Um dos tipos de dor crônica mais difíceis de tratar é a neuropática, que é causada por lesões nos nervos sensitivos do sistema nervoso central (SNC).

Por conta dessa dificuldade, há médicos que acabam prescrevendo em seu tratamento antidepressivos, como a amitriptilina, ou anticonvulsivantes, como a gabapentina.

Sobre isso, destacamos em um artigo aqui do Portal Cannabis & Saúde o potencial do canabidiol como recurso para amenizar esse tipo de dor.

Tal ação ocorre porque o CBD atua como fator de homeostase dos sistemas neurotransmissores, onde age como modulador ativo.

Endometriose

Doença que afeta cerca de 10% das mulheres em todo o mundo, a endometriose ainda tem causas desconhecidas e seu tratamento é um dos mais desafiadores para os ginecologistas.

Contudo, acredita-se que ela tenha relação com alterações hormonais das mulheres que, por isso, deixam de eliminar as células que recobrem o endométrio no período fértil.

Sendo assim, o canabidiol pode ser uma alternativa de tratamento, já que, via sistema endocanabinoide, ajudaria a regular os hormônios no ciclo menstrual.

Epilepsia

A OMS publicou, em 2017, um relatório chamado Critical Review Report, dedicado exclusivamente ao canabidiol.

Embora o documento não endosse o CBD como medicamento, nele a entidade reconhece a eficácia do composto, principalmente no tratamento da epilepsia.

De fato, são necessários mais estudos para que a substância seja enfim chancelada por todas as entidades de saúde e pela indústria farmacêutica.

Por outro lado, o que não faltam são casos bem-sucedidos de pacientes com epilepsia tratados com canabidiol.

Na maioria das situações, eles obtiveram pelo menos a redução dos sintomas associados à doença, especialmente as convulsões.

O CBD é tão eficaz que já está sendo empregado até no tratamento da epilepsia em cães.

Esclerose múltipla

Doença autoimune em que as defesas atacam os nervos, levando à perda da sua proteção pela bainha de mielina, a esclerose múltipla é ainda um desafio para a ciência.

Primeiramente, porque não há dois pacientes de EM que apresentem os mesmos sintomas, o que em alguns casos dificulta o seu diagnóstico e, em consequência, o tratamento.

Isso se aplica na fase inicial, na qual os sintomas são remitentes, ou seja, aparecem e desaparecem de forma natural.

De qualquer maneira, hoje o canabidiol é uma alternativa para tratá-la, inclusive em casos nos quais o paciente é desenganado pela medicina, como foi com o designer Gilberto Castro.

Fibromialgia

Assim como a esclerose múltipla, a fibromialgia pode ser uma doença difícil de tratar.

Ela afeta principalmente mulheres e os seus sintomas mais comuns são dores excruciantes pelo corpo, tanto nas articulações quanto nos músculos.

Um belo exemplo de como o CBD pode ser um poderoso aliado ao tratar dessa doença é o da gaúcha Fabiana Rocha.

Depois de décadas sofrendo com dores e estigma social, ela finalmente encontrou o alívio quando recorreu ao canabidiol.

Gastrointestinais

Os poderes da Cannabis medicinal vão além dos tratamentos das doenças do sistema nervoso central.

Ela também vem sendo empregada para curar pacientes com enfermidades que afetam o sistema gástrico, como a doença de Crohn e a até a pseudo-obstrução intestinal crônica (POIC), uma forma de insuficiência intestinal rara.

Há, inclusive, um estudo de caso exposto aqui, no Portal Cannabis & Saúde.

Nele, uma paciente com POIC teve seus sintomas atenuados após incluir os canabinoides em seu tratamento.

Glaucoma

Há diversos estudos que sugerem a eficácia do CBD no tratamento do glaucoma, condição caracterizada pelo aumento da pressão intraocular e que pode causar cegueira.

Também há registros de recuperações incríveis em que pacientes à beira de perder a visão conseguiram atenuar os sintomas da doença.

É o caso de Alexander Morentin, 54 anos, boa parte dos quais sofrendo prejuízos visuais e dores causadas pela enfermidade. 

Felizmente, ele encontrou o alívio para o glaucoma depois de recorrer ao CBD, ao qual credita a redução da dor e a melhor na visão.

HIV

Para pacientes com AIDS, doença ainda incurável (apesar de raros casos de cura registrados), o CBD representa o alívio de sintomas como depressão e fadiga.

Que o diga Gabriel (nome fictício), que recuperou a disposição e o sono depois que seu médico prescreveu um óleo à base de tetrahidrocanabinol (THC).

Parkinson

Outro caso de recuperação impressionante é o do seu Evaldo Lopes, que sofre com o mal de Parkinson.

Nessa doença, os sintomas mais pronunciados são o tremor nas mãos e a perda de memória – que se não for controlada, pode levar à demência.

Temendo que o pai viesse a sofrer ainda mais, seu filho, Evaldo Jr., resolveu importar um óleo full spectrum e, para seu espanto, no mesmo dia o paciente já era outra pessoa.

Conheça essa história emocionante de recuperação do mal de Parkinson.

Como funciona o tratamento com canabidiol?

No Brasil, o tratamento com CBD só pode ser feito depois que as alternativas convencionais falharem.

Essa é a condição imposta pela Anvisa, que só autoriza a compra de medicamentos à base de canabidiol com prescrição médica.

A entidade também determina que só podem ser comprados remédios administrados via oral ou nasal.

A partir daí, o funcionamento do tratamento depende da doença e da indicação médica.

Há casos em que o CBD é utilizado no enfrentamento direto da condição médica.

Já em outros, seu papel é o de aliviar os sintomas da doença e devolver a qualidade de vida aos pacientes.

Receita médica para CBD

Embora a quantidade de médicos prescritores esteja em franca ascensão no Brasil, o número de profissionais que indicam tratamentos com CBD ainda é restrito.

Acesse a lista de médicos prescritores de canabidiol e agende uma consulta.

Para a compra de canabidiol, a receita médica é uma exigência, motivo pelo qual toda farmácia brasileira deve reter uma via da prescrição ao realizar a venda, conforme RDC 327/19 da Anvisa.

O mesmo se aplica ao importar, já que a Anvisa só aprova pedidos acompanhados desse documento, conforme RDC 335/20 da Anvisa.

Quais são os benefícios do uso do canabidiol?

A lista de benefícios em aderir ao tratamento com CBD justifica a escolha por essa substância.

Destacamos como principais vantagens:

  • Raros efeitos adversos
  • Possibilidade de ser usado com outros medicamentos
  • Promoção de benefícios extras em diversos tratamentos
  • Não causa dependência química (inclusive os óleos à base de THC).

Quanto tempo para o canabidiol fazer efeito?

O tempo que o canabidiol leva para fazer efeito depende de fatores como peso corporal, interação com outros medicamentos, histórico do paciente e, claro, a dose ingerida.

Em um estudo controlado, voluntários receberam cápsulas de extrato de Cannabis com 2,5 miligramas de THC e 1,35 miligramas de CBD.

A equipe de pesquisa descobriu, então, que o canabidiol era detectável no sangue por até seis horas após a ingestão, sendo esse o tempo estimado para a produção dos primeiros efeitos.

Como conseguir tratamento com canabidiol?

Para facilitar o acesso aos tratamentos com CBD, o portal Cannabis & Saúde disponibiliza gratuitamente uma lista de especialistas prescritores.

Você pode, se precisar, agendar uma consulta online com um médico prescritor de canabidiol.

Este é sempre o primeiro passo, pois o paciente depende do conhecimento do profissional sobre os benefícios do CBD para que ele indique o tratamento.

Você pode tentar com o próprio médico que o atende, utilizando este e outros artigos do Portal Cannabis & Saúde como argumento em favor do canabidiol.

Como funciona a comercialização de CBD no Brasil?

Você viu há alguns tópicos que, no Brasil, a compra de medicamentos contendo CBD só acontece mediante apresentação de receita médica.

De posse dela, é possível fazer a aquisição em farmácias e drogarias, como acontece com qualquer outro remédio.

Acontece, porém, que só há dois fármacos com CBD vendidos em estabelecimentos nacionais.

Nesse caso, resta a importação para a maioria das doenças.

Ela deve ser intermediada pela Anvisa, que recebe pedidos online pelo site do Governo Federal e aprova a importação dos produtos. 

Resumidamente, o processo é este:

  1. Indicação médica: em consulta, o paciente recebe a indicação do remédio à base de CBD
  2. Pedido no site da Anvisa: com a receita em mãos, é preciso preencher o formulário da Anvisa e apresentar os documentos solicitados para aprovação da importação do produto
  3. Retorno da Anvisa: a resposta vem em cerca de 10 dias úteis – se for positiva, a Anvisa emite a autorização para importação
  4. Compra e entrega: você pode finalizar o processo na empresa representante do produto no Brasil – veja, por exemplo, os produtos que a CanTeraMed relaciona nesta página.

Para sua comodidade e segurança, todo esse processo de autorização e importação do produto pode ser realizado com o apoio do serviço de concierge da CanTeraMed.

Qual é o preço médio do canabidiol?

Os dois medicamentos à base de CBD vendidos hoje no Brasil custam mais de R$ 2 mil cada frasco.

O alto valor se deve à necessidade de importação da matéria-prima para fabricação, já que o cultivo de Cannabis segue proibido no Brasil, o cultivo poderia baixar o custo dos produtos fabricados no país.

Já produtos importados tem custo bem menor, ainda que sejam vendidos indexados em moedas estrangeiras e necessário o pagamento do transporte do país de origem, os preços dos produtos importados iniciam com valores na faixa de R$ 200,00 o frasco e o valor varia conforme a concentração do produto e quantidade de canabinoides.

A expectativa do mercado é que, em um futuro próximo, o preço do tratamento com uma ampola de canabidiol possa ficar abaixo de R$ 500. A previsão de importadores é de redução de até 75% no preço dos frascos e medicamentos, cuja etapa final da produção é realizada no Brasil.

Antes de comprar um produto, confira as dicas que separamos para você, clique aqui.

Conclusão

O tratamento com canabidiol é, hoje, a esperança à qual milhares de pacientes que sofrem com doenças raras, crônicas ou congênitas se apegam para ter mais qualidade de vida ou mesmo uma chance de cura.

Por isso, se você, um amigo ou familiar precisa de ajuda, não deixe de conversar com um médico prescritor de CBD.

Afinal, o fator tempo é decisivo, principalmente para portadores de doenças graves ou crônicas que são a maioria dos pacientes tratados com CBD.

Esteja sempre a par das novidades a respeito do mercado da Cannabis medicinal e os estudos mais recentes sobre CBD aqui, no Portal Cannabis & Saúde.

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

“CBD será usado nas Olimpíadas”, diz dr. Gustavo Magliocca

Terça-feira, 20, foi dia de discutir sobre o uso da Cannabis medicinal no esporte na…

8 horas agora

Projeto de Lei que legaliza plantio de Cannabis será votado em maio

Expectativa é do relator da Comissão da Cannabis na Câmara, que apresentou nesta terça o…

1 dia agora

“Não há nenhuma planta nesse planeta tão versátil quanto a Cannabis”, diz Ethan Russo

Há 25 anos, o neurologista Ethan Russo estuda os usos e benefícios da Cannabis medicinal.…

1 dia agora

Tremor nas mãos: causas, sintomas e tipos de tratamentos

O tremor nas mãos é um sintoma que pode sinalizar doenças que afetam o sistema…

2 dias agora

Dr. Donald Abrams trata pacientes de câncer com Cannabis na Califórnia

Cientista que esteve à frente de uma revolução na medicina compartilhará seus conhecimentos conosco no…

5 dias agora

Pesquisadora com 30 anos de experiência participa de evento sobre Cannabis

Ao longo de 30 anos de experiência clínica, a doutora Michelle Reillo sempre buscou opções…

5 dias agora