A norte-americana dra. Genester Wilson-King foi atração do último dia do Medical Cannabis Summit

medical-cannabis-summit (1)

Ginecologista, obstetra e especialista no gerenciamento da idade, Wilson-King explicou os benefícios da Cannabis para a saúde, principalmente da mulher

O último dia da 4ª edição do mais completo evento sobre Cannabis medicinal do Brasil contou com uma atração internacional. A ginecologista, obstetra e fundadora, CEO e diretora médica do Victory Rejuvenation Center, uma clínica especializada no gerenciamento da idade, a Dra. Genester Wilson-King falou sobre como a Cannabis pode ajudar na saúde, principalmente da mulher.

“Há muito tempo acredito que o corpo pode se curar, se tratado adequadamente. Isso  inclui nutrição, água limpa, ar puro e uma quantidade adequada de exercícios, mas, felizmente, quando isso não é possível, as plantas podem ajudar”, afirmou.

“Sempre haverá o mundo farmacêutico, enquanto sempre haverá quem prefere algo mais natural. A Cannabis é um remédio vegetal tão incrível. Nossos primeiros remédios (da humanidade) eram fitoterápicos e parece que estamos voltando para essa direção, o que é uma coisa boa.”

Cannabis e preconceito racial

No entanto, por muito tempo, a planta da Cannabis foi utilizada com outros propósitos. “A Cannabis tem sido usada para destruir muitas vidas de homens e mulheres de cor. Especialmente os jovens. 52% de todas as prisões por drogas nos Estados Unidos são por Cannabis”, disse a médica.

“Pessoas brancas ou não usam a Cannabis na mesma proporção, mas as pessoas negras têm quatro vezes mais chances de serem presas por maconha. Em alguns estados, são sete ou oito vezes mais chances. Quando você é preso por maconha, tem consequências de longo alcance, incluindo a perda de empregos. Afeta o futuro e pode atrapalhar a vida da família e é como você pode perder sua eficiência. Nós desperdiçamos mais de três bilhões de dólares com as leis da Cannabis.”

Sistema endocanabinoide

Esse desperdício se torna ainda maior quando se leva em conta o potencial de cura proporcionado pela Cannabis. “O sistema endocanabinoide é um regulador homeostático fundamental da fisiologia humana. Há um aspecto de como nossos corpos funcionam que é influenciado pelo sistema endocanabinoide. Na verdade, há mais receptores de um canabinoide no cérebro do que para todos os outros neurotransmissores combinados”, explicou a norte-americana. 

“A teoria sugere que, em alguns casos, o corpo não produz endocanabinoides suficientes ou receptores suficientes para o sistema canabinoide endócrino para funcionar corretamente. Como resultado, as muitas funções nas quais o sistema endocanabinoide está envolvido não são reguladas adequadamente e o corpo se torna desequilibrado, permitindo o surgimento de doenças”

Esta teoria foi proposta pela primeira vez pelo Dr. Ethan Russo, em 2001. Ele examinou a associação entre enxaquecas, fibromialgia e síndrome do intestino irritável. Agora, há várias outras doenças que se enquadram nessa categoria, como depressão, esclerose múltipla, autismo e endometriose.

Cannabis e saúde da mulher

Sobre a saúde das mulheres em específico, a Cannabis pode ser ainda mais útil. “Temos um sistema imunológico muito robusto, mas quando há um sistema imunológico defeituoso, é realmente impactante”, continuou.

“A segunda maior quantidade de receptores canabinoides é no sistema reprodutor feminino. Está no trato reprodutivo masculino, mas não é tão prevalente quanto nas mulheres. Algumas das descobertas da literatura que apoiam a eficácia da Cannabis. Mulheres com endometriose têm níveis mais baixos de receptores CB1 em seu tecido endometrial. Quando estimulado (pelos fitocanabinoides) fornece alívio da dor e antiinflamatório. O THC, como agonista CB1 e CB2,  levam a desaceleração do crescimento da endometriose.”

Cannabis e câncer

Já em relação ao tratamento de câncer, a Cannabis também pode auxiliar, principalmente no tratamento dos sintomas e efeitos colaterais dos tratamentos convencionais. “Os canabinoides são antieméticos eficazes no tratamento de náuseas induzidas por quimioterapia e vômito. Há algumas evidências de que aumenta o apetite e pode retardar a perda de peso associada ao HIV / AIDS e pode fazer o mesmo no câncer. Usamos cannabis para evitar o tratamento da caquexia.”

“Eu uso Cannabis principalmente para os sintomas, para prevenir os sintomas dos efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia. E isso é com a náusea, o vômito, a dor, etc. Eu posso contar histórias anedóticas de como a Cannabis ajudou a curar alguns tipos de câncer, mas isso pode levar alguém a recusar a terapia convencional. Especialmente se a terapia convencional funcionar. Algumas das terapias convencionais são muito eficazes no câncer e eu não gostaria que ninguém desistisse disso no interesse de usar Cannabis.”

Por fim, Dra. Genester Wilson-King ainda explicou como a Cannabis pode ajudar a melhorar a saúde sexual das mulheres. “A Cannabis pode estimular a libido, o desejo de fazer sexo, tanto em homens como mulheres. Especificamente para as mulheres, pode aumentar a lubrificação vaginal. Pode diminuir a ansiedade e levar ao relaxamento, o que permite que as mulheres estejam mais presentes e aproveitem o sexo um pouco mais”, finalizou.

“Uma mulher com endometriose sente tanta dor que, durante a relação sexual, até mesmo na antecipação da relação sexual, pode fazer com que os músculos perineais fiquem tensos e algumas chegaram a tomar injeções de Botox para fazer com que os músculos menstruais relaxassem de modo que eles podem fazer sexo. Agora você pode simplesmente usar Cannabis, obter o mesmo efeito e evitar as injeções de Botox, que parecem muito dolorosas para mim.”

4º Medical Cannabis Summit

O mais completo evento sobre Cannabis medicinal terminou na última sexta-feira, 26 de novembro, com mais duas palestras sobre medicina esportiva. O ortopedista e traumatologista Dr. Paulo Barone, o sócio-diretor da Icons Agency e Co-founder do Atleta Cannabis Pedro Guimarães, e Fernando Paternostro, Founder do Atleta Cannabis, abordaram os benefícios da Cannabis para os atletas. 

A primeira palestra do 4º medical Cannabis Summit ainda contou com a participação de Elias Theodoro, o primeiro atleta da história a ter o tratamento com Cannabis medicinal autorizado. 

Para quem perdeu, essas e todas as demais palestras dos cinco dias do evento ainda podem ser conferidas no site medicalcannabissummit.com.br, de forma gratuita e 100% online até o dia 03/12.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email