Destaques

Empresa do EUA desenvolve 1ª Cannabis zero THC e alto CBD do mundo

Uma empresa sediada no Colorado (EUA) afirma que encontrou a solução para garantir que a Cannabis não entre em conflito com as exigências do país relacionadas ao THC: de que a o cultivar não contenha nenhum composto psicoativo.

O “hemp”, ou o cânhamo, que é variedade de Cannabis com traços de THC, precisa estar dentro de certas regras para ser considerado de fato cânhamo.

A Lei Agrícola de 2018, chamada Farm Bill, exige que o cânhamo não contenha mais de 0,3% de THC “com base no peso seco”, conforme determinação do FDA (Food and Drug Administration), análogo à nossa Anvisa.

Ter um teor de THC acima dessa quantidade tornaria as plantas de Cannabis como marijuana, ou maconha. Assim, seriam ilegais sob a lei federal dos EUA.

O que é o cânhamo quente (Hot Hemp)?


De acordo com o Indy Star, quase 20% da safra de cânhamo do estado de Indiana teve que ser destruída em 2020 porque os níveis de THC mediam entre 0,41% e 13%.

Já o Arizona testemunhou um destino semelhante, com a Divisão de Serviços de Plantas do Departamento de Agricultura relatando que cerca de 40% das plantas analisadas não conseguiram manter os níveis de THC abaixo de 0,3%.

A empresa especializada em dados do mercado de Cannabis New Frontier Data informou no verão passado que o chamado cânhamo quente significava que uma média de 10,8% da área plantada entre 2018 e 2020 precisou ser abandonada.

Os produtores que violam a exigência federal correm o risco de perder suas colheitas e podem até enfrentar acusações.

O New Frontier Data observa que, de acordo com a “mais recente regra final provisória do Departamento de Agricultura dos EUA para produtores de cânhamo, os respectivos estados e territórios agora estão autorizados a usar práticas tradicionais na fazenda (como arar, lavrar ou triturar) para o eliminação de uma colheita quente.”

O que é esta nova cultivar THC Null?

A Trilogene Seeds, uma empresa de genética de sementes de cânhamo no Colorado, sugere que pode ter identificado uma solução para todo o problema indo diretamente à fonte.

A empresa informou nesta semana que está introduzindo a primeira cultivar de cânhamo do mundo projetada para impedir a produção de THC. Seu nome é “Pandora”, e a Trilogene Seeds garante um perfil de CBD entre 17% e 22%.

Embora com patente pendente, a empresa explica que o que chama de cultivares ‘THC Null’ “não são fisiologicamente diferentes de qualquer outro cânhamo. Eles simplesmente não podem produzir THC”.

Estes foram “desenvolvidos por uma equipe de professores universitários e especialistas em bioengenharia durante um período de 2,5 anos usando a tecnologia de interferência de RNAi para silenciar os caminhos genéticos que produzem THC em uma planta de cânhamo”, explica a empresa em comunicado.

De acordo com a Thermo Fisher Scientific, RNAi “refere-se a um fenômeno em que pequenos pedaços de RNA podem interromper a tradução de proteínas ligando-se aos RNAs mensageiros que codificam essas proteínas”.

O que essas cultivares podem significar para os agricultores de cânhamo?


Ter uma genética de cânhamo livre de THC “significa que a indústria global de cânhamo pode finalmente avançar sem medo de entrar em conflito com as leis que limitam o THC”, disse Matt Haddad, CEO da Trilogene Seeds, no comunicado.

Haddad afirma que a variedade “melhorará drasticamente a eficiência de extração para otimizar o CBD sem limitações de THC”.

Com o THC Null, a empresa relata que “em plantas de cânhamo inalteradas, o CBD aumenta junto com o THC”. Isso significa que “produtores e processadores poderão trabalhar com muito menos biomassa de cânhamo para produzir a mesma quantidade de isolado de CBD”, diz Haddad.

A empresa informa que a variedade “clone-only” de Pandora estará disponível no mercado dos EUA nesta primavera, com sementes para jurisdições americanas e internacionais que devem estar disponíveis no outono.

Haddad argumenta que “o cânhamo tem estado sob o punho de ferro de regulamentações governamentais irracionais e os agricultores arriscaram tudo com as colheitas de cânhamo que ficaram quentes sem culpa própria”.

Apesar do THC ser proibido em nível federal, trata-se de um composto com valor medicinal tão relevante quanto o CBD. Contudo, possui restrições legais por conta de sua psicoatividade. Nós temos alguns conteúdos aqui no Cannabis & Saúde que falam sobre o uso medicinal do THC. Saiba mais aqui.

Marcus Bruno

Jornalista, radialista e marqueteiro especialista em Cannabis medicinal.

Postagens recentes

A vida do pioneiro cientista Franjo Grotenhermen virou filme

A trajetória do médico e cientista Franjo Grotenhermen vai para as telas de cinema no…

55 minutos agora

Live imperdível sobre o que você precisa saber para ter acesso à Cannabis medicinal

Anote na agenda e inscreva-se aqui: quarta-feira, dia 25, às 19h, realizaremos a live “Acesso…

1 hora agora

Meditação: Como realizar com auxílio de Canabidiol?

Você já tentou fazer meditação alguma vez na sua vida e não conseguiu? Ou simplesmente…

2 dias agora

“Falta boa vontade política para a pauta Cannabis avançar”, avalia Grass

Promovido pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, o 1° Seminário sobre a Cannabis Medicinal e…

3 dias agora

Remédio para estresse: o canabidiol como alternativa no tratamento

Você está se sentindo estressado atualmente? Como você se sente ao pensar no seu trabalho…

3 dias agora

“Regulamentar as drogas é uma forma de combate à violência”

Pesquisador e professor da Fiocruz, o psiquiatra Marco Aurélio Jorge fala sobre sua experiência como…

3 dias agora