O que são canabinoides? Tem muito mais do que CBD e THC!

Na resina do caule e nas flores nascem o que faz da Cannabis um sucesso terapêutico. É principalmente ali que são produzidos os canabinoides, os compostos químicos que, assim como os terpenos e os flavonoides, rendem os efeitos terapêuticos e psicoativos da planta.

Os mais conhecidos você provavelmente sabe quais são: THC e CBD. Mas existem muito mais.

Até agora foram descobertos mais de 100 canabinoides presentes na Cannabis. E nem faz tanto tempo assim que o primeiro deles – o THC – foi descoberto pela ciência.

Em 1964, o isralense Raphael Mechoulam isolou a substância e a usou como ingrediente em um bolo. Distribuiu alguns pedaços para alguns amigos e só observou. Alguns começaram a gargalhar, uma mulher teve uma crise passageira de ansiedade, enquanto outra sentou numa poltrona e mergulhou nos próprios pensamentos. O experimento comprovou: era aquela a substância responsável por vários efeitos da maconha.

Desde então, a ciência caminhou bastante nos estudos sobre a planta. E descobriu, não apenas os outros canabinoides, mas também nossos endocanabinoides.

Aquele primeiro passo de Mechoulam fomentou as pesquisas e levou ao conhecimento sobre o sistema endocanabinoide, com os receptores CB1 e CB2 espalhados pelo nosso corpo.

Esses receptores funcionam como fechaduras e são abertos apenas com chaves, os canabinoides. E o organismo mesmo trata de produzi-los. São os endocanabinoides. Ou seja: eu, você e todo ser humano produzimos naturalmente maconhas no nosso corpo.

E os fitocanabinoides, presentes nas planta, interagem com esse sistema, estimulando ainda mais a abertura dos receptores. Cada um deles tem seus próprios efeitos terapêuticos – analgésicos, anti-inflamatórios, anticonvulsivantes, etc. E é a proporção desses canabinoides, diferente em cada cepa de Cannabis que orquestra os efeitos psicoativos e farmacológicos dela. Claro que também varia de acordo com o solo, clima do local de cultivo.

Quanto mais THC, maior o efeito psicoativo. Quanto mais CBD, maior o efeito antiespasmódico. E a soma desses canabinoides tem eficácia ainda melhor no reequilíbrio do corpo.

Saiba mais sobre os principais canabinoides

THC

Conhecido pelos efeitos efeitos psicoativos, o THC, um dos compostos mais abundantes na
Cannabis, tem muitas outras características. Funciona também como ansiolítico, anti-inflamatório,
imunossupressor, antiviral, hipotensor, neuroprotetor, estimulador do apetite, antiemético (reduz a
vontade de vomitar), analgésico, sedativo, anticonvulsivo, antitumorígeno, modulador neuro-endócrino, antipirético, antioxidante, e pode ainda ser usado no tratamento de glaucoma.

CBD

Tão abundante quanto o THC, o canabidiol não produz nenhum efeito psicoativo – ou seja, não dá
barato. Apresenta efeito ansiolítico, imunossupressor, anti-inflamatório, neuro protetor, antiemético,
sedativo, anticonvulsivo, antitumorígeno, antioxidante, antiespasmódico, antipsicótico.

CBG

É a partir do canabigerol que o CBD e o THC são produzidos. Mas ele passa quase despercebido
nas variedades de Cannabis. Isso porque sua concentração, em geral, não chega a 1%. Tem efeito
antiinflamatório, anticonvulsivo, sedativo, antitumorígeno e reduz a pressão intra-ocular (ou seja,
auxilia no tratamento de glaucoma).

CBN

Quando o THC é exposto ao calor ou a uma maior quantidade de oxigênio, o composto se transforma em canabinol. Quando a planta envelhece, o THC também vira CBN. Possui potencial antiinflamatório.

CBC

Canabicromeno é um dos compostos mais estudados pela Medicina. Tem potenciais terapêuticos que nem o THC nem o CBD possuem: fungicida e bactericida. E apresenta ainda efeito sedativo, hipotensor e anti-inflamatório.

FONTE: Maconha, cérebro e saúde. Renato Malcher-Lopes e Sidarta Ribeiro

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email