Sistema Endocanabinoide: o que é, como funciona e cannabis medicinal

Descubra as principais informações sobre o funcionamento do sistema endocanabinoide e a sua relação com o bem-estar!
sistema endocanabinoide o que e-como funciona cannabis medicinal

O sistema endocanabinoide é um importante aliado da regulação e equilíbrio de uma série de processos fisiológicos no corpo humano.

Entre outras funções, ele oferece as condições naturais para que o organismo se favoreça das propriedades terapêuticas da Cannabis no enfrentamento de uma série de doenças.

É verdade que a interação do canabidiol (CBD) com o sistema endocanabinoide ainda está sendo estudado. 

No entanto, já há um bom número de estudos clínicos sugerindo efeitos benéficos para a saúde.

Ao longo deste texto, vamos explicar como isso é possível, de que forma as funções do sistema endocanabinoide se coordenam e como se relacionam com o CBD.

Acompanhe!

O que é o sistema endocanabinoide?

Dizem que sabemos menos do nosso próprio organismo do que sabemos a respeito da Lua.

Talvez uma prova disso seja a própria descoberta do sistema endocanabinoide, que foi identificado pela primeira vez apenas em 1964.

O responsável pelo feito é o pesquisador radicado em Israel Raphael Mechoulam, que naquele ano viria a documentar de forma até então inédita o THC, o tetrahidrocanabinol.

Uma grande descoberta que faz do professor Mechoulam merecedor de destaque entre os grandes cientistas de todos os tempos.

Afinal, durante longos anos, o THC passou totalmente batido pela comunidade científica, que nada sabia sobre as vastas propriedades medicinais das plantas do gênero Cannabis.

Foi essa descoberta que levou o químico Mechoulam a descobrir em seguida o sistema endocanabinoide, formado por uma série de enzimas presentes em diversos tecidos do corpo.

Basicamente, ele é composto pelos canabinoides endógenos, conhecidos como endocanabinoides e enzimas de síntese e degradação.

Quando foi descoberto o sistema endocanabinoide?

O sistema endocanabinoide também se encontra nas interseções de vários sistemas, permitindo a comunicação e coordenação entre as células. 

Quando os receptores canabinoides são estimulados, uma variedade de mecanismos fisiológicos ocorrem.

Raphael Mechoulam é um químico orgânico, de origem Búlgara, radicado em Israel, conhecido mundialmente pelo isolamento, definição estrutural e síntese do tetrahidrocanabinol (THC). 

Ele também é responsável pela identificação do sistema endocanabinoide.

O sistema é um conjunto de receptores e enzimas que trabalham como sinalizadores entre nossas células e os processos do corpo. 

Neste sistema, o óleo de CBD interage com o corpo humano. 

A descoberta data de 1964, quando o professor Mechoulam transportava num ônibus cinco quilos de haxixe libanês, apreendido pela polícia e disponibilizado para realização de pesquisas do Instituto Weitzmann, em Rehovot. 

Com o haxixe, ele descobriu o componente psicoativo da Cannabis: o tetrahidrocanabinol (THC), uma substância passada despercebida durante décadas.

Vinte anos depois, o cientista verificou que o THC interage com o maior sistema de receptores do corpo humano, o sistema endocanabinoide, mencionado acima.

E descobriu também que o cérebro humano produz a sua própria Cannabis – uma substância química a que deram simbolicamente o nome de Anandamida, palavra derivada do sânscrito ‘Ananda’, que significa calma interior, portador de paz, felicidade interna.

Sistema endocanabinoide humano

Os endocanabinoides e seus receptores se encontram espalhados por todo o corpo, em membranas celulares do cérebro, órgãos, tecidos conjuntivos, glândulas e células do sistema imunológico. 

Em cada parte do organismo o sistema executa tarefas diferentes. 

No entanto, o propósito é sempre o mesmo: a estabilização do ambiente interno, independente das variações externas, ou seja, a homeostase.

O sistema endocanabinoide também se encontra nas interseções de vários sistemas, permitindo a comunicação e coordenação entre as células. 

Quando os receptores canabinoides são estimulados, uma variedade de mecanismos fisiológicos ocorrem.

O sistema é responsável por regular processos fisiológicos, como apetite, dor, inflamação, termorregulação, pressão intraocular, sensação, controle muscular, equilíbrio de energia, metabolismo, qualidade do sono, resposta a estresse, motivação/recompensa, humor e memória.

Até o momento, pesquisadores identificaram dois receptores canabinoides. 

O primeiro é CB1, que se encontra predominantemente no sistema nervoso, tecido conjuntivo, gônadas, glândulas e órgãos. 

Já os receptores CB2 são encontrados no sistema imunológico e suas estruturas. 

Algumas células contêm tanto receptores CB1 e CB2, cada um ligado a funções diferentes.

Embora nosso organismo seja capaz de fabricar seus próprios canabinoides, o sistema endocanabinoide pode ser suplementado por fitocanabinoides exógenos, encontrados em plantas como a Cannabis, equinácea e linhaça.

Sistema endocanabinoide e o canabidiol

O canabidiol interage com o sistema endocanabinoide através do receptor CB2, oferecendo os efeitos benéficos desejados para condições como epilepsia, Parkinson, dores, câncer e esclerose múltipla.

Mechoulam redescobriu o uso histórico da substância para o tratamento de patologias convulsivas, da esquizofrenia, do estresse pós-traumático e ainda seu impacto em outras funções que gerem a saúde humana, como a rapidez na vinculação entre uma mãe e um bebê. 

Quem diria que uma viagem cinco quilos de haxixe renderia tanta contribuição para a ciência.

Para que serve o sistema endocanabinoide?

O corpo humano é um sofisticado conjunto de sistemas que atuam em sinergia para garantir nossa saúde e bem-estar.

Para isso, as várias funções dos órgãos que compõem esses sistemas precisam se manter em equilíbrio, de modo que não haja sobrecarga, excessos ou falta de nutrientes.

É para que o organismo se mantenha equilibrado que existe o sistema endocanabinoide.

Ele é uma espécie de sistema intermediário, atuando como ponte entre células de variados tipos.

Atua, ainda, como agente regulador de diversas reações fisiológicas, como:

  • Apetite 
  • Dor 
  • Inflamação
  • Termorregulação 
  • Pressão intraocular 
  • Sensação 
  • Controle muscular
  • Equilíbrio de energia 
  • Metabolismo
  • Qualidade do sono 
  • Resposta a estresse 
  • Motivação/recompensa
  • Humor e memória.

A regulação da ingestão de alimentos pelos endocanabinoides

A ciência já sabe que, entre as incontáveis funções exercidas pelo sistema endocanabinoide, está a de regular o apetite e de modular a ingestão de alimentos sólidos e líquidos.

Nesse sentido, ele age por meio dos endocanabinoides, neurotransmissores retrógrados endógenos, que se ligam a proteínas e receptores canabinoides.

O termo retrógrado faz referência à maneira como esses transmissores se ligam nos neurônios, uma espécie de sinapse de “trás para frente”.

Como funciona o sistema endocanabinoide?

O prefixo “endo”, em endocanabinoides, indica que eles são formados pelo nosso próprio organismo.

Além de regularem nosso desejo por consumir alimentos, eles também se fazem presentes no processo digestivo por atuarem em tecidos de órgãos como pâncreas e fígado.

Esse papel é reforçado quando os endocanabinoides fazem a mediação de reações de homeostase glicêmica e lipídica.

Por isso, esse sistema é também considerado de grande plasticidade, já que não está fixo em uma parte do corpo ou em apenas um tipo de tecido. 

Logo, o sistema endocanabinoide funciona como uma espécie de regulador, atuando diretamente em um amplo espectro de reações fisiológicas.

Qual a relação entre o sistema endocanabinoide e o bem-estar?

A função regulatória do sistema endocanabinoide é fundamental para promover o bem-estar geral.

Não por acaso, ele vem sendo estudado como alternativa no combate à adicção, uma vez que exerce influência nos mecanismos fisiológicos que regulam a relação motivação/recompensa da dependência química.

O que é o canabidiol?

Canabidiol (CBD) é a substância ativa encontrada nas plantas do gênero Cannabis, principalmentes nas espécies sativa e indica.

É esse composto que, uma vez ingerido, interage no sistema endocanabinoide, atuando de forma mimética aos endocanabinoides naturais em nosso organismo.

Qual é o efeito do canabidiol?

O canabidiol, diferentemente do THC, não causa efeito psicoativo. 

Em contrapartida, tem sido amplamente empregado na área médica, especialmente na última década, por suas propriedades terapêuticas. 

O CBD tem sido apresentado como proposta de tratamento para uma série de doenças, e são cada vez mais numerosos os ensaios clínicos que investigam e comprovam suas potencialidades medicinais.

Quanto tempo leva para o canabidiol fazer efeito?

O tempo necessário para o CBD produzir efeitos varia de uma pessoa para outra. 

Também é preciso considerar a via de administração e dosagem na forma de medicamento.

De qualquer forma, estima-se que, quando ingerido via oral, ele possa fazer efeito em cerca de 30 minutos a uma hora. 

Já quando inalado, apresenta maior biodisponibilidade, podendo produzir efeitos dentro de apenas 5 minutos.

Como o canabidiol age no cérebro?

O canabidiol interage com o sistema endocanabinoide por meio do receptor CB2.

Diferentemente do THC, ele não diminui a atividade nos neurônios em que atua, podendo até anular os efeitos dele no organismo.

O que é CB1 e CB2?

CB1 e CB2 são os dois tipos principais de receptores do sistema endocanabinoide.

São como “estações” ou locais de ligação, presentes em diversos tipos de células em todo o organismo. 

Os canabinoides podem se ligar, bloquear ou moldar a atividade destes receptores, produzindo assim os efeitos terapêuticos desejados. 

Óleo de CBD

O processo de extração do canabidiol leva a produzir um óleo rico em canabinoides, cujas concentrações variam, dependendo da espécie da planta e outros fatores.

Esse é o chamado óleo de CBD, utilizado para os mais variados fins, desde terapêuticos até nutricionais e estéticos.

Relação entre o Sistema Endocanabinoide e a Cannabis Medicinal

sistema endocanabinoide relacao entre cannabis medicinal

Uma série de estudos clínicos dão conta da relação entre o sistema endocanabinoide e a Cannabis para fins medicinais.

Algumas enfermidades, como Doença de Parkinson, de Alzheimer, esclerose múltipla e autismo, tiveram respostas positivas em seus tratamentos depois do uso de CBD.

Ou seja, há evidências de que o sistema endocanabinoide e o canabidiol, em sinergia, promovem benefícios à saúde humana, ajudando a aumentar o bem-estar e a qualidade de vida de pacientes.

Quais doenças podem ser tratadas com o canabidiol?

Já é extensa a lista de doenças que podem ser tratados utilizando o CBD como substância ativa. 

Veja algumas delas:

Conclusão

O sistema endocanabinoide poderia perfeitamente ser considerado como uma das descobertas do século.

Como vimos ao longo deste conteúdo, sem saber nada sobre ele, estaríamos privados de uma série de tratamentos com CBD.

Além de eficazes, os óleos de CBD apresentam ainda outra vantagem considerável: seus poucos efeitos adversos.

Com o avanço da regulamentação no país, um novo horizonte se abre no Brasil para o uso dessa substância em medicamentos comercializados em farmácias e drogarias.

Continue lendo os materiais publicados no portal Cannabis e Saúde e saiba o que acontece na comunidade de médicos e pacientes que usam o CBD em seus tratamentos.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email