CBD para ansiedade: efeitos, consumo e recomendações

Confira as principais informações sobre o CBD para ansiedade!
cdb ansiedade

Um estudo conduzido por pesquisadores brasileiros sugere que o CBD tem vantagens importantes no tratamento à ansiedade na comparação com os fármacos atualmente disponíveis.

Mais especificamente, ele pode ser eficaz no enfrentamento do que popularmente chamamos de fobia social, condição na qual a ansiedade e o medo em determinadas situações sociais pode prejudicar a qualidade de vida.

30 patologias

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

Trata-se de um transtorno bastante comum e identificado ao observar as nossas próprias ações, como vamos mostrar na sequência e ao longo de todo este texto.

Acompanhe!

CBD para ansiedade: entendendo a fobia social

Você sente que está sendo examinado ou tem receio de que agirá de maneira constrangedora ou humilhante em situações sociais? 

Evita situações que causam ansiedade ou as enfrentam com muito medo? 

Acha que fica mais ansioso do que deveria diante das situações do dia a dia? 

Isso tudo atrapalha sua vida, e não há nenhum outro fator que possa explicar isso?

Segundo o Manual de Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM-V), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, esses todos são sinais de que você pode estar sofrendo de Transtorno Ansioso Social Generalizado (TAS), condição popularmente chamada de fobia social.

Mas você não está sozinho. 

Presente em 13% dos brasileiros, é uma das condições de ansiedade mais comuns e está associada a prejuízos no ajuste social com relação a aspectos usuais da vida diária, aumento da incapacidade, disfunção e perda de produtividade. 

O TAS tende a seguir um curso prolongado e contínuo, sendo raramente resolvido sem tratamento.

O problema é que os medicamentos atualmente disponíveis são pouco eficazes, já que apenas 30% dos pacientes alcançam verdadeira recuperação ou remissão da doença.

Por isso, novas abordagens terapêuticas são necessárias para atacar com efetividade a condição, e o canabidiol pode ser uma delas.

O que é o canabidiol (CBD)?

Canabidiol é uma substância ativa encontrada na planta Cannabis sativa com ação medicinal. 

Também conhecido como CBD, é um componente usado na fabricação de produtos que podem ajudar a combater sintomas de várias doenças.

É importante diferenciar o CBD, usado para fins terapêuticos, e o tetraidrocanabinol (THC), outra substância presente na Cannabis, responsável pelo efeito alucinógeno dos cigarros de maconha.

Cada vez mais estudos têm sugerido que o CBD é eficaz como ansiolítico, ou seja, uma substância que elimina ou reduz a ansiedade.

Para que serve o canabidiol (CBD)?

Nosso cérebro possui receptores específicos capazes de se conectar com o CBD. 

O efeito que a substância provoca é de diminuir a reação do sistema nervoso central.

Por isso, o canabidiol tem ação antipsicóticas e neuroprotetoras, podendo ser usado terapeuticamente para tratar doenças psiquiátricas ou neurodegenerativas.

Além disso, há estudos que investigam a possível ação analgésica, imunossupressora e anti-inflamatória do CBD, de modo que os produtos à base de canabidiol podem ser úteis para tratar dores crônicas, por exemplo.

Quais os efeitos colaterais do canabidiol?

O primeiro medicamento à base de CBDl comercializado no Brasil é o Mevatyl, composto por tetraidrocanabinol e canabidiol. 

Trata-se de um spray de uso bucal indicado para tratar sintomas da esclerose múltipla.

Consta em sua bula que as reações adversas mais comuns são tonturas, que ocorrem principalmente durante o período inicial do tratamento, e fadiga.

No entanto, acredita-se que as reações se devam mais ao tetraidrocanabinol presente no medicamento do que ao canabidiol.

E as reações são leves a moderadas, desaparecendo em poucos dias, mesmo quando o tratamento continua. 

Quando o cronograma de ajuste de dose recomendado pelo fabricante é seguido, a incidência desses efeitos colaterais se revela muito baixa.

Quem pode usar o canabidiol?

No Brasil, qualquer produto à base de CBD só pode ser adquirido e consumido com prescrição médica.

A regra está prevista em publicações da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A Cannabis medicinal se tornou legal no Brasil em 2015, quando a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) Nº 17/2015 estabeleceu normas para a importação de medicamentos à base de canabidiol em caráter excepcional.

Mais recentemente, em dezembro de 2019, a RDC Nº 327/2019 fixou os requisitos para a venda de produtos de Cannabis para fins medicinais no país.

Suas determinações passaram a valer em 10 de março de 2020.

Desde então, farmácias e drogarias brasileiras podem comercializar derivados das plantas do gênero Cannabis autorizados pela Anvisa.

Mas sempre lembrando que é o médico que vai decidir – com base no diagnóstico e em seu conhecimento sobre o efeito da substância – se o paciente pode ou não consumir o CBD para ansiedade ou qualquer outro sintoma.

Vale ressaltar, ainda, que os produtos à base de canabidiol costumam ser contraindicados para mulheres durante a gravidez e lactação, e para pacientes com hipersensibilidade aos extratos de Cannabis.

No caso do Mevatyl, a lista de contraindicações é maior, já que o medicamento possui tetraidrocanabinol em sua composição.

CBD é realmente indicado para a ansiedade?

O uso do CDB em casos de ansiedade encontra amparo na literatura científica.

Além do estudo brasileiro, destacado na abertura deste texto e sobre o qual iremos trazer mais detalhes na sequência, há outras contribuições da ciência para compreender a sua eficácia no tratamento.

Pesquisas em voluntários saudáveis mostraram que o canabidiol tem capacidade de atenuar a ansiedade provocada pelo THC (entenda no tópico “Como devo consumir CBD para ansiedade?”).

Já estudos realizados em animais encontraram no CBD efeitos semelhantes aos medicamentos ansiolíticos. 

Essas evidências abriram caminho para testar a eficácia do CBD em pacientes diagnosticados com fobia social (TAS).

A pesquisa brasileira foi realizada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto em parceria com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto.

Para o estudo, foi separado um grupo de 24 pessoas diagnosticadas com TAS, mas que nunca receberam qualquer tipo de tratamento, além de outras 12 saudáveis como grupo de controle.

Todos tinham que preparar um discurso de quatro minutos para ser lido em frente a uma câmera de vídeo, enquanto assistiam à própria imagem na televisão.

Entretanto, duas horas antes da atividade, metade dos pacientes diagnosticado com TAS recebeu uma dose de 600mg, a maior dose encontrada na literatura científica para tratamento ansiolítico.

A outra metade dos pacientes com fobia social recebeu um comprimido falso, placebo, sem o CBD. 

Já os outros 12 participantes saudáveis não receberam nada.

Todos foram submetidos a testes fisiológicos e psicológicos antes e durante o discurso para medir o nível de ansiedade.

E deu certo. 

O grupo que recebeu o placebo apresentou um nível de ansiedade significativamente mais alto que o grupo de controle, com maior comprometimento cognitivo e desconforto, algo já esperado em pessoas com TAS.

Já os que receberam a dose de CBD apresentaram redução considerável da ansiedade, com desempenho cognitivo melhor e sem tanto desconforto. 

Os resultados foram semelhantes ao do grupo de pacientes saudáveis.

“Esses resultados preliminares indicam que uma dose única de CBD pode reduzir o efeito de aumento da ansiedade provocado pelo teste de fala em público em pacientes com TAS, indicando que esse canabinoide inibe o medo de falar em público, um dos principais sintomas do distúrbio”, diz o estudo.

Outro fator interessante foi a autoavaliação que cada um fez de seu discurso. 

Entre os que receberam CBD, quase ninguém se avaliou negativamente, fator importante na melhora do funcionamento social em pessoas com TAS.

Os pesquisadores ressaltam que os resultados desse estudo devem ser interpretados com cautela, apontando para a necessidade da realização de novas e mais amplas pesquisas.

No entanto, destacam que o “CBD tem vantagens importantes em comparação com os agentes farmacológicos atualmente disponíveis para o tratamento da TAS.”

O consumo prolongado de CBD não provoca o desenvolvimento de tolerância ou dependência da substância.

Além disso, possivelmente, reduz a chance de utilizar outras drogas.

O fato dos bons resultados terem aparecido com uma única dose de CBD é uma indicação da agilidade do tratamento.

“Assim, devido à ausência de efeitos psicoativos ou cognitivos, a seus perfis de segurança e tolerabilidade e a seu amplo espectro farmacológico, o CBD é possivelmente o canabinoide com maior probabilidade de ter achados iniciais de ansiedade traduzidos na prática clínica”, concluem os pesquisadores.

Quais outras doenças podem ser tratadas com o canabidiol?

Além dos transtornos de ansiedade, há estudos que investigam a eficácia das propriedades do canabidiol no tratamento uma série de doenças.

Veja algumas delas na lista abaixo:

  • Autismo
  • Câncer
  • Dependência química
  • Depressão
  • Diabetes
  • Doença de Alzheimer
  • Doença de Crohn
  • Doença de Parkinson
  • Doenças reumáticas
  • Danos hepáticos
  • Dor de cabeça, enxaqueca e outras dores
  • Endometriose
  • Enxaqueca
  • Epilepsia e convulsões
  • Esclerose Múltipla
  • Esquizofrenia
  • Fibromialgia
  • Insônia
  • Obesidade
  • Síndrome do pânico
  • Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)
  • Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT).

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar para você realizar uma consulta.

Como devo consumir CBD para ansiedade?

É importante ressaltar que o efeito do CBD contra a ansiedade nada tem a ver com o consumo recreativo da Cannabis sativa.

Segundo o Dr. Alexandre Crippa, chefe do departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Universidade de São Paulo, a relação entre Cannabis e ansiedade é paradoxal.

Embora muitos usuários de maconha fumada relatem a redução da ansiedade como motivação para o uso, episódios de intensa ansiedade ou pânico estão entre os efeitos indesejáveis mais comuns do consumo da planta.

Parte da explicação para essa contradição está no fato de que doses baixas de THC geram efeitos semelhantes a ansiolíticos. 

Mas THC em grande quantidade pode proporcionar o efeito oposto.

A melhor maneira de consumir CBD para ansiedade, portanto, é com produtos com concentração grande de canabidiol e baixa concentração de THC.

Assista ao vídeo abaixo, onde o Dr. Alexandre Crippa palestra sobre maconha, canabinoides e a sociedade durante o USP Talks:

Qual a dosagem de CBD que devo consumir?

Como destacamos antes, qualquer produto à base de canabidiol só pode ser comprado no Brasil com receita médica. 

E é o médico que vai receitar a dosagem, de acordo com o diagnóstico que ele fez da condição do paciente e com as recomendações do fabricante.

A sugestão, portanto, é que tenha uma conversa honesta com o profissional responsável pelo seu tratamento, já que não faltam artigos científicos que podem ser usados como argumentos.

Caso deseje uma segunda opinião, nesta página, é possível preencher um cadastro e agendar uma consulta com um médico prescritor de Cannabis da especialidade desejada.

Conclusão

Apesar de os pesquisadores alertarem para a necessidade de se ter cautela, os estudos são promissores na direção do uso do CBD para tratar transtornos de ansiedade, mais especificamente o Transtorno Ansioso Social Generalizado (TAS), popularmente conhecido como fobia social.

O melhor é que os produtos formulados a partir do canabidiol trazem muito menos efeitos colaterais que os fármacos ansiolíticos tradicionais (que ainda por cima causam dependência).

Se você gostou do artigo, compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email