Veja os 5 melhores momentos da live com o Dr. Mario Grieco

live Dr. Mario Grieco

No Brasil, aproximadamente 8 milhões de mulheres têm o diagnóstico da endometriose, e muitas ainda não sabem do potencial da Cannabis medicinal no tratamento da doença. Para que o alcance deste conhecimento seja ainda maior, selecionamos aqui os momentos mais destacados da nossa live de ontem “Cannabis no tratamento da endometriose”, com a presença do Dr. Mario Grieco e também  disponibilizamos o nosso e-book gratuito “Endometriose & Cannabis Medicinal”

Diferentes estudos e pesquisas apontam para a força dos tratamentos com Cannabis medicinal especificamente na saúde das mulheres. O tema da live está alinhado com a agenda do Março Amarelo, que é o Mês de Conscientização sobre a Endometriose. Logo no início da nossa transmissão, o Dr. Mario Grieco já explicou o que é a doença.

O que é endometriose

“Endometriose é uma enfermidade crônica e dolorosa e está relacionada com processo inflamatório. O diagnóstico é difícil e tem muita relação com infertilidade. Ocorre uma migração da camada do endométrio para outras partes do corpo. E são células que acabam se comportando como se estivessem no útero. Principal sintoma é a dor. Durante a menstruação a dor é extrema e pode ter dor pélvica também. Não é apenas dor física. É emocional também pois afeta a qualidade de vida das mulheres”.

O aparelho genital feminino é o que tem o maior número de receptores canabinóides

“Existe um sistema no nosso corpo chamado endocanabinoide. Endo quer dizer dentro, nós produzimos canabinóides, que são muito semelhantes à Cannabis, à planta. Temos o canabidiol e o Tetrahidrocanabinol, o THC, e que se assemelham muito aos que vêm da planta. Então o sistema canabinoide é formado por estes agentes: o CBD, o THC e por receptores que recebem estes agentes e que fazem ter uma resposta. O útero por exemplo tem bastante receptores CB1 e CB2. Quero que vocês entendam que nós temos estes receptores e que quando há deficiência de canabinoide de uma forma geral você pode ter alguma doença. Não é só na endometriose, são em várias. Por exemplo: paciente que tem ansiedade tem um número menor de canabinóides, paciente que está deprimido também tem um nível menor. Sabemos disso de uma forma milenar, pois a Cannabis existe há mais de 9.500 anos desde a época dos egípcios para o tratamento de epilepsia e hoje finalmente temos produtos aprovados na farmácia à base da Cannabis para o tratamento da epilepsia. É um avanço tremendo”.

A Cannabis no Brasil não é proibida 

“Hoje se você for a uma farmácia, você consegue comprar o medicamento. e já existem várias empresas produzindo. tem os importados e tem os nacionais já. Então além disso, eu como médico posso prescrever um produto da Inglaterra ou dos Estados Unidos. O mais avançado possível. Todos eles aprovados pela Anvisa, tenho que reconhecer o excelente trabalho da Anvisa permitindo estas importações e permitindo que mães de crianças com epilepsia possam ter acesso a estes medicamentos”.

Temos Cannabis para quase a maioria das doenças informa o Dr. Mario Grieco

“A Cannabis medicinal pode ser utilizada para enxaqueca, ansiedade, depressão, Alzheimer, Parkinson, doenças neurodegenerativas em geral, a lista aqui vai longe. A Cannabis medicinal tem importância muito grande como um anti-inflamatório e a maioria das doenças tem ação inflamatória: entre elas a endometriose”.

A Cannabis medicinal serve para aumentar a imunidade do nosso corpo

“Tanto é verdade que nos Estados Unidos pessoas com mais de 60 anos usam Cannabis medicinal regularmente. Pois com o passar dos anos as pessoas começam a apresentar artrose, a esquecer as coisas e apresentar o processo de envelhecimento. E a Cannabis ajuda muito. Sabemos que o uso da Cannabis é contraindicado para pessoas com menos de 21 anos. mas nas pessoas mais velhas, a Cannabis ajuda a fazer o crescimento de células cerebrais”.

 

Assista a live completa com o Dr. Mario Grieco aqui no nosso canal do Youtube e já inscreva-se para receber as notificações das nossas lives semanais.   

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email