Comissão do SUS recomenda não incorporar Mevatyl, de R$ 2,9 mil

Em dezembro, Ministério da Saúde informará se incorpora o CBD da Prati-Donaduzzi

O Ministério da Saúde confirmou ao Cannabis & Saúde que estuda incorporar o canabidiol da Prati-Donaduzzi ao rol de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS). A pasta também informou ao portal que o medicamento Mevatyl (CBD e THC) teve parecer negativo da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sus (Conitec).

Na semana passada, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou o processo para que o SUS forneça medicamentos com Cannabis. A iniciativa foi uma resposta do Governo Federal, que é contrário ao Projeto de Lei 399/15, sobre o plantio de Cannabis no Brasil.

O CBD da Prati é um fitofármaco isolado (200 mg/mL). Ele é feito com insumos importados e custa R$ 2.500. Já o Mevatyl, receitado para esclerose múltipla, é um produto totalmente importado e custa R$ 2.897. Os dois são os únicos derivados de Cannabis à venda nas farmácias brasileiras.

>> TELEMEDICINA. Seu diagnóstico simples, rápido e onde estiver. Agende uma consulta

Só o Mevatyl, no entanto, é registrado na Anvisa. O CBD da Prati possui uma autorização sanitária da agência de 5 anos. Os dois produtos estão em fase de avaliação pela Conitec para incorporação no SUS.

Conforme informou o Ministério da Saúde ao C&S, a demanda já esteve em pauta na 89ª reunião da Conitec, em agosto. A recomendação inicial do plenário foi desfavorável à incorporação do Mevatyl. A demanda segue agora para consulta pública. A previsão, segundo o órgão, é que o tema seja pautado na 93ª reunião da comissão, nos dias 4 e 5 de novembro. 

Já o CBD da Prati-Donaduzzi está em fase inicial de avaliação. A previsão é que o tema passe pela primeira avaliação nos dias 1º e 2 de dezembro. O estudo tem previsão de término no dia 10 de fevereiro. Nesta data, será publicado no Diário Oficial da União a decisão do secretário sobre a possível incorporação.

Conforme último balanço da Anvisa, 9.540 pacientes estão registrados no órgão para importação de derivados. Se o SUS atendesse apenas esses pacientes e com o CBD da Prati-Donaduzzi, seriam R$ 286 milhões por ano.

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email