Startup brasileira aposta em Cannabis no mercado de beleza

Empresário brasileiro lança no Uruguai a BeHemp Skin, e produtos serão vendidos apenas em países onde já são liberados os cosméticos com Cannabis, como Argentina, Colombia e México. Marca vai aguardar a legalização desses produtos no Brasil para iniciar a operação aqui
behemp skin

Os produtos derivados da Cannabis estão se tornando populares não só na área da medicina, mas principalmente nos cuidados com a pele e cabelo. Os últimos congressos mais importantes de dermatologia, entre eles o da Academia Americana de Dermatologia, apresentaram relações entre o canabidiol (CBD) e o controle do envelhecimento.

Outro benefício da substância é seu potencial anti-inflamatório, que pode ser ideal para cuidar de problemas de pele comuns, como acne e rosácea. Além disso, o CBD é rico em vitaminas A, D e E, e ácidos graxos, sendo um poderoso coquetel antioxidante. Portanto, é de se imaginar o quanto o composta tenha atraído a indústria cosmética nos últimos anos.

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

No ano passado, a Agência Nacional de Saúde (Anvisa) liberou a venda em farmácias de derivados da Cannabis sob prescrição médica. Os remédios à base de substâncias da planta podem, por exemplo, auxiliar no tratamento da epilepsia, dores crônicas derivadas do câncer, no combate ao estresse, depressão e ansiedade, entre outras finalidades.

Porém, a venda de produtos para a pele feitos com Cannabis ainda não foi regulamentada no Brasil. Por isso, a solução encontrada por empresários foi investir em parcerias em países vizinhos, como o Uruguai, primeiro país e a legalizar a Cannabis. Lá, é permitido o uso adulto pelos cidadãos, a formação de clubes de produtores para plantar em cooperativa e a compra de produtos em farmácias autorizadas.

Foi buscando estar na vanguarda desse nicho que Afonso Braga Neto e a Productora Uruguaya de Cannabis Medicinal (PUCMed), empresa criada em 2019 por investidores brasileiros e licenciada pelo governo uruguaio para cultivo, firmaram uma parceria agora em 2021.

O empresário deve lançar a linha de cosméticos com infusão de CBD BeHemp Skin ainda este ano. O lançamento será feito em Punta del Este, Uruguai, e os produtos serão comercializados nos países em que já são liberados como Argentina, Colombia e México além do próprio Uruguai. A marca aguarda a legalização dos cosméticos à base de CBD no Brasil para operar em solo nacional.

“O objetivo das nossas empresas é sempre buscar inovação, e com a Be Hemp não foi diferente. Queremos garantir a qualidade da matéria prima e oferecer um produto com denominação de origem. Por isso, acreditamos que a parceria vai dar super certo”, afirma.

“A intenção dessa linha de produtos é aproveitar todo o potencial do CBD para promover a saúde e beleza da pele. Vamos ter produtos específicos para o rosto e para o corpo e apresentar opções de tratamento para celulites, estrias, cicatrizes, manchas, além de trazer frescor e evitar o envelhecimento precoce da cútis”, explica Afonso.

Grandes marcas internacionais já entraram na onda e investiram no potencial lucrativo da Cannabis em países legalizados para lançar linhas específicas de cosméticos: esse é o caso da francesa Sephora, da inglesa The Body Shop e das americanas Avon e Kiehl’s. No Brasil, a história é um pouco diferente, mas Afonso acredita que haja espaço para as startups canábicas, mesmo com as restrições regulatórias.

“Hoje, a cannabis não é mais vista globalmente como uma ameaça, e sim como sinônimo de negócio inovador na medicina, na moda, na cosmética. Nosso país pode perder mercado ao ficar atrás de países com legislações mais amplas”, opina o empreendedor. “Mas o mercado brasileiro está em expansão e tem tudo para se desenvolver bem”, completa.

Leia também:

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email