Destaques

Importações de Cannabis medicinal devem crescer 150% no Brasil em 2021

As solicitações para importação de remédios à base de Cannabis feitas à Anvisa crescem de forma exponencial no Brasil, movidas por cada vez mais acesso à informação, pesquisas e  o avanço político da pauta. Segundo projeções da Kaya Mind, startup brasileira de inteligência do mercado da Cannabis, 2021 terá um aumento de 151% das licenças iniciais (primeiro pedido de importação do paciente) solicitadas ao órgão, em comparação com o ano passado.

O dado faz parte do Kaya Board, um painel lançado pela empresa que traz, de maneira visual e interativa, informações relevantes nas áreas de Saúde e Mídias para a indústria canábica. O acesso é gratuito e está disponível no link

Por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), a Kaya Mind reuniu as principais informações da Anvisa relacionadas a solicitações, renovações e alterações para a importação de produtos derivados de Cannabis no Brasil.

Dados da startup revelam que a soma de todas as solicitações feitas ao órgão regulador no primeiro semestre de 2021 corresponde a 94% das licenças do total observado de 2020. Projeções da empresa apontam que, até o final de 2021, as solicitações para a primeira importação de remédios à base de substâncias da maconha podem chegar a 39 mil, um aumento de 151% em relação a 2020.

 

Os dados da Anvisa disponíveis são do ano de 2019, em que a RCD mudou e prolongou a validade da licença para 2 anos em janeiro de 2020. Atualmente, por volta de 33 mil pacientes podem fazer a importação de remédios. Desde 2016, foram realizadas 16 mil receitas médicas e em mais de 44 especialidades da medicina, sendo, as principais delas: neurologia, psiquiatria e neuropediatria. 

O relatório também revela o maior gargalo para desenvolver o mercado da Cannabis no Brasil: a falta de médicos prescritores. De 2015 a Jan 2021, apenas 2.100 profissionais receitaram algum remédio à base da planta. É um número insignificante comparado a quase meio milhão de médicos cadastrados no Conselho Federal de Medicina.

Outro painel do setor de Saúde trata dos produtos à base de Cannabis disponíveis no Brasil e na América Latina. A Kaya Mind mapeou mais de 430 produtos de 51 fabricantes, de nove países de origem diferentes.

“O Kaya Board é o primeiro painel de informações completas do mercado canábico na América Latina, que aborda setores de Saúde, Mídia, Governo, Finanças e mais”, disse a CEO da Kaya Mind, Maria Eugênia Riscala.

“O objetivo é aumentar o número de dados relacionados à planta existentes no mercado, assim como colaborar com a indústria canábica em desenvolvimento com informações para pensamento estratégico e tomadas de decisão. O acesso é gratuito, com possibilidade de assinatura personalizável para empresas e marcas interessadas”, concluiu a empresária. 

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Estudo: pessoas com enxaqueca podem se beneficiar com a Cannabis

Na Universidade do Arizona, nos EUA, uma equipe de pesquisadores revisou os resultados de estudos…

2 dias agora

Crianças podem usar óleo com altos índices de THC?

É imprescindível ter segurança para utilizar um canabinoide como medicamento, ainda mais quando o tratamento…

2 dias agora

Neurocirurgião fala sobre suas primeiras experiências com a Cannabis

Apesar de ser neurocirurgião, o médico Gustavo Valadão atende a todas as patologias neurológicas e…

2 dias agora

Cannabis marcou seu espaço na BIO Convention

Tratando temas regulatórios, pesquisas na área e a possibilidade de produtos à base de Cannabis…

2 dias agora

Suíça simplifica acesso de pacientes à Cannabis

O governo federal da Suíça retirou a necessidade de uma autorização especial para quem quer…

3 dias agora

Neurologista apoia o uso da Cannabis no tratamento da COVID longa

Em LIVE do portal Cannabis & Saúde, a médica Marcela Agostinho explicou as causas dos…

3 dias agora