Estado americano do Oregon vai restringir a venda de canabinoides sintéticos

CBN delta-8 sintéticos oregon

A partir de 1 de julho de 2022, o Oregon vai ser o primeiro estado dos EUA a proibir que produtos com canabinoides sintéticos sejam vendidos no varejo. Com a decisão, os supermercados e dispensários vão precisar de autorização para poder comercializar, por exemplo, produtos com canabinol (CBN) e delta-8-Tetrahydrocannabinol. Esses produtos vão precisar passar por rigorosos testes e receber a aprovação da Agência Federal para Alimentos e Medicamentos (FDA) e só em julho de 2023 que eles vão poder voltar ao comércio.

A Comissão para Cannabis e Bebidas Alcoólicas do Oregon (OLCC na sigla em inglês) diz que a restrição vem por conta da preocupação com os reagentes químicos utilizados para obter canabinoides sintéticos. O órgão não sabe, por enquanto, quais e em qual quantidade eles estão presentes nos produtos que chegam às prateleiras e se eles são seguros para consumo humano.

Em entrevista para o jornal The Oregonian, o especialista em cânhamo e compliance em processamento da OLCC, Steven Crowley, disse que essa é uma nova demanda que os reguladores vão ter que adicionar às suas funções.

“Temos testes para pesticidas, temos testes de solventes residuais do processo de extração. Mas não temos nenhum teste para todo o universo de reagentes químicos que você poderia usar para transformar sinteticamente um canabinóide em outra coisa, ou para qualquer um dos subprodutos dessa reação.”

Preocupação com o delta-8 THC sintético

Atualmente, o canabinoide sintético mais popular é o delta-8-Tetrahydrocannabinol, também chamado de delta-8 THC. Ele está naturalmente presente na planta, porém em quantidades muito pequenas, então para obtê-lo em grandes quantidades, é necessário um processo químico que o extrai a partir do canabidiol (CBD).

Além disso, o Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC) reportou mais de 100 casos de efeitos adversos relacionados ao uso de delta-8 THC que exigiram cuidados médicos. Tribunais já consideraram esse canabinoide legal sob as leis dos EUA, mas ainda permanece a dúvida quanto à segurança dos reagentes químicos do processo de síntese, pois é um processo que ainda não está regulado.

CBN sintético mais seguro

O canabinol também é um canabinoide que ocorre naturalmente na planta de Cannabis, porém em quantidades bem baixas, em torno de 1%, e apenas quando ela está prestes a morrer. Geralmente, produtos ricos em CBN são feitos a partir de CBD convertido sinteticamente em CBN.

Alguns estudos apontam que o CBN tem efeito anti-inflamatório, antibacteriano, anticonvulsivo e analgésico. Por isso, as autoridades da OLCC vão permitir que alguns produtos com CBN sejam vendidos até julho de 2023, desde que atendam às exigências do Departamento de Agricultura do Oregon (ODA na sigla em inglês) e não sejam feitos para inalação.

A Lei de Agricultura do Cânhamo de 2018 autorizou o cultivo Cannabis nos EUA, desde que não contenha mais do que o,3% de delta-9 THC. Essa medida incentivou o plantio e a inclusão de tanto CBD no mercado, que ele se transformou em matéria-prima para a obtenção de outros canabinoides mais raros. Entretanto, essa conversão ainda carece de normas.

Outros estados podem seguir o caminho de restringir os canabinoides sintéticos até que se entenda melhor o perfil de segurança do processo para a obtenção desses compostos. Aqui no Brasil, é fundamental que o tratamento com Cannabis seja acompanhado por um profissional de saúde habilitado e você pode encontrar centenas deles na nossa plataforma de agendamentos. Marque já uma consulta e inicie uma terapia com canabinoides.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email