CBD pode atenuar os efeitos da menopausa

Diversos estudos preliminares indicam que a Cannabis pode auxiliar na redução de alguns dos sintomas

Calores, flutuações de humor, cansaço e suores noturnos são o prenúncio da menopausa. É também um sinal de que o sistema endocanabinóide, conjunto de receptores que atua em todo o nosso corpo, está em desequilíbrio. Isso porque ele é o sistema que regula funções como sono, humor, imunidade, dor, memória, fertilidade e a temperatura do corpo. 

agendamento de consultas cannabis e saude

Agende uma consulta com um dos nossos médicos especialistas.

Nossa rede de médicos foi criada com o apoio de um conselho altamente qualificado para conectar você a profissionais sérios e habilitados para lidar com os mais diversos casos onde o tratamento com CBD é eficaz.

A aposta no canabidiol (CBD), composto não psicoativo da Cannabis, vem do fato de que a substância interage justamente com esse conjunto de receptores. Por isso, embora ainda não existam pesquisas conclusivas, vários estudos preliminares indicam que a Cannabis pode auxiliar na redução de alguns desses sintomas.

Os sintomas da menopausa que o CBD pode tratar

Depressão

Remédios à base de Cannabis podem ter efeito mais imediato do que os antidepressivos comuns. E com bem menos efeitos colaterais. Quem diz são os brasileiros Alline Cristina de Campos e Eduardo Junji Fusse.

Em seu estudo, Campos aponta a eficiência do canabidiol (CBD) no tratamento da depressão, mas alerta que as pesquisas ainda são iniciais.

Fusse afirma que o “sistema endocannabinoide tem se demonstrado como candidato para a terapêutica de transtorno de ansiedade e depressão, visto que estudos em modelos animais e pacientes humanos demonstram que a modulação desse sistema tem efeito antidepressivo e ansiolítico”.

Em 2010, o estudo intitulado “Uso terapêutico dos canabinoides em psiquiatria”, publicado na Revista Brasileira de Psiquiatria, indica que o canabidiol demonstrou “potencial terapêutico como antipsicótico, ansiolítico, antidepressivo e em diversas outras condições”.

Segundo a publicação, “o sistema canabinoide é um alvo promissor para novas intervenções terapêuticas em psiquiatria”. O método da pesquisa partiu de uma busca e revisão profunda da literatura sobre o uso terapêutico dos canabinoides. Principalmente o CBD e o THC.

Distúrbios do sono

Um estudo de caso publicado em 2016 no Permanente Journal usou CBD para estabilizar o sono de uma criança com ansiedade e estresse pós traumático. O sucesso da experiência, depois de diversos medicamentos alopáticos serem aplicados, mostrou o potencial do CBD no tratamento de distúrbios do sono. E esse é um dos sintomas que mais afeta a qualidade de vida da mulher na menopausa.

Perda de densidade óssea

Alguns estudos já demonstraram que o CBD interage com um receptor que atua na perda de densidade óssea e, portanto, pode ajudar a reduzir essa perda, muito comum na menopausa. 

Além disso, a substância ajuda a fortalecer os tecidos e reduzir inflamação (estudo publicado na Molecular Pharmacology em 2008).

Uma pesquisa de 2015 publicada no Journal of Bone and Mineral Research mostrou que o CBD ainda melhora a recuperação de fraturas e potencializa o colágeno usado na cicatrização.

Com essas evidências científicas, as expectativas sobre a utilidade da cannabis no tratamento dos sintomas da menopausa continuam altas, mesmo sem a existência de ensaios clínicos extensivos. São inúmeros os estudos de caso, pesquisas e relatos de que o CBD pode ser mais eficaz que remédios convencionais e, principalmente, com menos efeitos colaterais. Existem óleos à base de Cannabis até para melhorar o aspecto da pele. 

E, por não ter efeitos psicoativos, o CBD pode ser usado com bastante segurança. A única necessidade ainda é a prescrição e a indicação de forma de uso, que pode ser em óleo, tintura, cápsulas, aerossóis sublinguais e até cremes.

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar para você realizar uma consulta.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email