Assine para receber conteúdos exclusivos sobre Cannabis Medicinal!


    História dos Médicos

    Hélio Mororó, médico prescritor de Cannabis há anos, tem como missão levar mais profissionais para o “time da Cannabis”
    O carioca Victor Verztman, terceira geração de reumatologistas da família, descobriu a Cannabis com uma paciente do pai. Hoje, aposta na planta para tratar doenças como dor crônica, fibromialgia, lombalgia e osteoartrite
    O psiquiatra Vinicius Barbosa considera a Cannabis como a melhor opção terapêutica. E lamenta não poder usar o medicamento em seu atendimento pelo SUS
    Janaína Barboza frequentemente denuncia os lobbies da indústria farmacêutica e foi um dos profissionais que tiveram contas nas redes sociais canceladas no início do mês.
    Trabalho gratuito é oferecido em Salvador, na Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro. São centenas de pacientes de baixa renda que têm acesso a tratamentos com Cannabis
    A médica funcional Paula Dall’Stella é uma das referências em Cannabis medicinal no Brasil. Conheça a história dela
    Maurício Verderame descobriu a Cannabis em 2019, atendeu mais de 600 pacientes e viu melhoras que não aconteceriam com outros remédios
    Neuropediatra experiente, Marco Roque vê a Cannabis como mais uma substância para ajudar pacientes a terem crises menos intensas e frequentes. Mas ele coloca o alto custo, o preconceito e a falta de protocolos como barreiras aos tratamentos
    Depois de 10 anos estudando dor, o anestesista Mauro Araújo conheceu a Cannabis medicinal. Hoje, é um dos líderes do setor no esforço para que os colegas aceitem o medicamento
    Neurologista experiente, Alexandre Kaup conheceu a planta há pouco tempo, em 2019. Virou professor, prescritor e elaborou uma pesquisa clínica para verificar a eficácia da Cannabis no tratamento da enxaqueca
    Formigoni só não receita mais por conta do alto preço e pela legislação brasileira que o classifica como medicamento
    Eduardo Faveret ajudou a fazer a história da Cannabis medicinal no País e, no processo, acabou transformando a sua própria maneira de fazer medicina e se relacionar com seus pacientes e familiares