Cannabis & Saúde

Comissão da Cannabis aprova PL 399, que legaliza plantio de fins medicinais e industriais

Projeto deve ir direto ao Senado; no entanto, caso 52 deputados façam requerimento, será levado para votação no plenário da Câmara
importação canabidiol como solicitar autorização para importar produtos devivados de canabis

A comissão especial da Cannabis na Câmara dos Deputados aprovou na manhã desta terça-feira (08) o parecer favorável ao Projeto de Lei 399/15, que legaliza o plantio para fins medicinais, industriais e de pesquisa no Brasil. A votação terminou empatada em 17×17, e teve o voto de minerva favorável pelo relator Luciano Ducci (PSB-PR).

O texto é terminativo na comissão e, conforme o regimento, deve ir direto para votação no Senado. No entanto, caso 52 parlamentares requeiram levar o PL ao plenário, ele deverá ser votado pelos 513 deputados. Os opositores ao projeto garantem ter esse número.

canhamo industrial brasil onde encontrar medico para prescricao

Agende uma consulta com médicos prescritores de Cannabis Medicinal.

O sistema de agendamento de consultas foi criado com o apoio de um conselho altamente qualificado para conectar você à profissionais sérios e habilitados para lidar com as mais diversas patologias nas quais o tratamento com CBD é recomendado

A proposta permite o cultivo da maconha (com THC) para produção de remédios por empresas, governos e organizações não-governamentais. Essas autorizações deverão ser concedidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e preveem uma série de exigências, como muro de 2 metros com cerca elétrica, vídeo-monitoramento 24h e acesso via biometria. Já a produção do cânhamo, a Cannabis sem o psicoativo, será concedida pelo Ministério da Agricultura para produtos veterinários e a produção industrial, que inclui alimentos, roupas e bioplásticos, entre outros produtos.

O texto veta o cultivo por pessoas físicas e a venda de flores in natura ou demais partes da planta. Ou seja, o uso adulto continua vetado, apesar das constantes fake news divulgadas pelos opositores.

Veja como votou cada membro da comissão

 

O portal Cannabis & Saúde acompanhou a votação em uma live comentada por mim no nosso Instagram. Foram quase 3h de transmissão ininterruptas. Você pode ver ou rever nossa live!

Foram 2 anos de discussão

Criada em 2019, a comissão especial fez 12 audiências públicas, além de visitas técnicas ao Uruguai e à Colômbia, que já legalizaram o plantio, e à sede da Abrace, ONG autorizada a cultivar desde 2017. Desde então, foram feitas várias as mudanças no projeto original, do deputado Fábio Mitidieri (PSD-SE), que inicialmente alterava a Lei Antidrogas apenas para autorizar no Brasil a venda de medicamentos oriundos da Cannabis sativa.

Atualmente, a Lei Antidrogas proíbe em todo o território nacional o plantio, a cultura, a colheita e a exploração de vegetais e substratos dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas, com exceção para aquelas plantas de uso exclusivamente ritualístico religioso e no caso de fins medicinais e científicos.

A autoridade sanitária dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), já aprovou produtos feitos com Cannabis sativa. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não classifica esses itens como medicamentos, mas autoriza a importação com receita médica.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email