“Esperamos ter resultados dos estudos clínicos com pacientes de Covid-19 em até 6 meses”, afirma pesquisador canadense

Igor Kovalchuk, professor de ciências biológicas da Universidade Lethbridge, divulgou estudo sobre a eficácia da Cannabis em frear a ação do novo coronavírus. E espera colocar remédios à venda até o final do ano

Nos últimos dias, pesquisadores canadenses movimentaram o mundo da Cannabis com a divulgação de estudos que indicam a eficácia medicinal da planta em pacientes com Covid-19. Com testes in vitro, concluíram que nove variações de extratos frearam a ação do vírus.

“Ainda que sejam testes in vitro, nós usamos tecidos humanos de verdade”, explica Igor Kovalchuk, professor de ciências biológicas da Universidade Lethbridge, no Canadá, em entrevista ao Cannabis & Saúde. “Por isso, estamos certos de que funcionará em humanos, mas ainda precisamos de um teste clínico.”

A expectativa é iniciar os testes com pacientes o quanto antes. “Gostaríamos de começar agora mesmo, mas a pesquisa de causa continua”, afirma Kovalchuk. “Se acharmos um parceiro rapidamente, esperamos que os resultados do teste clínico estejam disponíveis dentro de quatro ou seis meses. E o produto à venda até o fim do ano.”

O pesquisador também é CEO da Pathway RX. A empresa tem como objetivo de pesquisar e desenvolver novos tratamentos à base de Cannabis.

Como a Cannabis age contra o novo coronavírus

Segundo os pesquisadores, o novo coronavírus se espalha pelo organismo humano com a ajuda de uma enzima conversora específica – a angiotensina-2 (ECA2). Esse receptor permite que o vírus invada a célula e se reproduza.

Aí entra o papel da Cannabis. De acordo com o estudo pré-liminar canadense, alguns tipos de Cannabis sativa diminuem os níveis de ECA2 no corpo. E, assim, o novo vírus têm chances menores de invadir o organismo.

Leia também: Coronavírus: CBD aumenta imunidade, mas fumar maconha é fator de risco, alerta médica

Além disso, os pesquisadores sugerem também que a Cannabis regule para baixo os níveis da enzima TMPRSS2. Ela é responsável pelo aumento de outra proteína necessária ao sucesso do SARS-CoV2.

Falta ao estudo passar pela análise de outros pesquisadores (peer review). “Enquanto a maioria dos nossos mais eficientes extratos precisam de validação de larga escala, nosso estudo é crucial para a análise futura dos efeitos médicos da Cannabis na Covid-19”, escreveram os pesquisadores.

No estudo, os canadenses relatam a eficácia de nove diferentes tipos de Cannabis no tratamento da doença. Após a divulgação, outras quatro variações também funcionaram. “Acredito que a eficácia se deva à combinação correta dos canabinoides e terpenos”, explica Kovalchuk.

Leia também: Cannabis pode bloquear ação do novo coronavírus, apontam cientistas canadenses.

 

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email