Spray à base de Cannabis combate sintomas da Esclerose Múltipla

14252

Estudo mostra a eficácia do remédio composto por THC e CDB em pacientes com a doença neurológica 

Pacientes com esclerose múltipla relatam alguns sintomas comuns, como a espasticidade. Em outras palavras, apresentam sinais de rigidez muscular, causadas pelas lesões em partes do sistema nervoso que controlam os movimentos voluntários. Há anos, a ciência comprova a eficácia da Cannabis na redução desses sintomas.

A novidade agora é outra: CBD e THC também podem melhorar outros problemas correlacionados, como o controle da bexiga, qualidade do sono, redução de dores e melhora do humor.

Para a pesquisa, comandada por neurologistas italianos, foram selecionados 1.615 pacientes. Os participantes eram elegíveis para tratamento com THC, tinham mais de 18 anos e apresentavam espasticidade moderada ou severa.

Os pesquisadores excluíram pessoas com doenças cardiovasculares graves, com histórico de doenças psiquiátricas, ou que faziam o uso da Cannabis ou de outras substâncias psicoativas de forma adulta. Todos os selecionados eram resistentes aos medicamentos disponíveis no mercado para tratar as manifestações da EM, que impactam fortemente a qualidade de vida.

Todos eles tomaram uma dose específica de Sativex, com THC e CBD – no Brasil, o medicamento é vendido sob o nome de Mevatyl. Ao final de um mês, 1.432 pacientes chegaram ao fim do experimento.

Resultados

Desses, 80% tiveram melhora em dois sintomas. Somente 13% amenizaram apenas um problema. “Nosso estudo confirmou que os benefícios terapêuticos dos canabinoides podem se estender além da espasticidade, melhorando os sintomas, mesmo em pacientes que não respondam a outros medicamentos” destaca o estudo.

Baseado nas descobertas, os pesquisadores salientaram que a melhora nos sintomas em pacientes não-responsivos dá pistas sobre o tratamento. Eles sugeriram que valeria a pena manter o tratamento por um período maior do que o de quatro semanas. De acordo com os neurologistas, a  eficácia pode ser ainda maior. Dessa forma, a Cannabis garantiria uma vida normal para pessoas com Esclerose Múltipla.

Sobre a EM

Segundo dados da Federação Internacional de Esclerose Múltipla, cerca de 2,5 milhões de pessoas convivem com a doença no mundo. No Brasil, o número estimado de casos é de 35 mil. Doença autoimune, a EM atinge o sistema nervoso central e causa destruição da proteína mielina. Além da medula e nervo ótico, o que gera problemas de equilíbrio, visão e movimentos musculares. A prevalência é mais alta em mulheres jovens, de 20 a 40 anos. 

A alteração do tônus muscular faz com que a pessoa fique com os músculos rígidos, dolorosos e difíceis de se mover.  Além disso, a condição gera sequelas para o sistema nervoso, e leva o indivíduo a incapacidades motoras.

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email