Por que tantos chefs estão usando canabidiol na cozinha?

 

Ex-participante do Masterchef Canada, Travis Petersen fundou uma empresa que oferece experiências gastronômicas através do uso de CBD e THC em receitas culinárias. O portal Cannabis & Saúde conversou com ele e outros dois chefs brasileiros para entender porque essa gastronomia está fazendo tanto sucesso

O Canabidiol, ou CBD, é uma das propriedades derivadas da Cannabis mais estudada por pesquisadores pelo poder medicinal. A substância tem sido muito utilizada por sua ação anti-inflamatória, analgésica e anticonvulsivante no tratamento de diversas doenças.

Para pessoas saudáveis, o consumo do CBD pode estar associado a sensações de relaxamento, alivio de estresse e melhoras na qualidade do sono e tem sido consumido de diversas formas, inclusive na comida.

Com mais de 30 países ao redor do mundo apresentando leis flexíveis sobre o consumo medicinal e recreativo da planta, esse mercado tem crescido exponencialmente.

Segundo dados recentes da Euromonitor International, há uma estimativa de que a indústria da Cannabis movimente cerca de US$ 166 bilhões de dólares até 2025 em todo o mundo. Já o segmento de produtos comestíveis que utilizam a planta deve apresentar crescimento de mais de 25% até o ano de 2022, de acordo com outro estudo realizado pela empresa de pesquisa de mercado Technavio.

ex– Masterchef que faz sucesso cozinhando com Cannabis

Travis Petersen

De olho nessa tendência para o mercado o chef de cozinha e ex-participante do Masterchef Canada, Travis Petersen fundou a Nomad Cook, uma empresa que oferece experiências gastronômicas através do uso de CBD e THC em receitas culinárias.

“Com a liberação da planta para fins recreativos no Canadá, em 2018, vi uma oportunidade de ser pioneiro nesse segmento e oferecer aos meus clientes experiências únicas utilizando a Cannabis como ingrediente nos meus pratos”, explica Petersen.

Através da Nomad Cook, o chef já serviu mais de 4 mil refeições à base da erva em eventos corporativos e jantares privados e afirma que o objetivo dos seus serviços é proporcionar bem estar através de boas refeições.

“O CBD não é uma substância psicoativa, ao contrário do THC, mas proporciona uma sensação de rejuvenescimento no corpo e estimula as pessoas a relaxarem criando uma atmosfera descontraída e acolhedora”, conclui o chef.

A Nomad Cook oferece menus que podem incluir CBD ou THC e a dosagem varia de acordo com a experiência que cada cliente tem com as substâncias.

chef que combina Cannabis e cozinha brasileira nos EUA

Olívia Risso

Nascida no interior de São Paulo, a chef de cozinha canábica Olivia Risso aprendeu a cozinhar com sua mãe e foi se especializando em culinária até se mudar para Los Angeles, em 2009, onde experimentou, pela primeira vez, um cookie com infusão de Cannabis e decidiu se especializar no tema.

“Comecei a estudar a planta, pesquisar sobre os efeitos da Cannabis no corpo e a experimentar as diversas formas de infusão, principalmente em pratos típicos brasileiros”, conta a chef.

CEO de uma empresa de eventos canábicos, a Kuara, localizada no Colorado, nos EUA, a Chef Olivia Risso encontrou na culinária canábica uma forma de proporcionar melhor qualidade de vida para seus clientes e propagar informações sobre os benefícios da planta.

“Além de apresentar pratos brasileiros com infusão de THC e CBD, também compartilho meu conhecimento para derrubar os estigmas que a planta carrega”, diz.

Sobre a forma como utiliza a Cannabis como um ingrediente na cozinha, Risso explica que o processo envolve estudos frequentes sobre infusão e dosagem.

“Uma infusão, quando feita corretamente, não apresenta gosto nem cheiro da erva. Quanto ao meu método, sempre trabalho com o THC mais elevado que o CBD para regular o nosso sistema endocanabinoide, o que possibilita efeitos mais assertivos para aliviar sintomas de ansiedade, estresse e oferecer relaxamento aliado a sabor”, finaliza a chef.

A cozinha canábica no Brasil

Caio Cezar

Autor do canal do YouTube “Cozinha 4e20”, o cozinheiro Caio Cezar já passou por diversos restaurantes como Casa de Francisca, Blue Bistrô e La Frontera, mas foi ensinando receitas com Cannabis que o chef chegou a mais de 100 mil visualizações em vídeos na rede social.

“Sempre fui entusiasta da planta, mas há cerca de 6 anos, quando um amigo me presenteou com um livro de gastronomia canábica que ele adquiriu em uma viagem à Califórnia é que comecei a estudar, experimentar e testar as receitas”, conta o cozinheiro.

Com mais de 12 mil seguidores no Instagram, Caio oferece conteúdo informativo sobre os benefícios a planta para a gastronomia e também fins terapêuticos.

“Levando em consideração que já existem comidas psicotrópicas como o café e o chocolate, por exemplo, é preciso ponderar também as possibilidades terapêuticas da comida que usa a Cannabis como ingrediente”, explica.

Apesar de ilegal no Brasil, o cozinheiro se baseia em estudos realizados em países avançados no estudo da planta, tendo até oferecido um jantar no Uruguai, onde o uso é permitido.

“A Cannabis está abrindo uma possibilidade para que sejam estudados canabinoides presentes em outras plantas. Quem sabe as abordagens terapêuticas que damos à Cannabis poderemos, eventualmente, aplicar em outras ervas como alecrim ou tomilho”, acredita Caio.

https://www.instagram.com/p/BwwE3DIh-qw/

https://www.instagram.com/p/B_TNaHEBZTo/

 

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email