Cannabis & Saúde

Família faz vaquinha para custear canabidiol para criança com microcefalia no RJ

Jogadores do Vasco estão envolvidos na campanha pelo tratamento do Yuri e vão doar itens do clube autografados em uma rifa
yuri

A família do Yuri, de 8 anos, morador de Petrópolis, na serra do Rio de Janeir, está realizando diferentes campanhas para conseguir pagar o tratamento do menino, que nasceu com microcefalia e Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Entre as ações realizadas, está uma rifa online foi mobilizada pelo jogador do Vasco Gabriel Pec, que é petropolinatno, e vai sortear itens oficiais do time autografados.

Além dos gastos com uma dieta diferenciada para a criança, mais fraldas e medicações, eles precisam de pelo menos R$ 1 mil a cada 2 meses para comprar um óleo de canabidiol (CBD), produto que controla as fortes crises do menino.

O menino, que chegou a ter diversas crises nervosas e de convulsão por dia, começou a tomar o CBD na semana passada, graças à doação de parentes e amigos. Em pouco mais de um dia, Aline conta que as crises de epilepsia reduziram drasticamente.

“Já sentimos ele bem mais calmo. Ele foi bem tranquilo dentro do carro, o que não ocorria antes da medicação”, diz a madrasta. Ela acredita que a mudança será muito grande caso o menino continue com o medicamento.

Contudo, segundo a madrasta, a família não tem esse valor por isso precisa da solidariedade.

“Fica bem difícil arcar com tudo. E para ajudar a custear o tratamento, estamos nos mobilizando com diversas campanhas de arrecadação” Aline.

Para comprar o canabidiol e aliviar o sofrimento de Yuri até que eles consigam o remédio pela via judicial, a família segue contando com a solidariedade. Uma rifa online foi criada e cada bilhete custa R$10. O sorteio acontece no dia 07 de julho, às 16h. Os participantes concorrem a uma camisa do Vasco autografada pelo elenco, um boné e uma placa oficial do time.

“Estou doando essa camisa assinada pelo elenco para ajudar no tratamento do nosso torcedor mirim. Que Deus possa ajudar e ele saia dessa”, disse Gabriel Pec em um vídeo compartilhado nas redes sociais.

Quem quiser contribuir e adquirir os bilhetes da rifa, basta acessar o endereço eletrônico: https://www.rifatech.com/app/984030001.xhtml. Além disso, as doações podem ser feitas também via Pix (CPF 116.554.277-33) ou depósito bancário (Caixa Econômica Federal – Agência 1641 – Conta Poupança 333347*1). Mais informações podem ser obtidas através dos telefones (24) 9 8825-8104 e (24) 9 8827-8983.

A história

O nascimento de Yuri foi atrasado, e a mãe perdeu todo o líquido, fazendo com que a criança entrasse em sofrimento ainda do ventre. Sem oxigênio, ele broncoaspirou e já nasceu paralisado, sendo reanimado e entubado. Durante um mês inteiro, esteve na UTI neonatal. Nesse período, Yuri teve várias paradas cardíacas e, segundo os médicos, não havia expectativas de que ele sobreviria.

Para a surpresa da equipe médica e dos pais, mesmo muito fraco, o menino foi evoluindo dia após dia e, aos três meses, deixou a UTI. Já em casa, após receber alta, acabou diagnosticado com microcefalia. A partir daí, começaram a surgir os atrasos mentais, motor e cognitivos.

Por meio de sessões de fisioterapia e fonoaudiologia, aos dois anos de idade Yuri aprendeu a comer (deglutir sem engasgar) e a andar. Apesar da evolução expressiva, as crises convulsivas ainda persistiam e só foram controladas com ele completou 4 anos. No entanto, começaram as crises nervosas, agitação, irritabilidade e agressividade. Esse quadro aumenta cada vez mais e, atualmente, a criança é acompanhada por um neurologista e realiza terapias multidisciplinares.

Agora, para tentar amenizar esse quadro, a família está lutando para conseguir arcar para manter os tratamentos e custear as medicações.

As informações são do jornal Diário de Petrópolis

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email