Lançada a Associação Brasileira das Indústrias de Cannabis, a Abicann

Entidade irá buscar maior abertura de diálogos com empresários, governadores e legisladores para debater os prós e contras da Cannabis produzida legalmente em solo nacional
Justiça autoriza pais de criança autista plantar cannabis em campinas

Foi lançada oficialmente no dia 23 de outubro a Associação Brasileira das Indústrias de Cannabis (Abicann). A Idealizada e atuando no formato de fórum desde 2019, a entidade de representação industrial, empresarial e empreendedora tem a missão de apoiar o desenvolvimento dos mercados legais da Cannabis medicinal e do cânhamo industrial no Brasil.

Estimativa realizada pela Abicann indica que existem 400 empresas, aproximadamente, conectadas ao ecossistema medicinal e que prestam serviços ou fornecem soluções – direta ou indiretamente – a pacientes com doenças graves, crônicas e terminais. É uma rede de profissionais e pacientes que poderão se beneficiar com o fortalecimento da indústria da Cannabis no Brasil.

30 patologias

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

Conforme o estatuto, a Abicann é uma entidade associativa sem fins lucrativos e independente, que começa a reunir indústrias nacionais e internacionais, os setores de comércio e serviço brasileiro e influenciadores na economia, justiça, política e na sociedade, em torno da Cannabis.

Empresas e pessoas físicas interessadas no desenvolvimento dessa indústria podem se associar. Conforme a entidade, os associados se unirão em busca de maior abertura de diálogos com empresários, governadores e legisladores para debater prós e contras da Cannabis, quando produzida legalmente em solo nacional. Um exemplo é o cânhamo, que apesar de não oferecer risco à saúde ou vida humana ou animal, ainda está proibido por aqui por falta de interesse legislativo.

Para mais informações, acesse: www.abicann.org.

Procurando por um médico prescritor de Cannabis medicinal? Temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

A abertura de diálogo entre empresários e investidores com o governo e com o legislativo brasileiro tende a trazer mudanças positivas, moderna e atualizada ao que ocorre no mercado global da planta. O Brasil pode gerar R$ 5 bilhões por ano, em média, com a economia gerada por empresas de cannabis medicinal.

“Nós estamos perdendo espaço no cenário econômico global da cannabis pelo simples fato de não haver diálogo político, aberto e franco sobre prós e contras dessa planta que é tão sustentável. Precisamos de uma legislação mais completa, moderna, justa, que amplie nossa economia e o bem-estar social”, informa Thiago Ermano, presidente da ABICANN e investidor em negócios da cannabis em países regulados e legalizados.

Cânhamo Industrial: mais de 300 setores podem se beneficiar

O cânhamo é conhecido mundialmente como “hemp”. Apesar de não oferecer riscos à vida ou saúde humana e animal, sua produção agrícola ainda está proibida no Brasil. A ABICANN pretende atuar no desenvolvimento do mercado nacional de cânhamo industrial, fazendo parte do mercado global que movimentará US$ 30 bilhões de dólares, aproximadamente, nos próximos 5 anos. As fibras do cânhamo produzem de cordas a roupas, opções duráveis de plásticos e dezenas de outros produtos.

Um exemplo está nos Estados Unidos, onde a planta é totalmente legalizada e está posicionada como prioridade na lei agrícola americana (Farm Bill), aprovada em 2018 pelo congresso.

“Imagine como será quando houver menos regulações e leis mais transparentes em favor da continuidade da vida humana e animal, com geração de empregos locais em novos empreendimentos, além de fortalecimento do setor primário e da agroindústria brasileira. A tendência é que os impostos pagos por empresas do mercado da Cannabis ajudem a reduzir os déficits das contas públicas”, afirma Thiago Ermano, diretor-presidente da ABICANN.

São mais de 300 setores econômicos e mais de 2500 tipos de produtos que podem aproveitar os benefícios da cultura de das fibras de cânhamo. Das principais aplicações estão em destaques as fibras têxteis, materiais para a construção civil, produção de biocombustíveis e medicamentos à base de canabidiol (CBD). Atualmente a China é a maior produtora global de hemp no mundo.

>>>Você é um médico prescritor de Cannabis medicinal? Faça seu cadastro aqui para alcançar mais pacientes! 

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email