Pfizer entra na indústria da Cannabis com aquisição de R$ 38 bilhões

pfizer cannabis

A Pfizer anunciou nessa semana sua entrada na indústria da Cannabis medicinal, apostando em um tratamento promissor para doenças intestinais. A multinacional farmacêutica e de biotecnologia assinou um acordo com a empresa de pesquisas Arena Pharmaceuticals por um por cerca de US$ 6,7 bilhões, ou R$ 38 bilhões.

No final 80, a Pfizer financiava uma pesquisa com canabinoides, porém desistiu do projeto, deixando os pesquisadores com os compostos. Os cientistas envolvidos nessa pesquisa acabariam por descobrir o sistema endocanabinoide, conforme contou ao portal Cannabis & Saúde a pesquisadora Allyn Howllet, descobridora do receptor CB1.

A Arena Pharmaceuticals, adquirida pela Pfzier, é uma empresa de biotecnologia dedicada à terapia canabinoide. O núcleo de sua operação de Cannabis consiste no Olorinab, uma substância oral, receptor canabinoide (CB2) que tratar pacientes com doenças que afetam o estômago e o intestino. Conforme o site da Arena, Olorinab é um medicamento experimental e atualmente não está aprovado para uso por nenhuma autoridade de saúde.

A equipe de Arena está desenvolvendo esta droga à base de Cannabis com foco inicial na dor visceral associada a distúrbios gastrointestinais. O site da Arena diz que este composto, por meio de sua seletividade para CB2 versus CB1, está sob investigação para o alívio da dor sem efeitos adversos psicoativos.

Os receptores CB1 e CB2 se ligam ao sistema endocanabinóide, um sistema complexo que recebe e sintetiza os compostos da Cannabis. Esses receptores estão presentes em todo o corpo humano. Os fitocanabinoides, como o THC e o CBD, podem se ligar a esses receptores para sinalizar que o sistema endocanabinoide precisa entrar em ação.

Amit D. Munshi, presidente e CEO (CEO) da Arena, disse que as capacidades da Pfizer acelerariam a missão da Arena de fornecer medicamentos essenciais aos pacientes e acredita que esta transação representa o melhor próximo passo para pacientes e acionistas.

“Estamos muito satisfeitos em anunciar a aquisição proposta da Arena pela Pfizer, reconhecendo nossa contribuição para atender às necessidades não atendidas em doenças inflamatórias mediadas pelo sistema imunológico”, disse ele.

O portfólio da Arena também inclui outros pipelines de drogas não canabinoides, com foco no desenvolvimento de terapias potenciais inovadoras para tratar várias doenças imunoinflamatórias.

Ao adquirir a Arena, a Pfizer entra na indústria da Cannabis medicinal e se junta a outras big pharmas nessa corrida verde. Nos últimos anos, grandes farmacêuticas entraram no mercado por meio de diversas operações.

A empresa canadense de pesquisa e desenvolvimento de Cannabis Avicanna tornou-se uma empresa residente na Jonhson & Johnson’s em Toronto em 2017.

Um ano depois, a canadense Tilray tornou-se global por meio de um acordo com a empresa farmacêutica suíça Novartis para desenvolver e distribuir seus produtos de maconha medicinal em jurisdições legais em todo o mundo.

Em maio de 2021, a empresa biofarmacêutica global Jazz Pharmaceutical concluiu a aquisição da GW Pharmaceuticals, desenvolvedora do Epidiolex, o primeiro medicamento CBD autorizado pela FDA para o tratamento de crianças com as síndromes de Lennox-Gastaut e Dravet.

Como as Big Tobacco, o interesse das Big Pharmas na indústria da Cannabis cresce em rápida evolução. Por este motivo, espera-se um maior envolvimento das empresas farmacêuticas na indústria da cannabis medicinal nos próximos anos.

Com informações da Forbes

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email