Remédio para ansiedade fitoterápico: como são usados no tratamento?

Um remédio para ansiedade fitoterápico pode ser a solução que você precisa para transtornos de comportamento e para combater a insônia.
1

Em um país com tantos casos de ansiedade como o Brasil (9,3% da população), esse tipo de remédio é visto como uma saída de baixo custo e com ampla oferta nas farmácias.

No entanto, isso não significa que qualquer medicamento, apenas por ser natural, possa ser utilizado com eficácia.

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

Fosse assim, não existiriam os antidepressivos, os ansiolíticos e os benzodiazepínicos, não é mesmo?

Para ajudar você neste momento, vamos apresentar a partir de agora uma série de informações que vão facilitar a escolha pelo medicamento ideal.

Ao longo do texto, você vai entender melhor de que forma essas substâncias agem e quais vantagens e desvantagens elas possuem.

Não deixe de acompanhar até o final para descobrir qual é o melhor remédio para ansiedade fitoterápico.

Remédio para ansiedade fitoterápico: o que é um remédio fitoterápico?

O termo “fitoterápico” é a junção do prefixo “fito”, do grego “futon”, cujo significado é “vegetal” ou “planta”, com “terápico”, de “terapia”, ou seja, tratamento.

Sendo assim, um remédio para ansiedade fitoterápico é aquele que trata com o uso de plantas.

Não é nenhuma novidade a utilização de vegetais dos mais variados tipos no tratamento das enfermidades mais comuns.

Afinal, quem nunca ouviu falar do chá de quebra-pedra para tratar de dores intestinais ou do chá de camomila como calmante?

São substâncias ao alcance da maioria das pessoas, com muitas delas podendo ser cultivadas dentro de casa, em receitas que passam de geração para geração.

Embora estejamos falando sobre uma doença grave, um dos transtornos que podem ser tratados com esse tipo de remédio é justamente a ansiedade.

Vamos ver na sequência, então, de que forma os fitoterápicos atuam no combate a essa condição.

Como os remédios fitoterápicos agem no organismo para combater a ansiedade?

Todo medicamento contra a ansiedade age, basicamente, diminuindo a atividade cerebral, induzindo a uma redução nos níveis de tensão e estresse emocional.

Os benzodiazepínicos, por exemplo, atuam inibindo o neurotransmissor Ácido Gama Aminobutírico (GABA), ajudando a “frear” o sistema nervoso central (SNC).

Os fitoterápicos, em geral, têm um princípio ativo similar.

Ou seja, eles contribuem para diminuir o fluxo dos neurotransmissores, levando a um estado de consciência mais tranquilo.

No entanto, o transtorno de ansiedade é uma doença que se apresenta de diversas formas e com intensidades variadas.

Vale ressaltar que a ansiedade enquanto sentimento não tem nada de patológico, muito pelo contrário.

É totalmente normal nos sentirmos ansiosos em momentos de grande apreensão e expectativa.

Para essas situações, os fitoterápicos são eficazes para restabelecer o equilíbrio emocional e para evitar danos maiores causados por um estado ansioso.

Por outro lado, para os casos em que a ansiedade é diagnosticada como transtorno, pode ocorrer de determinadas soluções naturais não serem suficientes.

Afinal, as concentrações das substâncias ativas nos fitoterápicos geralmente são reduzidas.

De qualquer forma, eles não deixam de ser medicamentos e, como tais, devem ser usados com indicação médica.

Veja, a seguir, quais são os remédios fitoterápicos mais conhecidos e em que casos eles podem ser prescritos.

Remédio para ansiedade fitoterápico: quais são os principais?

É fundamental entender que o uso de plantas medicinais é uma coisa, ao passo que remédio fitoterápico é outra bem diferente.

No primeiro caso, você estará recorrendo ao vegetal em estado puro, sem a adição de outras substâncias em sua composição.

Por sua vez, os remédios fitoterápicos são produzidos artificialmente e, portanto, estão sujeitos às normas sanitárias da Anvisa para serem aprovados para o consumo.

Nesse sentido, é preciso ter atenção, já que nem toda substância natural é aprovada para utilização como composto ativo em medicamentos.

O próprio canabidiol (CBD), que vamos conhecer neste artigo, já esteve um dia entre os elementos proibidos no Brasil.

Outro exemplo é o seu “irmão” tetrahidrocanabinol (THC), que é outro composto retirado das plantas do gênero Cannabis.

Embora autorizado para fins medicinais, o THC deve ter sua concentração limitada a 0,02mg nos produtos por determinação da Anvisa.

Confira, então, quais são as substâncias que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprova como princípio ativo em medicamentos para ansiedade no Brasil.

Valeriana

Um dos fitoterápicos mais indicados para tratar da ansiedade é a valeriana, uma planta com propriedades medicinais pertencente à família das valerianáceas, cujo nome científico é Valeriana officinalis.

Conhecida em alguns lugares como valeriana-selvagem ou valeriana-das-boticas, é bastante utilizada para mitigar crises de ansiedade, reduzir a insônia e a agitação.

Amplamente comercializada, ela pode ser facilmente encontrada em farmácias, lojas de produtos naturais e supermercados, em formato de cápsulas, óleos ou raízes secas para o preparo de infusões.

Sendo um calmante natural, pode ser prescrito para melhorar a qualidade do sono e diminuir a fadiga mental.

Melissa

Você provavelmente conhece a melissa pelo nome que a tornou mais popular: erva-cidreira.

Trata-se de um dos mais difundidos calmantes naturais que existem, sendo largamente utilizada para reduzir a ansiedade.

Em alguns casos, ela também é usada como digestivo e até para tratar da herpes labial.

Normalmente consumida em chás e infusões, ainda pode ser administrada na forma de cápsulas, óleos e tinturas.

Outra maneira bem popular de ingeri-la é como água de melissa.

Um ponto positivo é que ela pode ser cultivada com bastante facilidade, já que é uma planta de pequeno porte e que não exige condições climáticas muito específicas para sobreviver.

Camomila

Talvez a camomila seja ainda mais popular que a erva-cidreira.

Seu uso é tão difundido que se tornou até um sinônimo de calmante, assim como o maracujá.

Tal como a fruta, a camomila é bastante utilizada como substrato para a produção de remédios.

Afora a ansiedade e a insônia, ela também tem propriedades que ajudam a combater resfriados, além de ação antibacteriana e anti-inflamatória.

Pode ser consumida na forma de chá ou em cápsulas, como é o caso de boa parte dos fitoterápicos produzidos com essa substância.

Passiflora

Já que falamos do maracujá, não poderíamos deixar de destacar a sua flor, na qual encontram-se muitas propriedades ansiolíticas: a passiflora.

Uma peculiaridade a respeito dessa planta é que há mais de 500 espécies conhecidas pela ciência, sendo a maioria delas encontrada em nosso país.

Fora o seu uso como calmante, ela também pode ser indicada como anti-inflamatório, graças à grande concentração de saparinas, que agem no sistema nervoso central.

Erva-de-São-João

Outro remédio caseiro bastante popular contra a ansiedade é a erva-de-São-João, ou hipérico (de Hypericum perforatum), como também é conhecida.

Ela é indicada para aliviar sintomas da depressão e, em alguns casos, como relaxante muscular.

Tal como as plantas do gênero Cannabis, ela é rica em substâncias ativas, com destaque para os flavonoides, os taninos e a hiperforina, entre outras.

Pode ser consumida na sua forma natural, em cápsulas ou tinturas, opções que são, inclusive, encontradas à venda em supermercados.

Tília

Uma curiosidade sobre as plantas medicinais no Brasil é que, com o tempo, atribuímos a boa parte delas nomes “carinhosos”.

A tília, por exemplo, pode ser mais conhecida se nos referirmos a ela pelos seus apelidos “tilha”, “teja” ou “texa”.

Seja qual for a nomenclatura usada, o certo é que essa planta pode ser eficaz para tratar de problemas como a ansiedade e a má digestão.

Tal qual a maioria dos fitoterápicos, ela pode ser facilmente encontrada à venda em farmácias e supermercados em forma de folhas e flores secas.

Alfazema

Assim como as plantas do gênero Cannabis, a alfazema (ou lavanda) se destaca por ser bastante versátil.

Ela pode ser usada para tratar não só da ansiedade como de problemas digestivos e até para minimizar dores e incômodos causados pela picada de insetos.

Afinal, ela tem entre as suas propriedades a ação calmante, relaxante e analgésica, além de antidepressiva.

Essa é mais uma planta usada como matéria-prima para fabricação de medicamentos fitoterápicos e que pode ser encontrada sem dificuldade em farmácias e supermercados.

Remédio para ansiedade fitoterápico é realmente eficaz?

Não restam dúvidas de que os fitoterápicos são eficazes para tratar da ansiedade.

Contudo, eles nem sempre são efetivos, porque, normalmente, as concentrações de substâncias ativas neles são reduzidas.

Isso quer dizer que eles têm potência bem mais limitada do que se comparados com os ansiolíticos produzidos artificialmente.

Quais são os outros métodos de tratamento para ansiedade?

Considerando as limitações dos remédios fitoterápicos, é comum que médicos prescrevam fármacos mais potentes para tratar da ansiedade.

Entre os mais utilizados estão o Clonazepam, o Alprazolam e o Diazepam, além de outros sedativos.

No entanto, esses medicamentos de uso controlado representam certo risco, já que podem causar dependência, fora os diversos efeitos adversos associados a eles.

É por isso que, em alternativa, os médicos têm se voltado para o canabidiol, um dos muitos canabinoides extraídos das plantas do gênero Cannabis.

O que é e para que serve o CBD?

Acredita-se que o homem já utilizava as plantas da família Cannabaceae e seus recursos medicinais há, pelo menos, 6 mil anos.

Delas se extraem os canabinoides, classe de substâncias que interagem com o sistema endocanabinoide ao serem ingeridas.

A ciência já conhece hoje mais de 100 deles, entre os quais se destacam:

  • Delta-9-Tetrahidrocanabinol (Δ9-THC)
  • Canabinol (CBN)
  • Canabicromeno (CBC)
  • Canabidivarina (CBDV)
  • Tetrahidrocanabivarina (THCV)
  • Ácido canabidiólico (CBDA)
  • Ácido tetrahidrocanabinólico (THCA).

Embora todos eles tenham propriedades curativas e terapêuticas, o maior destaque vai para o canabidiol.

Isso porque ele pode ser prescrito no tratamento de uma ampla variedade de doenças, condições e distúrbios.

Nenhum outro canabinoide oferece um leque tão amplo de possibilidades de uso medicinal quanto esse incrível composto.

Uma delas é o tratamento para a depressão e os transtornos de ansiedade em geral, como veremos no tópico a seguir.

Como o CBD pode ser consumido no tratamento de ansiedade?

A verdade é que poucas substâncias encontradas na natureza são tão poderosas e versáteis quanto o CBD.

Vale destacar que a ciência ainda não obteve uma prova definitiva da sua eficácia, mas, mesmo assim, não faltam evidências da sua ação curativa.

Uma delas vem da própria Organização Mundial de Saúde (OMS), que reconheceu as propriedades terapêuticas do canabidiol no relatório Critical Review Report, de 2018.

No documento, a entidade máxima de saúde em nível global admite que o CBD é efetivo, especialmente no tratamento da epilepsia.

Isso abre caminhos para uma nova abordagem para essa substância, como vem demonstrando a Anvisa no Brasil.

Por aqui, o canabidiol vem sendo amplamente usado para ajudar a mitigar o transtorno que mais afeta os brasileiros, a ansiedade.

Cabe observar que, de acordo com o artigo 10º da RDC Nº 327/2019, só é possível comprar medicamentos à base de CBD, inclusive importados, que sejam administrados via oral ou nasal.

Portanto, são essas as alternativas disponíveis para quem recorrer ao canabidiol para tratar da ansiedade e suas variantes.

Quais são os efeitos colaterais do CBD?

O CBD não seria tão popular se ele não apresentasse vantagens em relação aos fármacos convencionais.

O salto de qualidade quando se usa o canabidiol é que, além de ter uma ação mais rápida, ele não causa dependência, fora o efeito entourage, pelo qual ele se torna ainda mais potente.

Claro que, em alguns tratamentos, podem ser necessários ajustes na dosagem ao longo do tempo.

No entanto, isso não significa que o medicamento perca sua eficácia.

Pelo contrário, o ajuste na dose tem mais ver com uma espécie de “sintonia fina” até que seja encontrada a frequência e quantidade ideal de remédio por dia.

Além de não levar à dependência, o CBD raramente apresenta efeitos colaterais.

Quando existem, eles estão mais relacionados à potência (alta ou baixa demais), interação com outros medicamentos e uso paralelo de outras drogas.

É isso que sugere o artigo Cannabidiol Adverse Effects and Toxicity, de autoria de um grupo de pesquisadores da Universidade de Ancona, na Itália, e da Filadélfia, nos Estados Unidos.

Remédio para ansiedade fitoterápico: quais são as vantagens do tratamento com CBD?

Os fitoterápicos são uma alternativa a se considerar sempre, mas, para alguns tipos de ansiedade, eles podem não ser tão eficazes.

Em certos casos, é preciso um medicamento que seja ao mesmo tempo potente, mas que não cause dependência e não apresente efeitos adversos – pelo menos que não sejam graves.

Nesse ponto, o CBD leva considerável vantagem sobre seus outros, justamente por mesclar o poder dos fármacos convencionais com o baixo risco dos fitoterápicos.

É verdade que, diferentemente desses últimos, o canabidiol tem um custo de aquisição bem mais elevado.

No entanto, como tudo na vida, é preciso sempre considerar a relação custo-benefício.

Dependendo de quão grave seja o transtorno, vale mais a pena investir em uma solução próxima da definitiva do que arriscar com outras substâncias.

Assim sendo, o CBD vem a ser a opção mais interessante, porque, com ele, o paciente terá o melhor dos fármacos potentes com a segurança dos remédios naturais.

Como conseguir prescrição médica para CBD?

Em um mercado ainda incipiente como o brasileiro, a compra de medicamentos à base de CBD pode ser um pouco mais difícil que o esperado.

Mesmo que a Anvisa permita a produção desse tipo de fármaco, há outras barreiras a serem superadas até que tenhamos um mercado que se possa dizer livre.

A principal delas é a proibição do cultivo, entrave que obriga os laboratórios nacionais a importar a matéria-prima para fabricação de remédios com canabidiol.

Como consequência, a quantidade de opções disponíveis no país é bastante limitada, o que de certa forma explica a resistência que alguns médicos têm em prescrever CBD.

Por outro lado, quem recorre à Cannabis medicinal, normalmente, não tem muito tempo a perder e precisa de um tratamento urgente.

O que fazer, então, considerando a pouca oferta de medicamentos e a relutância de parte dos médicos em indicar o canabidiol?

Uma alternativa para encurtar o caminho é acessar o portal Cannabis & Saúde, onde disponibilizamos uma lista online e atualizada de especialistas.

Encontre o médico prescritor de CBD mais perto da sua casa ou, se preferir, marque sua consulta a distância com rapidez e comodidade.

Aproveite para conhecer também o serviço de concierge da CanTeraMed, que realiza para você todas as etapas do processo de compra e importação de medicamentos com canabidiol, com toda comodidade.

Clique e veja como importar produtos à base de Cannabis medicinal no Brasil.

Conclusão

Ao concluir este conteúdo, é sempre válido lembrar que existem os remédios fitoterápicos e as plantas que dão origem a esses medicamentos.

Uma coisa é tomar um chá de camomila e outra, bem diferente, é ingerir essa substância na forma de cápsulas.

Nesse último caso, temos um típico remédio para ansiedade fitoterápico que, como tal, deve ser usado com orientação médica.

Afinal, não é porque é natural que a sua eficácia é garantida.

É preciso considerar uma série de fatores antes de recorrer a um medicamento, independentemente da sua origem.

Além disso, como você viu ao longo do texto, nem sempre os fitoterápicos são poderosos o bastante para ajudar no tratamento dos casos mais agudos de ansiedade.

Para pessoas que sofrem de síndrome do pânico ou têm TOC, por exemplo, a abordagem pode pedir uma solução mais potente.

É onde o CBD se mostra superior aos outros medicamentos, já que ele tem a potência dos benzodiazepínicos, mas sem os riscos associados ao uso deles.

Esteja sempre a par dos avanços da medicina canabinoide. Leia os conteúdos publicados no portal Cannabis & Saúde e fique por dentro das novidades.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email