Fogachos: Entenda o que são e Como aliviar esses Sintomas

fagachos mulher conversando

Você já ouviu falar nos fogachos ou já sentiu esse problema tomando conta do seu corpo?

Muito comum entre mulheres que estão entrando no período da menopausa, os fogachos se caracterizam por fortes ondas de calor no corpo, sobretudo no rosto e no pescoço.

Essas ondas de calor podem trazer sérios problemas no cotidiano de uma mulher, seja no trabalho, na sua vida privada ou até mesmo no sono. Afinal, com o suor causado por este calor, é muito difícil se concentrar de forma adequada em suas tarefas e até mesmo para dormir.

Por isso, se você quer saber melhor sobre o que são os fogachos e algumas formas de lidar com os sintomas, continue lendo!

Nós do Portal Cannabis e Saúde preparamos este artigo completo para você!

O que são os Fogachos?

fogachos mulher sentada

Como dito anteriormente, os fogachos são algumas ondas de calor no corpo, que esquentam o corpo e causam suor. Sua duração pode variar entre 30 segundos e cinco minutos, repetindo-se várias vezes ao dia.

Normalmente os fogachos se iniciam na testa (e no rosto como um todo), chegando até ao pescoço de forma muito rápida. O restante do corpo pode ser impactado, mas de forma menos rápida e menos frequente.

Quando uma mulher está passando por fases onde os fogachos são comuns, o seu rosto pode ficar bastante vermelho, como se tivesse comido algo apimentado logo antes. Além disso, alterações na pressão arterial e na frequência cardíaca são comuns.

Os fogachos podem atrapalhar bastante a qualidade de vida de uma pessoa – imagine acordar várias vezes à noite por causa das sensações trazidas pelas ondas de calor ou de suor excessivo?

Além disso, os fogachos podem causar fadiga, irritabilidade e até mesmo problemas de memória – sobretudo quando ocorrem no período noturno.

Os fogachos podem atrapalhar a qualidade de vida de uma mulher e suas atividades cotidianas, seja no lazer, em casa ou no trabalho.

Algumas delas apontam que realizar suas atividades no trabalho fica bem mais complicado quando estão passando por crises de calor e suor extremo, por exemplo.

Nesse sentido, a pessoa deve ficar atenta sobre como os fogachos tem afetado a sua vida e buscar auxílio médico. Apesar de ser uma condição comum e que acontece em boa parte das mulheres entre 45 e 55 anos, as mudanças e problemas trazidos por ela não devem ser ignoradas.

– Quem tem predisposição a ter fogachos?

Nem todas as mulheres sofrerão de forma constante com os fogachos durante a menopausa. Entretanto, não há estudos científicos claros sobre o que leva uma pessoa a ter predisposição para isso.

Porém, os fogachos são mais comuns em três grupos:

  • Mulheres que fumam

Assim como em diversas doenças, fumantes têm mais predisposição a enfrentar crises de fogacho de forma constante.

Como alguns órgãos podem estar comprometidos devido ao hábito do tabagismo, é normal que nem tudo esteja funcionando em sua plenitude. Dessa forma, é comum que o fogacho apareça mais frequentemente nessas pessoas.

  • Mulheres Obesas

De forma quase geral, pessoas com mais gordura corporal, apresentam um nível maior de sudorese devido a questões relacionadas à queima calórica ser muito maior do que numa pessoa mais magra. Por isso, mulheres obesas têm maiores chances de ter fogachos com mais frequência.

  • Condições econômicas

De acordo com estudos brasileiros, condições econômicas reduzidas estão fortemente associadas à prevalência dos fogachos. Um dos fatores levantados nos estudos, relaciona-se com a pobreza menstrual que muitas dessas mulheres têm de conviver ao longo de sua vida.

– Causas dos fogachos

Entre as principais causas dos fogachos, pode-se destacar a alteração e desequilíbrio dos hormônios femininos entre uma mulher que menstrua e uma que entrou em menopausa.

Se o corpo da mulher está acostumado a fazer determinadas atividades e funções e deixa de fazê-lo, há um tempo de adaptação. A esse período, dá-se o nome de perimenopausa, que é a transição para a menopausa.

Inclusive, é nessa época que boa parte dos sintomas dos fogachos começam a aparecer de forma mais frequente. Afinal o corpo (e a produção hormonal) ainda não estão plenamente adaptados às novas condições e tentam mantê-lo da mesma forma que antes.

Além disso, os fogachos podem ser causados pelo efeito colateral de medicamentos antes da menopausa e durante. Entre esses medicamentos, pode-se incluir os anticoncepcionais e medicamentos para engravidar.

Por fim, de forma menos comum, problemas com a tireoide e doenças como câncer (e o seu tratamento) podem gerar fogachos.

Entenda como funcionam os fogachos

fogachos mulher passando mal

A melhor forma de lidar com uma condição como os fogachos é entender melhor sobre como se dá o seu funcionamento.

Abaixo, trouxemos mais detalhes sobre como esse fenômeno acontece no corpo de uma mulher.

– Principais sintomas

O sintoma mais comum de fogacho é a sudorese e o esquentamento excessivo do corpo, sobretudo na região da cabeça e do pescoço.

Muitas dessas crises podem ser leves e de curta duração, mas em outros casos podem gerar até mesmo a necessidade de tratamento com medicamentos ou reposição/terapia hormonal.

Em alguns casos, pode haver ainda:

  • Pele corada, dando a impressão de que se ingeriu uma grande quantidade de comida apimentada;
  • Coração com batimentos acelerados, o que também traz em consequência o sentimento de ansiedade;
  • Sensação de hipotermia quando o fogacho passa. Mesmo que a temperatura ambiente esteja agradável, a pessoa tende a sentir frio pelo choque térmico.

– Quanto tempo dura o fogacho?

Os fogachos têm intensidade e frequência variáveis, de acordo com o nível do problema enfrentado pela mulher. Algumas crises podem durar menos de um minuto e outras mulheres podem ficar até 10 minutos passando por um episódio de fogacho.

Por outro lado, quando falamos do tempo em que uma pessoa pode ter repetidos episódios de fogacho, o comum é que ela ocorra principalmente durante o início da menopausa.

Entretanto, há casos de mulheres que convivem com os fogachos por mais de 5 anos de forma frequente. Mais raramente, há casos em que os fogachos podem fazer parte da vida de uma mulher por mais de 10 anos.

– Qual período do dia é comum ter fogachos?

Os fogachos costumam acontecer de forma mais comum durante à noite, quando a mulher vai dormir.

Nesses casos, é bem comum que haja um prejuízo à qualidade do sono, visto que o suor e a sensação de esquentamento fazem com que ela acorde várias vezes durante a noite.

Entretanto, os fogachos podem aparecer várias vezes ao dia, com até 10 episódios de curta/média duração.

Como identificar os fogachos?

O diagnóstico dos fogachos é simples. O seu ginecologista de confiança deverá saber diferenciar os fogachos de outras condições apenas com sua descrição do que sente.

Porém, se você não tem certeza de que está no período inicial da menopausa, exames de sangue podem ser feitos para confirmar esta informação.

Existe tratamento para fogachos?

fogachos mulheres conversando

Sim, existe tratamento para fogachos.

A maior parte dos tratamentos ocorre no sentido de fazer uma reposição ou terapia hormonal. Além disso, medicamentos como anticonvulsivos e antidepressivos podem ser bastante úteis no tratamento.

Porém, em ambos os casos há chances elevadas de enfrentar efeitos colaterais importantes. A reposição hormonal com estrogênio, por exemplo, pode fazer com que o seu corpo tenha mudanças importantes tanto em sua estrutura quanto em suas funções.

Esse hormônio, inclusive, é uma das principais causas de endometriose, câncer de mama e trombose em mulheres.

Por isso, o tratamento para fogachos, sobretudo quando utiliza-se da reposição de hormônios, deve ser feito com cautela e seguindo aconselhamento e monitoramento médico.

Há alguns tratamentos que envolvem o complemento dessas reposições e remédios com outros medicamentos com eficácia comprovada e com redução nos efeitos colaterais.

Mais abaixo detalharemos sobre alguns desses tratamentos, bem como as suas evidências científicas.

É possível prevenir fogachos?

Os fogachos em si não são preveníveis. Entretanto, há algumas condições (ou fatores de risco) que levam a uma maior prevalência em seu aparecimento.

Dessa forma, pode-se adotar um estilo de vida que evite algumas destas condições para que, possivelmente, haja uma diminuição nos riscos com o sofrimento por causa dos fogachos.

Nesse sentido, deve-se adotar uma vida saudável, com a realização de exercícios de forma periódica.

Além disso, uma alimentação balanceada permitirá que seu corpo funcione de forma melhor, com todos os nutrientes e vitaminas necessários para suas funções.

Nisso é possível incluir a produção de hormônios, uma das causas dos fogachos na menopausa.

Por fim, abandonar hábitos como o tabagismo faz com que previna-se não só os fogachos, como uma série de doenças e problemas de saúde.

A alimentação tem alguma correlação com os fogachos?

fogachos mulher e pimentao

Uma alimentação adequada pode fazer com que os episódios de fogachos se tornem cada vez menos frequentes ou até mesmo cheguem a desaparecer.

Alimentos integrais e ricos em fibras, bem como soja, derivados de leite, nozes, castanhas, peixes e hortaliças podem trazer importantes benefícios à mulher. Estes alimentos são boas fontes de ômega 3 e vitamina E, o que faz com que a produção do estrogênio seja realizada da forma correta e equilibrada.

Além disso, alguns alimentos devem ser evitados por mulheres que já estejam enfrentando episódios de fogachos. Abaixo, trouxemos uma lista mais detalhada:

– Quais alimentos podem piorar os fogachos?

Por outro lado, o consumo de alguns alimentos pode trazer prejuízos à reposição hormonal natural no corpo das mulheres no período de menopausa.

Muitos, inclusive, podem trazer problemas adicionais nessa idade, como é o caso das doenças cardiovasculares. Nesse sentido, deve-se evitar os seguintes alimentos em excesso quando se está na menopausa:

  • Sódio em excesso

Nunca é demais lembrar: o sódio em excesso é um dos grandes vilões da nossa alimentação. Normalmente é na época da menopausa que a mulher começa a enfrentar questões de saúde com relação a problemas cardiovasculares e nisso o sal é um grande vilão.

Além disso, o sal não auxilia na produção dos hormônios necessários nessa fase da vida da mulher.

  • Alimentos ricos em cafeína

O uso de alimentos ricos em cafeína na dieta cotidiana de uma mulher em menopausa pode ser bastante prejudicial.

As crises de fogachos costumam ocorrer de maneira mais prevalente em mulheres que consomem mais bebidas cafeinadas, como demonstra esta pesquisa norte-americana.

  • Alimentos apimentados

Como já citamos ao longo deste artigo, um dos principais sintomas dos fogachos é justamente a impressão de que comemos muita pimenta. Dessa forma, não faz sentido algum comer um alimento que faça o mesmo, não é?

As pimentas (embora deliciosas para muita gente) podem fazer com que a sua temperatura corporal se eleve e torne os fogachos insuportáveis.

  • Alimentos quentes

Alguns alimentos quentes podem fazer com que a sensação dos fogachos seja aumentada, fazendo com que se torne insuportável, assim como dissemos no tópico anterior.

Por isso, sopas e chás devem ser consumidos com moderação por mulheres que enfrentam episódios de fogachos.

A cannabis medicinal pode aliviar os sintomas de fogachos?

fogachos cannabis

De acordo com um estudo norte-americano, mais de 25% das mulheres estadunidenses acima de 45 anos afirmam já ter utilizado Cannabis e seus extratos medicinais para tratar os sintomas da menopausa.

Isso representa um número maior do que as mulheres que já utilizaram outros tratamentos para tratar os sintomas da menopausa, como a terapia hormonal. O estudo foi apresentado na Reunião de 2020 da Sociedade Norte-Americana de Menopausa e trouxe algumas considerações importantes.

Boa parte dos especialistas presentes apontaram que há uma boa ciência por trás da conexão entre os sintomas da menopausa e o sistema endocanabinóide natural do corpo, mesmo que atualmente faltem pesquisas diretas sobre a eficácia da cannabis no tratamento da menopausa.

Por isso, estudos devem surgir nos próximos anos de forma a corroborar o uso de Cannabis para fogachos.

Estudos que indicam benefícios da Cannabis para alívio de fogachos

Este estudo, de 2021, trouxe à tona sobre o impacto do uso de Cannabis em alguns sintomas da menopausa. Entre eles, incluem-se variações de humor, problemas para dormir, sintomas vasomotores e os fogachos.

Nesse sentido, foi feita uma análise com mais de 500 estudos foram analisados, tendo 3 entrado pelos critérios de inclusão. Nem todo

Boa parte dos estudos que relacionam o uso de Cannabis com os fogachos estão sob um guarda-chuva mais amplo.

Na maior parte dos casos, analisa-se de forma geral sobre a melhora nos sinais da menopausa após o uso de medicamentos à base da Cannabis, por exemplo.

Nesse sentido, um estudo apresentado no Encontro Anual da Sociedade Norte Americana de Menopausa, verificou-se sobre a utilização da Cannabis para o alívio dos sintomas de menopausa entre mulheres na Califórnia.

Primeiramente, realizou-se uma entrevista prévia, onde 231 mulheres com idade média de 55,95 anos responderam à questões com relação à utilização da Cannabis para tratar sintomas da menopausa.

Entre estes sintomas, os fogachos fazem parte, bem como interrupções do sono pela sudorese excessiva, insônia, entre outros.

27% destas mulheres disseram estar utilizando (ou já ter utilizado) a Cannabis para o tratamento destes sintomas. Além disso, no grupo das mulheres que ainda não utilizaram o tratamento dos fogachos à base de Cannabis, 10% afirmaram ter interesse em fazê-lo.

Posteriormente, a mesma pesquisadora propôs uma nova fase da pesquisa através de um estudo observacional com mulheres de idades cujas idades variam entre 45 e 64 anos. Os dados dessas mulheres foram coletados entre março de 2019 e maio de 2020.

O uso de cannabis foi mais frequentemente relatado entre as mulheres que relataram ondas de calor (67% vs. 50% para não-usuárias; P = 0,03) e sudorese noturna (68% vs. 47%; P < 0,01) nas últimas duas semanas.

Isso nos leva a entender que o uso da Cannabis tem sido benéfico para estas mulheres, haja visto entenderem que os sintomas são aliviados após o uso da Cannabis para redução dos efeitos da menopausa.

Isto é corroborado pela Dra. Junella Chin, uma consultora médica da CannabisMD, uma das principais autoridades no uso medicinal da Cannabis no mundo nas seguintes afirmações:

“Curiosamente, no entanto, muitas mulheres descobriram que os produtos de cannabis são eficazes no tratamento dos sintomas da menopausa – particularmente insônia e ondas de calor”

“As ondas de calor são devidas aos altos e baixos hormonais da menopausa – O estrogênio está envolvido com o sistema endocanabinóide do corpo e o CBD se liga a esses receptores.”

Ela acrescentou que tanto o CBD quanto o THC são conhecidos por seus efeitos sedativos, o que poderia explicar sua eficácia relatada contra a insônia.

“Faz sentido que algumas mulheres encontrem alívio com a terapia à base de plantas cannabinoides”, disse Chin.

Além disso, uma das principais especialistas envolvidas na análise do estudo, Samantha Miller, aponta que é preciso oferecer esses produtos por uma via confiável para que as mulheres possam ter a certeza de que estão fazendo todo o processo por via legal e segura.

Onde buscar o tratamento auxiliar à base de Cannabis?

O uso da Cannabis Medicinal no Brasil é legalmente autorizado pela Anvisa.

O melhor de tudo é que, ao contrário do que muitos podem pensar, o processo para a compra das substâncias à base de Cannabis medicinal é bastante simplificado.

De acordo com a regulamentação RDC 660 da Anvisa, para a utilização de qualquer medicamento à base de Cannabis Medicinal, é necessário fazer a consulta com um profissional habilitado, que será quem irá prescrever o tratamento mais adequado para cada situação.

Nesse sentido, o profissional habilitado realiza a prescrição, com o medicamento, a dosagem (ou concentração) de cada componente e como deve ser adquirido o medicamento.

Entretanto, pesquisas apontam que menos de 0,4% dos médicos no Brasil tem experiência na prescrição de tratamentos à base de Cannabis.

Especialistas acreditam que esse baixo índice tenha a ver com o reduzido conhecimento sobre o sistema endocanabinoide e estudos relacionados aos benefícios da Cannabis no tratamento de doenças relacionadas a esse sistema.

Devido a esse baixo número de médicos prescritores de Cannabis, o Portal Cannabis & Saúde criou uma plataforma exclusiva para solicitações de consultas com profissionais habilitados e experientes na abordagem terapêutica de canabinoides.

Nossa plataforma é completa e você pode buscar médicos por nome, especialidade, cidade, patologia, preço de consulta e até atendimento por planos de saúde.

Além disso, há a possibilidade de agendar a sua consulta tanto por telemedicina quanto por atendimento presencial. Dessa forma, você consegue escolher qual é a forma que melhor te atende.

Clique aqui e agende já a sua consulta!

Conclusão

fogachos mulher sorrindo

Durante o artigo, pudemos ver sobre como os fogachos podem ser problemáticos e trazer questões negativas à qualidade de vida de uma mulher.

Embora não seja fácil de se prevenir, tratá-lo de forma adequada é necessário para que se consiga ter uma vida normal e com o menor número de efeitos sentidos durante a menopausa.

Nesse sentido, reposições hormonais e com a utilização de medicamentos como antidepressivos e anticonvulsivantes são bastante comuns em tratamentos para fogachos.

Entretanto, muitos desses tratamentos trazem consigo efeitos colaterais importantes. Por isso, alternativas têm sido estudadas e desenvolvidas nos últimos anos para tratar os fogachos.

Como um complemento aos tratamentos convencionais, a Cannabis Medicinal tem se destacando como uma forma de melhorar os efeitos positivos da medicação, diminuindo os efeitos colaterais.

Se você sofre com os efeitos da menopausa, sobretudo os fogachos, converse com o seu médico sobre a possibilidade da utilização da Cannabis Medicinal no seu tratamento.

Caso não conheça algum profissional com experiência no tratamento de fogachos com o uso da Cannabis Medicinal, clique aqui e agende já a sua consulta!

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email