O que é CBN (canabinol) e quais os benefícios deste canabinoide?

canabinoides o que são

Saiba tudo sobre esta substância da Cannabis com potencial anti-inflamatório, antibacteriano, anticonvulsivo, analgésico e no combate à insônia

Quando se fala em Cannabis medicinal existem dois elementos muito populares: THC e CBD. Tratam-se de substâncias presentes na planta e que possuem propriedades terapêuticas ou até mesmo psicoativas — útil para quem faz uso recreativo. Mas além dessas substâncias, existe também o CBN, ou canabinol.

O CBN é um elemento presente em menor quantidade na Cannabis, mas isso não faz dele irrelevante quando o assunto é tratamento medicinal. Na verdade, diversos estudos apontam o potencial anti-inflamatório, antibacteriano, anticonvulsivo, analgésico, anti-insônia do canabinol.

Logo, aproveitar conjuntamente os benefícios do CBN e até de outras substâncias mais conhecidas, como THC e CBD, pode ser muito útil na medicina. Afinal, existem diversas doenças de difícil controle ou que os medicamentos convencionais apresentam muitos efeitos colaterais. Então, pensar em tratamentos alternativos é sempre bem-vindo.

Sentiu curiosidade e quer saber mais informações sobre o CBN? Continue a leitura e saiba como essa substância pode ser benéfica na Cannabis medicinal, por exemplo, e muito mais!

O que é Cannabis medicinal?

O primeiro passo para um maior aprofundamento no assunto é entender a definição de Cannabis medicinal. Assim, saiba que ela se trata de um tratamento medicinal alternativo para substituir ou complementar os tradicionais e que nem sempre apresentam resultados satisfatórios.

Esse tratamento ocorre a partir das propriedades terapêuticas oferecidas pela planta Cannabis. Essa planta se desenvolve em vários lugares do mundo, principalmente em regiões temperadas e tropicais. As folhas, flores e caules são formadas por mais de 400 componentes químicos, muitos deles oferecem inúmeros benefícios à saúde.

A Cannabis medicinal é conhecida e adotada por diversas civilizações há mais de 12.000 anos. Assim, ela contribuiu para o tratamento de dores físicas e transtornos mentais em muitas pessoas. Do mesmo modo, existem pessoas que utilizam a planta unicamente para obter seus efeitos psicoativos, como euforia e confusão mental.

É preciso deixar claro que esse último tipo de uso pode não ser útil para o tratamento de patologias, principalmente quando usado indiscriminadamente. Além disso, é válido mencionar que os estudos em torno da Cannabis medicinal evoluíram muito ao longo dos últimos 12.000 anos.

Então, existe mais embasamento e rigidez na fiscalização para garantir um tratamento com segurança e eficácia a partir da planta, o que também afasta as chances de efeitos indesejáveis. Esses estudos giram em torno principalmente dos compostos químicos presentes na Cannabis, como os canabinoides, por exemplo.

O que são canabinoides?

Conforme citado, os canabinoides são alguns dos compostos químicos presentes na planta medicinal em questão. Além desse e de outros vegetais, os seres humanos também produzem os canabinoides. Nesse último tipo de produção, o nome recebido é endocanabinoides ou canabinoides endógenos.

Seja como for, saiba que isso possibilita com que os compostos da Cannabis se associam aos dos humanos. Isso contribui para o equilíbrio das funções do corpo e serve para fins terapêuticos. Como existem centenas de canabinoides na planta, eles podem ser muito eficientes no tratamento de diversas patologias.

Para entender mais sobre a ação desses elementos na medicina, foi preciso isolar cada um dos canabinoides e estudar a sua estrutura. Apesar de o THC e CBD serem os mais conhecidos na medicina, o CBN foi o primeiro elemento a ser estudado. Ainda assim, os estudos sobre ele ainda são limitados, mas já mostram o potencial dele para a medicina.

O que é o canabinol (CBN)?

Após entender do que se trata os canabinoides, é importante descobrir mais sobre um de seus representantes: o CBN. Assim, saiba que esse composto é criado a partir da deterioração do THC, ocorrida em casos de aquecimento ou exposição ao oxigênio.

Logo, é mais comum encontrar o canabinol em plantas envelhecidas ou oxidadas. De qualquer maneira, a porcentagem desse canabinoide, mesmo nesses casos, ainda é muito pequena e até inferior a 1%.

Outra curiosidade sobre esse composto é seu pouco potencial psicoativo quando usado isoladamente, mesmo que seja produzido a partir do THC. Isto é, o THC é o canabinoide com maior potencial de alteração cognitiva.

Atuação do CBN

As propriedades medicinais do canabinol ocorrem devido a sua ligação com o sistema endocanabinoide, o ECS. Ele é formado pelos endocanabinoides, enzimas e receptores de canabinoides. Entenda:

  • endocanabinoides: são os elementos sintetizados no corpo humano;
  • receptores de canabinoides: os mais importantes são o CB1 e CB2 e aparecem em diferentes células do corpo;
  • enzimas: são proteínas que catalisam reações químicas

Ou seja, o sistema endocanabinoide é responsável pelo equilíbrio das funções do corpo. Então, ele funciona ao regularizar sistema imunológico, apetite, sono, humor, percepção da dor etc. O canabinol tem uma maior afinidade de ligação com o receptor CB2. Na prática, isso mostra que o CBN é útil, por exemplo, para ajudar no controle de dores no corpo.

Quais são os efeitos do CBN no corpo?

Após entender o modo como o canabinol atua, é o momento de conhecer mais sobre os efeitos que esse canabinoide ocasiona no corpo. Então, acompanhe a seguir alguns dos principais benefícios oferecidos por esse componente!

Neuroprotetor

Existem muitos indícios que mostram o potencial do CBD no atraso e controle da Esclerose Múltipla Lateral Amiotrófica (ELA). A Ela é uma patologia que afeta as células nervosas e enfraquece o funcionamento dos músculos e as suas funções físicas.

Resultados como esses são benéficos para a medicina, já que ainda existem poucas opções terapêuticas para esse tratamento. Então, juntamente com o CBD, saiba que o CBN pode ser ainda mais útil nesse cuidado e atuar como um neuroprotetor. Essas evidências foram alcançadas a partir de estudos com camundongos.

Eles mostraram a influência da Cannabis no retardo da doença e na sobrevivência do animal. Os benefícios do CBN ficam ainda mais nítidos por se tratar de um elemento não psicotrópico, diferentemente do THC. Isso diminui os riscos de dependência do produto a médio e longo prazo.

De todo modo, ainda é necessário ampliar os estudos e envolver humanos nas pesquisas para ter resultados mais conclusivos sobre o tratamento da ELA e de outras patologias neurodegenerativas.

Anti-inflamatório

Outro estudo realizado com roedores evidenciam o potencial anti-inflamatório do CBN. Essa descoberta é especialmente benéfica porque muitos medicamentos convencionais contra dores apresentam reações adversas no uso prolongado. Logo, contar com tratamentos alternativos pode elevar a qualidade de vida do paciente.

Diante disso, o CBN, por exemplo, pode ser útil no tratamento de patologias que se caracterizam por inflamação agudas e crônicas. É o caso da artrite, que consiste na destruição gradativa da cartilagem articular e de uma maior rigidez nos músculos. Assim, outros problemas relacionados também tendem a surgir, como insônia e estresse.

Além dela, a artrose é outro problema inflamatório, dessa vez nas cartilagens do corpo, e que pode ser tratado com a Cannabis. O melhor de tudo é que os estudos realizados sinalizam para o potencial dos canabinoides no tratamento da inflamação crônica, cujos anti-inflamatórios tradicionais costumam oferecer resultados insatisfatórios a médio e longo prazo.

Antibacteriano

Um dos principais problemas no combate a patologias bacterianas é a resistência dos antibióticos, o que ocasionou na AMR. Inclusive, existem estimativas de que as mortes mundiais podem chegar a 10 milhões anualmente até 2050 devido a essa resistência.

Diante desse cenário, algumas pesquisas mostram o potencial do canabinol como agente antibacteriano no combate a infecções e com menor índice de tolerância. Além desse canabinoide, o THC, CBD e os demais principais também apresentaram potencial terapêutico contra bactérias.

Glaucoma

Outra propriedade terapêutica do canabinol evidenciada em estudos é o potencial de redução da pressão intraocular. Essa pressão é um dos principais riscos para o desenvolvimento de glaucoma. Essa patologia resulta em lesões no nervo ótico e em casos mais graves, no comprometimento total da visão.

Devido à gravidade desse quadro, diversos estudos avaliaram o potencial da Cannabis medicinal nesse problema. Logo, existem evidências de que assim como o THC, o CBN pode reduzir a pressão intraocular.

Qual a diferença entre CBN e outros canabinoides?

canabinoides o que são

Conseguiu entender quais são os principais benefícios terapêuticos oferecidos pelo canabinol? Agora é o momento de acompanhar com mais profundidade como ele se diferencia de outros canabinoides. Confira!

THC

Como visto, o canabinol é derivado do THC. Este trata-se de um dos canabinoides mais populares, principalmente por ser o responsável pelos efeitos recreativos da planta. Por razões como essas, o THC comumente é visto como um elemento negativo, o que também contribuiu para a proibição da Cannabis em diversas localidades.

Entretanto, o THC já é muito reconhecido pela medicina também pelas suas propriedades medicinais. Inclusive, em muitos casos os demais canabinoides, como o CBD, podem ser mais eficazes ao atuar conjuntamente com o THC do que isolados.

Assim, entre os principais benefícios medicinais proporcionados pelo THC está a redução de náuseas, dores, estresse, insônia e elevação do apetite. Por isso, ele tende a ser muito útil em tratamentos oncológicos e quimioterápicos. Então, existem alguns analgésicos e antiemético que utilizam esse elemento nas fórmulas.

CBD

CBD, ou canabidiol, é outro componente químico da Cannabis. Desta vez, trata-se de um dos mais queridinhos da medicina. Inclusive, essa substância já foi retirada da lista de substâncias proibidas no Brasil e foi reclassificada pela Anvisa como uma controlada.

Ou seja, houve o reconhecimento oficial do potencial terapêutico do CBD. Isso envolve a eficácia do elemento no tratamento de epilepsia resistente, ansiedade, depressão, esquizofrenia e muitas outras enfermidades. O melhor de tudo é que existem cerca de 40% do CBD nos extratos da planta, o que representa uma boa quantidade útil para fins médicos.

CBG

CBG refere-se ao canabinoide cannabigerol, ele não é psicoativo e é muito presente em plantas com uma menor concentração de THC. Assim como no caso do CBN, ainda é necessário maiores avanços nos estudos desse elemento. No entanto, já é possível avaliar os seus potenciais terapêuticos.

É o que mostra o relatório desenvolvido pela The Green Hub, que mostra como o CBG pode atuar como um antibacteriano, anticancerígeno, anti-inflamatório e analgésico. Outras sinalizações do estudo dizem respeito ao potencial no tratamento de glaucoma e epilepsia.

THCv

O THCv, como o próprio nome sugere, tem semelhanças com a estrutura molecular e as propriedades psicoativas do THC. Apesar disso, o modo de atuação deles é bem diferente. Por exemplo, enquanto o último estimula o apetite — benéfico no tratamento de pacientes com câncer —, o THCv inibe. Assim, ele é útil para quadros de obesidade e compulsão alimentar.

THCA

O THCA é outro composto químico com estrutura molecular similar ao THC. Nesse caso, trata-se da versão na forma ácida e com propriedades psicoativas. Os estudos desenvolvidos até o momento mostram que o THCA tende a ser eficiente no tratamento de transtornos que prejudicam o sistema imunológico. É o caso da AIDS e esclerose múltipla, por exemplo.

CBDV

O CBDV tem estrutura molecular e benefícios terapêuticos similares ao CDB. As principais atuações dessa substância química são no tratamento de doenças neurocomportamentais. Então, ele pode ser útil ao controlar convulsões, evitar distrofia muscular e resgatar a memória do paciente afetado por essa patologia.

É válido mencionar que os anticonvulsivantes tradicionais nem sempre oferecem resultados satisfatórios, principalmente em transtornos mais severos. Isto é, o paciente pode se tornar tolerante a eles, mesmo com a dosagem alinhada às necessidades de cada um. Então, contar com a Cannabis medicinal pode ser uma alternativa.

CBC

O CBC não é um dos canabinoides mais conhecidos por benefícios terapêuticos. Apesar disso, ele pode ser muito eficiente no combate a dores musculares, sintomas relacionados ao tratamento de câncer, inflamação, depressão e outros transtornos.

Isso ocorre porque o CBC ativa os receptores do organismo e eleva os níveis dos endocanabinoides do corpo. Assim, torna-se mais fácil garantir o equilíbrio das funções. Outro ponto positivo do CBC é a sua capacidade de agir conjuntamente com outros canabinoides, o que potencializa os resultados.

Quais são os benefícios terapêuticos do uso medicinal da Cannabis?

Conseguiu entender mais sobre as características e funções dos principais canabinoides? Agora é o momento de conhecer mais sobre as vantagens terapêuticas do uso medicinal da Cannabis. Isto é, você já descobriu que esse tipo de medicina pode servir como um tratamento complementar ou de substituição aos convencionais.

Afinal, eles nem sempre são eficazes para a gravidade do transtorno ou demais necessidades do paciente. Isso fica especialmente nítido no caso de patologias mais graves e crônicas, que exigem uma administração médica constante.

Afinal, nesses casos os medicamentos tradicionais podem se tornar tolerantes, como ocorreu no uso de antibióticos, o que causou uma resistência bacteriana. Assim, os medicamentos diminuem os efeitos e é necessário elevar cada vez mais as doses.

Além disso, outro ponto negativo de muitos remédios convencionais é o surgimento de efeitos colaterais, dos mais leves aos graves. Todos esses fatores podem comprometer a qualidade de vida dos pacientes. Para entender mais sobre isso, acompanhe as principais patologias que podem ser tratadas pelos canabinoides a seguir.

Ansiedade e depressão

Tanto a ansiedade quanto a depressão são transtornos que prejudicam a vida pessoal e a profissional do indivíduo. Em casos mais graves da depressão, por exemplo, o indivíduo pode chegar ao suicídio. Conforme dados da OMS, existem 322 milhões de casos de depressão em todo mundo. E ainda, a mesma instituição afirma que o Brasil é o país com maior taxa de ansiedade.

Para contornar esses quadros, os antidepressivos costumam ser receitados pelos médicos. Entretanto, eles podem trazer muitos efeitos colaterais, como diminuição da libido, dependência química, cefaleia etc. Outro problema é que eles nem sempre oferecem resultados satisfatórios, principalmente a médio a longo prazo.

Epilepsia 

A epilepsia é caracterizada pelo surgimento de convulsões, o que pode necessitar de internações, caso o quadro do paciente não seja controlado com remédios. Especialmente em casos mais graves, como na síndrome de Dravet, o uso de remédios diários nem sempre é suficiente.

Por motivos como esses, muitos pacientes brasileiros portadores desse transtorno passaram a usar a Cannabis medicinal como alternativa. Isso porque a administração de doses de CDB pode ser suficiente para tratar o quadro. Logo, é possível elevar a qualidade de vida do paciente de uma maneira de medicações tradicionais nem sempre conseguem.

Cefaleia

A cefaleia é conhecida popularmente como dor de cabeça ou enxaqueca. Principalmente quando se trata de um problema crônico, ela costuma comprometer bastante a qualidade de vida dos pacientes. Nesses casos, o uso contínuo de remédios comuns tende a ocasionar alguns efeitos, como dores musculares e no estômago.

Por outro lado, existe a possibilidade de uso da Cannabis medicinal. Ele envolve os canabinoides THC e CBD, que juntos podem oferecer resultados mais eficientes e um menor índice de efeitos colaterais.

Parkinson

O transtorno de Parkinson afeta gradativamente o sistema nervoso central de forma crônica. Então, é preciso que o tratamento adotado seja constante e foque na minimização dos sintomas e sinais surgidos. É o caso de tremores involuntários, dores musculares, lentidão nos movimentos etc.

A necessidade de manter um tratamento constante pode fazer com que os medicamentos utilizados se tornem tolerantes com o tempo. Diante disso, a Cannabis medicinal, mais especificamente o canabinol, surge como uma opção que protege o organismo contra a degeneração dos neurônios. Assim, os sintomas ficam controlados por mais tempo.

Esquizofrenia

A esquizofrenia é considerada um transtorno psiquiátrico grave, já que causa alteração nos sentimentos, pensamentos e comportamentos do paciente. Assim, os principais sintomas costumam ser alucinações, dificuldade de raciocínio etc.

Para controlar o quadro, medicamentos antipsicóticos costumam ser adotados. Porém, entre 40% e 60% dos pacientes não conseguem controlar totalmente os seus sintomas, o que exige o uso de tratamentos alternativos. É nesse sentido que a Cannabis entra em cena e pode apresentar melhores resultados.

O uso de CBN é legal no Brasil?

Após entender os benefícios medicinais da Cannabis, é o momento de conhecer mais sobre a regulamentação desse uso no Brasil para iniciar o tratamento. Então, saiba que a Anvisa liberou, desde 2019, a venda de produtos à base dessa planta em farmácias para uso medicinal.

Os primeiros passos para essa decisão começaram a surgir em 2015, quando o CDB foi retirado da lista de substâncias proibidas. No ano seguinte, foi a vez do THC, de onde deriva o CBN, receber essa reclassificação. O outro avanço foi a autorização de importação de produtos para uso pessoal e médico do CDB em associação com outros canabinoides.

Atualmente, já é possível que esses produtos sejam consumidos em território nacional, o que torna essa aquisição mais acessível e rápida para os pacientes. Em outras palavras, iniciar o tratamento com a Cannabis medicinal pode ser mais simples do que o imaginado.

Como encontrar produtos de CBN no Brasil?

Dr. Paulo Fleury oleo no tratamento o que dizem os estudos do

Entendeu sobre a regulamentação da Cannabis medicinal no Brasil? Agora é o momento de descobrir como encontrar produtos à base de CBN em nosso país. Então, saiba que a aquisição desse e de qualquer outro canabinoide precisa de prescrição médica. Ela deve variar conforme as necessidades de cada paciente e as particularidades da patologia a ser tratada.

Nesse sentido, é o médico que deve determinar a necessidade de CBN e a quantidade de concentração desse canabinoide. A mesma lógica serve para as demais substâncias químicas, como THC e CBD. De todo modo, saiba que os produtos à base da planta estão disponíveis em forma de óleo, comprimidos, líquidos e sprays etc.

Como iniciar o tratamento com canabinol?

Como foi possível notar, o tratamento com canabinol deve ocorrer a partir da prescrição médica. Então, é recomendado que você procure profissionais da saúde que sejam prescritores da Cannabis. Assim, eles devem analisar cada caso e se necessário, recomendar esse tipo de tratamento.

Logo, você adquire uma receita com validade de 30 ou 60 dias, conforme a concentração de THC e CBD. Feito isso, é o momento de procurar farmácias para ir atrás desse tratamento alternativo.

Então, conseguiu entender mais sobre a Cannabis medicinal e como o canabinol exerce um papel fundamental, devido às suas propriedades terapêuticas? O conhecimento a respeito dessa temática é essencial para um cuidado mais adequado com os pacientes.

Tem interesse nesse tipo de tratamento? Agende uma consulta com um médico prescritor de Cannabis.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email