Guia completo sobre a síndrome de deficiência endocanabinoide

sistema-endocanabinoide

Doenças como enxaqueca e fibromialgia podem ter origem no desequilíbrio do sistema endocanabinoide. Cannabis é opção de tratamento

A teoria da síndrome de deficiência endocanabinoide foi elaborada por Ethan Russo, um cientista pioneiro e especialista em Cannabis medicinal. Ethan foi um dos primeiros estudiosos a defender o uso da maconha para tratar aids e câncer, numa época em que o tema ainda era um tabu.

Hoje, a Cannabis medicinal é totalmente legal e adquirir um medicamento à base de compostos da planta é bastante simples. Já existem diversas evidências que comprovam que a causa de determinadas patologias, como fibromialgia, enxaqueca e síndrome do intestino irritável, são derivadas do desequilíbrio do sistema endocanabinoide.

Para entender mais sobre a síndrome de deficiência endocanabinoide e compreender mais dos maiores benefícios da Cannabis medicinal, acompanhe a seguir!

O que é o sistema endocanabinoide?

sistema endocanabinoide consiste em uma ampla rede de sinais químicos e receptores celulares que interagem entre si, formados pelo cérebro e corpo de forma natural em nosso organismo. O sistema endocanabinoide envolve três principais componentes: substâncias endocanabinoides, receptores e enzimas responsáveis pela síntese e degradação dos endocanabinoides.

O primeiro endocanabinoide descoberto foi chamado de anandamida, que em sânscrito significa “felicidade”. Ele recebeu este nome, uma vez que a estrutura da substância é semelhante à dos canabinoides que são extraídos da planta Cannabis. O corpo humano produz endocanabinoides conforme necessário, e ainda hoje é difícil compreender quais são os níveis típicos para cada um.

Ethan Russo, criador da teoria da síndrome de deficiência de endocanabinoide explica que algumas condições de saúde, como a enxaqueca, a fibromialgia e a síndrome do intestino irritável, são causadas por uma quantidade insuficiente de canabinoides funcionando de forma equilibrada em nosso próprio sistema endocanabinoide.

Ao contrário dos neurotransmissores clássicos, os endocanabinoides não são armazenados nas células, por isso, são produzidos sob demanda por enzimas e liberados por neurônios. Quando o canabidiol (CBD), por exemplo, interage com o sistema endocanabinoide, ocorre a inibição da degradação da anandamida e de suas propriedades antioxidantes.

Algumas pesquisas sugerem que o CBD pode ajudar na dor, em náuseas e em outros sintomas associados à múltiplas condições de saúde. Mesmo que a comunidade científica ainda esteja tentando compreender completamente o funcionamento do sistema endocanabinoide, já há evidências de que o sistema endocanabinoide regula e controla inúmeras funções corporais, como:

  • memória e aprendizado;
  • sono;
  • controle da dor;
  • controle da temperatura;
  • processamento emocional;
  • respostas inflamatórias e imunes;
  • metabolismo;
  • apetite e digestão.

O sistema endocanabinoide, portanto, contribui diretamente para a homeostase, ou seja, a capacidade que o organismo possui de manter o ambiente interno estável em nosso corpo. A manutenção da homeostase é o principal papel do sistema endocanabinoide.

Qualquer lesão ou infecção, por exemplo, desequilibra a homeostase do corpo. Assim que o sistema endocanabinoide entra em ação, ele auxilia o organismo a retornar ao seu funcionamento ideal. Hoje, o sistema endocanabinoide já é considerado um sistema surpreendente, pelo qual o corpo humano sente e se mantém em equilíbrio.

Quando o sistema endocanabinoide está em desequilíbrio, o corpo tem mais chances de sofrer com a síndrome de deficiência de endocanabinoide e, consequentemente, de causar uma série de patologias. Isso porque qualquer desbalanço nas funções fisiológicas pode ser determinante para o desenvolvimento de transtornos e distúrbios.

O sistema endocanabinoide possibilita uma adequada comunicação e coordenação dos receptores de variados sistemas do organismo. Quando os receptores endocanabinoides são estimulados, ocorrem mecanismos fisiológicos que regulam uma série de funções, como os processos inflamatórios e de sinalização neuronal.

Os fitocanabinoides e os terpenos — principais compostos da Cannabis medicinal — são capazes de estimular os receptores e interagir com as substâncias endocanabinoides, interferindo positivamente em diversos aspectos, como regulação do apetite, gasto metabólico, qualidade do sono, entre outros. Por isso a importância de conhecer e de cuidar da saúde e prevenção do sistema endocanabinoide como um todo.

Quais os principais sintomas da síndrome de deficiência de endocanabinoide?

sistema endocanabinoide

Não há dúvidas que o sistema endocanabinoide existe para monitorar e manter em equilíbrio diversos sistemas biológicos vitais do corpo humano. O seu principal papel é auxiliar no restabelecimento do organismo, mantendo-o sempre em condições ideais de funcionamento.

Alguns pesquisadores acreditam que um sistema endocanabinoide deficiente pode ser a causa de uma série de condições médicas, como fibromialgia, enxaqueca e síndrome do intestino irritável. Isso porque os receptores endocanabinoides estão espalhados por nossos sistemas imunes e nervoso central, em órgãos principais e em partes do cérebro.

Tais receptores dividem-se em CB1 e CB2, e o seu papel é agir como ponto de acesso para os canabinoides, tanto internos quanto externos, na interação com o sistema endocanabinoide. Isso possibilita que o sistema ajude o corpo a manter a homeostase por meio de reações químicas, como já foi citado anteriormente.

A síndrome de deficiência de endonacabinoide acontece quando há qualquer tipo de distúrbio e problema que acomete o sistema endocanabinoide. Isso pode ocorrer, por exemplo, devido à falta de produção de endocanabinoides pelo corpo ou, ainda, pela existência de receptores defeituosos e inexistentes.

Por isso, quando o corpo não consegue manter o equilíbrio dos seus sistemas fisiológicos, as patologias e transtornos começam a surgir. Em geral, grande parte dos distúrbios estão ligados ao sistema imune, como explicou Ethan Russo, o primeiro cientista a propor o conceito de deficiência de endocanabinoide.

Há evidências científicas que a produção de anandamida é fundamental para reduzir a ocorrência de patologias relacionadas à síndrome de deficiência de endocanabinoide. Atualmente, grande parte dos pacientes recebem a prescrição para fazer uso de antidepressivos, anticolinérgicos e opioides que apresentam resultados insatisfatórios no tratamento.

A Cannabis medicinal surge, justamente, como uma alternativa segura e totalmente legal que oferece benefícios surpreendentes para a regulação do sistema endocanabinoide. A utilização de extratos da planta, por exemplo, diminuem os espasmos abdominais, as cólicas e a dor visceral, sintomas naturais da síndrome do intestino irritável.

Da mesma forma, o sistema endocanabinoide oferece as condições naturais para que o organismo humano se favoreça das propriedades terapêuticas da Cannabis medicinal. O THC e o CBD, compostos da planta, influenciam diretamente os receptores canabinoides, sendo extremamente significativos em situações de desequilíbrio.

Quais são os maiores benefícios da Cannabis medicinal no tratamento das patologias?

Cada vez mais surgem evidências dos benefícios da Cannabis medicinal para o bom regulamento e equilíbrio do organismo. As substâncias presentes na planta, principalmente o CBD e o THC, oferecem utilidades médicas significativas e já são utilizadas como alternativa terapêutica para o tratamento de diferentes patologias.

O CBD, por exemplo, regula a homeostase e atua em diversos sinais e sintomas, como falta de apetite, dor, inflamação, insônia, humor, falta de memória, entre outros. A Cannabis medicinal também tem importância em tratamentos de esclerose múltipla, câncer, Alzheimer e Parkinson.

O extrato de Cannabis, como o óleo in natura, pode ser administrado e ingerido por diversas vias, principalmente a oral ou sublingual. Ainda é possível realizar a ingestão em forma de chá, cápsulas, produtos de uso tópico, como pomadas, cremes, óleos de massagem, adesivos transdérmicos, supositórios e vaporizadores.

No Brasil, já existem alguns medicamentos à base de Cannabis medicinal autorizados para comercialização. Nesse caso, o paciente precisa apresentar receita médica e a autorização da Anvisa, caso deseje importar outros produtos com a substância. Assim, é possível utilizar o extrato da planta de forma totalmente legal e sem burocracias, tendo todos os excelentes benefícios da Cannabis para a saúde.

A síndrome de deficiência de endocanabinoide causa uma série de disfunções e patologias no organismo. Ethan Russo destacou em um de seus estudos, três principais transtornos que são causados pelo desequilíbrio do sistema endocanabinoide: fibromialgia, enxaqueca e síndrome do intestino irritável. A prova que Ethan Russo apresenta aponta que existem complicações com os sistemas neurotransmissores específicos que se conectam ao sistema endocanabinoide.

Uma solução, portanto, para o tratamento clínico da síndrome de deficiência de endocanabinoide, seria o uso contínuo de CBD. Isso porque a substância pode estimular os receptores CB1 e CB2, aumentando os níveis de anandamida. Sem dúvidas, os pacientes que sofrem de fibromialgia, enxaqueca e síndrome do intestino irritável podem ter melhoras consideráveis com o auxílio da Cannabis medicinal.

O receptor CB1 está presente no sistema nervoso central e entérico, no córtex, cerebelo, hipocampo, nas células adiposas e endoteliais, no fígado e trato gastrointestinal. Já os receptores CB2 estão amplamente presentes nas células e nos tecidos do sistema imunológico, o que evidencia ainda mais o potencial anti-inflamatório e imunomodulador de tais receptores.

Ethan Russo fez um grande trabalho para provar o potencial da Cannabis medicinal em relação aos sintomas da fibromialgia, da enxaqueca e da síndrome do intestino irritável. De acordo com Ethan, esses distúrbios têm muito em comum, uma vez que envolvem uma espécie de hipersensibilidade à dor.

Outro aspecto em comum é que os medicamentos convencionais geralmente não funcionam bem para o tratamento de tais patologias. Ethan Russo traz algumas informações interessantes sobre cada um dos distúrbios, explicando como a deficiência do sistema endocanabinoide pode prejudicar os pacientes com fibromialgia, enxaqueca e síndrome do intestino irritável.

Confira mais sobre o assunto a seguir.

Fibromialgia

Quem sofre de fibromialgia sabe como tarefas simples do cotidiano podem ser extremamente dolorosas, exaustivas e, em alguns casos, totalmente impossíveis de serem realizadas. De acordo com Ethan, a fibromialgia pode estar relacionada à deficiência clínica de endocanabinoide. A patologia gera dor crônica e pode se estender por diversas partes do corpo.

Outros sintomas são: fadiga, depressão, ansiedade, insônia, alterações intestinais, entre outros. Em geral, o paciente tem um aumento frequente da sensibilidade à dor em certos músculos e tecidos fibrosos, mesmo que grande parte dos exames do tecido não consigam revelar nenhum problema específico para explicar a condição clínica.

A Cannabis medicinal têm sido frequentemente utilizada por pacientes com fibromialgia para tratar seus diversos sintomas. O reflexo desses problemas atinge diretamente a qualidade de vida, podendo causar, em alguns casos, incapacidade física e psicológica.

O uso de fitocanabinoides, presente no extrato da Cannabis, pode ser uma terapia alternativa de baixo custo e bastante eficiente para reduzir os sintomas e aumentar o bem-estar. Já existem inúmeras evidências científicas que comprovam a eficácia da Cannabis medicinal na redução da dor crônica —  o que pode representar um alívio enorme para pacientes com fibromialgia.

Enxaqueca

No caso da enxaqueca, também há evidências que comprovam que a Cannabis medicinal tem potencial terapêutico no tratamento da enxaqueca. Além da enxaqueca, o THC e CBD ajudam a aliviar os sintomas mais comuns da enxaqueca, como náuseas e vômitos.

O distúrbio afeta diretamente o sistema nervoso e se caracteriza por cefaleias recorrentes. A enxaqueca está associada à dor, incapacidade para atividades comuns e rotineiras, além de prejuízo na qualidade de vida. Em geral, a enxaqueca se manifesta em diferentes fases, cada uma com sintomas próprios.

Em uma crise de enxaqueca, as células desenvolvem uma sensibilidade maior do que o normal, acabando por irradiar os sintomas até o nervo trigêmeo — um sistema que envolve grandes áreas do crânio e que está em permanente contato com os vasos sanguíneos no cérebro.

O extrato da Cannabis medicinal surge, justamente, como alternativa natural no combate à patologia. Isso porque as crises de enxaqueca podem ter ligação com a deficiência na produção de anandamida, tornando a Cannabis medicinal uma espécie de repositora dos canabinoides naturais do organismo humano.

Síndrome do intestino irritável

O sistema endocanabinoide também desempenha um papel fundamental da homeostase no sistema digestivo, envolvendo processos biológicos internos que levam à náusea, vômito e inflamação intestinais. Por isso, a Cannabis medicinal pode ser uma alternativa eficaz para o tratamento de patologias que afetam o trato gastrointestinal, como a síndrome do intestino irritável.

O THC, por exemplo, ajuda a ativar tanto o CB1 quanto o CB2, auxiliando na redução da motilidade e da inflamação. Além de que a ativação dos receptores CB1 inibe a dor visceral que atinge os órgãos internos. A inflamação consegue ser revertida, graças à ação dos endocanabinoides presentes em diversas partes do corpo, inclusive no intestino.

A síndrome do intestino irritável é um transtorno bastante comum, afetando primeiramente o intestino grosso. Os sintomas mais comuns são: dores abdominais, inchaço, cólicas estomacais, constipação, diarreia, perda de peso, muco nas fezes, sangramento retal, vômito, entre outros.

Felizmente, muitos dos sintomas podem ser aliviados pela Cannabis medicinal. Algumas pesquisas, como a de Ethan Russo, demonstram que o extrato da planta ajuda a diminuir a inflamação, dor, ansiedade, sensação geral de mal-estar e, ainda, controla uma série de sistemas e funções corporais.

Como iniciar um tratamento com Cannabis medicinal?

sistema endocanabinoide o que e-como funciona cannabis medicinal

Você deve ter percebido que o tratamento com Cannabis medicinal é benéfico por uma série de motivos. Desde dezembro de 2019, o Brasil regulamentou o registro de medicamentos à base de canabidiol, facilitando consideravelmente a vida de pacientes que precisam utilizar medicamentos e produtos em tratamentos clínicos.

No entanto, a Anvisa declarou que os medicamentos à base de Cannabis só podem ser adquiridos com a apresentação de prescrição médica. Hoje, já é possível encontrar medicamentos prontos para consumo em farmácias e drogarias em todo o país. Ainda há a opção de comprar produtos importados, desde que o paciente apresente a autorização de importação específica expedida pela Anvisa.

É importante destacar que os tratamentos medicinais com os canabinoides geralmente são feitos via óleos, ricos em dois principais componentes da planta: o CBD e o THC. O Conselho Federal de Medicina recomenda o uso compassivo do medicamento, ou seja, ele só deve ser receitado depois que as alternativas convencionais já tenham sido testadas pelo paciente.

A utilização desse tipo de medicamento tem sido aplicado à diversas patologias físicas e psiquiátricas, uma vez que as substâncias ativas da planta contam com propriedades anti-inflamatórias, imuno moduladoras, anticonvulsivantes e neuroprotetoras. Assim, a Cannabis medicinal é útil para o tratamento de uma série de distúrbios, como epilepsia, fibromialgia, autismo, enxaqueca, Alzheimer, ansiedade, depressão, entre outros.

Como todo medicamento, a Cannabis também apresenta reações adversas, como tontura, boca seca, náuseas, vômitos e psicose. Apesar de tais efeitos colaterais, os pacientes têm uma melhora significativa na qualidade de vida e no bem-estar. A eficácia da Cannabis varia de acordo com as características da planta, os métodos de uso, a idade e o sexo do paciente.

A dosagem ideal de um produto medicinal de Cannabis é difícil de ser estipulada, devido à variação entre os usuários. Mas alguns estudos já demonstram que a junção do THC com o CBD tem um resultado superior quando utilizado como profilático, apresentando melhora significativa na eficácia do medicamento.

Quem deseja iniciar um tratamento com Cannabis medicinal deve estar atento às regulamentações do Governo Federal para a liberação dos medicamentos e produtos à base da planta. Recentemente, em outubro de 2021, a Anvisa publicou a RDC 570/2021, trazendo novas especificações para os pacientes que querem importar e se tratar com Cannabis.

Confira, a seguir, quais foram os pontos de destaque da RDC 570/2021:

  • aprovação de cadastros e acesso a produtos derivados de Cannabis de forma mais ágil;
  • criação de um sistema de emissão de Notas Técnicas que apresenta a listagem dos produtos autorizados no país, gerenciado pela Gerência de Produtos Controlados da Anvisa (GPCON);
  • inclusão de outros produtos, mediante solicitação e comprovação de regularidade, e após a verificação dos critérios mínimos de regularidade dos produtores em seus países de origem;
  • obrigatoriedade da prescrição da receita médica para obter derivados de Cannabis, com prazo de validade de 6 meses a partir da emissão do documento.

Passo a passo para a aquisição de produtos à base de Cannabis medicinal

óleo de Cannabis

Desde que a Anvisa regulamentou o uso de produtos e medicamentos à base de Cannabis medicinal no Brasil, inúmeros pacientes já iniciaram o tratamento com os compostos e as substâncias da planta. Para ter acesso simples e seguro à Cannabis no país, é importante seguir alguns passos.

A seguir destacamos os principais.

Consulte um médico prescritor

O primeiro passo é marcar uma consulta de avaliação com um médico para receber a prescrição necessária e, com isso, realizar a compra de produtos à base de Cannabis. Hoje, já existem inúmeros médicos e especialistas que oferecem este tipo de receita aos pacientes com os mais variados transtornos e patologias.

A prescrição deve delimitar se o produto a ser adquirido tem THC ou CBD em sua composição, ou se o extrato deve conter ambos os compostos (full spectrum). Com a receita médica, o paciente pode adquirir o medicamento diretamente em uma farmácia ou solicitar a importância diretamente na Anvisa.

Solicite a autorização da Anvisa

Caso o médico prescreva um produto importado, o paciente precisará ter uma autorização de importação expedido pela Anvisa. Para isso, é necessário acessar o portal de serviços do Governo Federal, preencher a solicitação e anexar os documentos exigidos, incluindo a receita médica com a assinatura do médico prescritor.

Geralmente, os fornecedores e representantes dos produtos comercializados no país contam com uma equipe específica para auxiliar os pacientes nessa parte do processo. As liberações de importação ocorrem em um prazo de até duas semanas, sendo que a aprovação tem validade de dois anos.

Compre ou importe o medicamento

Com a receita médica e a autorização da Anvisa em mãos, o paciente pode adquirir o produto derivado de Cannabis medicinal diretamente em uma farmácia ou comprar um medicamento importado de uma marca confiável. Hoje, existem algumas opções disponíveis no mercado brasileiro, tanto com CBD e THC, quanto com CBD isolado em sua composição.

No total, a Anvisa já aprovou nove produtos de Cannabis no Brasil que podem ser comercializados livremente em farmácias e drogarias. Os extratos vegetais têm composição complexa e diferentes concentrações de canabinoides, e contém diversas substâncias ativas que agem por diferentes mecanismos no corpo humano.

Atualmente, os produtos medicinais à base de Cannabis aprovados pela Anvisa são:

  • Canabidiol Prati-Donaduzzi;
  • Canabidiol NuNature;
  • Canabidiol Farmanguinhos;
  • Canabidiol Verdemed;
  • Extrato de Cannabis sativa Promediol;
  • Extrato de Cannabis sativa Zion Medpharma;
  • Extrato de Cannabis sativa Alafiamed.

Tendo em vista os malefícios que a síndrome de deficiência de endocanabinoide causa na saúde como um todo, é importante considerar um tratamento à base de canabinoides. O primeiro passo, portanto, é agendar uma consulta com um médico prescritor de Cannabis.

Acesse o Portal Cannabis e Saúde e encontre agora mesmo um médico especializado para agendar a sua consulta com agilidade e sem burocracia. Basta buscar por especialidade, patologias, valor da consulta, cidade, estado e tipo da consulta (telemedicina ou presencial).

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email