“Com uma semana, já não sentia dor nenhuma”

tratamento com Cannabis

Após 8 anos sofrendo com dor crônica, Dalva Rodrigues, 52 anos, recuperou sua esperança de uma vida melhor graças ao tratamento com Cannabis

As dores chegaram lentamente. Primeiro nas articulações, logo alcançaram os músculos e, em pouco tempo, Dalva Caldas Rodrigues, com pouco mais de 40 anos, mal conseguia se mexer.

“Dor do couro cabeludo até o pé. Foram feitos vários exames e até descobrir que era fibromialgia, bico de papagaio, hérnia de disco, artrose, artrite, tudo junto”, conta.

“Ficava na cama, paralisada, sentindo dor. Eu tomava remédio para amenizar a dor, mas não dava resultado. Eu passei dois anos a ponto de ficar sem conseguir ir ao banheiro para poder fazer as necessidades devido às dores que eram muito intensas.”

Só conseguiu recuperar um pouco de sua qualidade de vida com acupuntura, que ameniza as dores a ponto de conseguir começar a fazer hidroginástica. Mas não resolveu o problema e, conforme o tempo passava, mais e mais medicamentos foram adicionados à sua rotina para tentar minimizar seu sofrimento.

“Cheguei a tomar codeína, cheguei a tomar amitriptilina. Clonazepam para dormir, porque não conseguia. Medicações muito fortes e ainda assim não dava resultado.”

“Eu era uma pessoa muito ativa e acabou. Eu vegetava e ficava sofrendo muito, as lágrimas desciam, porque eu ficava parada, sem saber o que fazer”, continuou. “Até que uma médica virou para mim e disse que eu tinha que me acostumar com as dores. Acostumar? Eu não. Ficava desesperada.”

Mudou de médico, pois a reumatologista já não sabia o que fazer. No ortopedista, encontrou melhora com a pregabalina, que durou por dois anos. “Só que recentemente, as dores vieram desesperadoras. Eu ia pro pronto socorro tomar injeção, mas não estava mais funcionando.”

Cannabis é alternativa

“Eu entrei em desespero e meu filho disse assim: mãe, porque a senhora não tenta o tratamento com o óleo de Cannabis. Aí eu dizia não, isso é óleo de maconha. Tinha um preconceito muito grande e não aceitava.”
Mas seu filho não desistia. Começou a estudar sobre a Cannabis medicinal e, diante das seguidas crises de sua mãe, insistiu na possibilidade.

“Eu não aguento mais esse sofrimento. Entrei em desespero e perdi totalmente esse negócio de ficar com preconceito. Meu filho foi preparando minha mente para que eu aceitasse.”

Decidiu perguntar a sua psiquiatra, que usou a burocracia e o custo do medicamento de Cannabis como motivo para deixar essa opção para lá. Enquanto isso, as crises de dor intensa se repetiam.

O tratamento com Cannabis

Sem qualquer alternativa, decidiram procurar um médico que fosse prescritor de fitocanabinoides e encontraram o clínico geral Vinicius Pereira de Mesquita.

“Eu comecei a tomar três vezes ao dia. Com uma semana, eu já não sentia mais dor nenhuma.”

O novo tratamento, porém, chegou com efeitos colaterais. Dalva se sentia dopada. Foram 25 dias até finalmente acertar a dose e composição adequada para seu organismo.

“Eu tô me sentindo bem, bem mesmo. A minha qualidade de vida melhorou. Tô mais disposta, tenho mais energia. As dores, eu sei que elas existem. Tocando os pontos eu sinto que estão lá, mas eu não sinto aquelas dores terríveis que eu sentia. Aquele desespero. Eu cheguei a enlouquecer.”

Nos últimos oito anos, Dalva, com 52 anos, nunca se sentiu tão bem como no mês sob tratamento com Cannabis medicinal. “Hoje em dia para mim tá sendo uma benção, porque eu estou me sentindo melhor. Me sinto mais viva, minha mente mais alerta. Apesar de tomar antidepressivo, eu ficava muito amargurada e triste.”

“Não tinha esperança de uma vida melhor. Agora eu me sinto bem e creio que a tendência é só melhorar. Superei esse preconceito de ver a qualidade e o benefício da Cannabis e estou disposta realmente a assumir que faz bem e quero continuar o tratamento até o resto da minha vida, se for necessário.”

Como iniciar o tratamento com Cannabis?

Se você ou algum familiar sofre com dores crônicas, a história de Dalva Rodrigues mostra que a Cannabis medicinal pode ser uma alternativa eficiente. Para dar início ao tratamento, o primeiro passo é agendar uma consulta com um médico prescritor.

Na plataforma de agendamento do portal Cannabis & Saúde, você encontra o contato do clínico geral Vinicius Pereira de Mesquita e de outros 200 médicos com diversas especialidades preparados para te acompanhar durante todo o tratamento canabinoide. Acesse agora e agende sua consulta.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email