Conheça mais um canabinoide: o CBC

16911

Você sabia que a Cannabis tem mais de 100 tipos de canabinoides

Os mais conhecidos são o CBD e o THC, mas há vários outros. Agora, chegou a hora de conhecer o canabicromeno, ou CBC. Ele tem potenciais terapêuticos que nem o THC nem o CBD possuem: é fungicida e bactericida. E apresenta efeito sedativo, hipotensor e anti-inflamatório. Estudos ainda sugerem que o CBC possa estimular o processo de neurogênese, ou seja, na criação de novos neurônios. 

30 patologias

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

Descoberta e produção

O CBC foi descoberto em 1996 e estudos posteriores encontraram os tipos de Cannabis mais ricos com esse composto. Produtores e indústria fizeram cruzamentos e obtiveram plantas com concentração maior ainda.

A extração tradicional dos canabinoides segue os seguintes passos: primeiro é feita a colheita, depois a secagem da planta para então ser realizada a extração dos diversos canabinoides. Vários métodos competem por patentes para realizar esta última etapa. Em geral, estes métodos optam pelo aquecimento industrial. 

A partir daí, a separação dos canabinoides entre si (CBD, CBC e outros), é feita por várias sessões de cromatografia e recristalização, formando um isolado sólido do CBC, que pode ser usado nesta forma mesmo de isolado ou a partir de seus derivados. 

Benefícios terapêuticos

Um estudo em ratos de 2015 em Israel, mostrou que o CBC pode aumentar os efeitos antiinflamatórios e antioxidantes do CBD, e que o uso concomitante de demais canabinóides com o CBC é altamente recomendado.

Múltiplos estudos reforçaram a descoberta dos israelenses. 

Efeitos anti-inflamatórios

Este efeito benéfico vem da capacidade do CBC se ligar aos receptores chamados CB2 no sistema imunológico e fazer com que as células parem de liberar substâncias inflamatórias, aliviando não só as inflamações, mas as dores decorrentes.

Com essa características, o composto obtém resultados tão bons quanto a fenilbutazona em doses parecidas, de acordo com estudos realizados em ratos. Além de ser menos tóxico, o CBC não tem efeitos colaterais importantes, podendo ser usado em doses maiores, aumentando seus benefícios.

Ele também neutraliza os radicais livres, que contribuem para algumas inflamações do trato urinário, o que equilibra o sistema imunológico e diminui seu estresse.

Estudo de 2016 aponta que o CBC reduz a oleosidade, reduzindo e aliviando a acne. Daí o aumento de sua utilização em pomadas, cremes e óleos para a pele.

Também se mostrou eficaz em tratamento de doenças intestinais e seus sintomas inflamatórios.

Efeitos antimicrobianos

O CBC consegue vencer a resistência a antibióticos, tendo forte ação antibacteriana.

Um bom exemplo é sua ação na bactéria Staphylococcus aureus, que causa várias doenças respiratórias.

O canabicromeno também se mostrou eficiente no enfraquecimento de tumores, induzindo à morte de células cancerígenas. Estudos preliminares em células cancerígenas graves (seio, próstata, colorretal, leucemia, gástrica, tireóide, glioma), mostraram o potencial do CBC no tratamento dessas enfermidades.

Outros estudos também demonstraram resultados animadores para tratamentos contra a depressão e antifúngicos. 

A estrutura do CBC

O CBC se apresenta de forma diferente dos dois compostos mais conhecidos, em forma ácida, o CBCA, por isso precisa de altas temperaturas em processo industrial, para se quebrar em CBC.

Também sua ação é diferente do CBD, apesar de sua estrutura ser parecida. Ao invés de se ligar aos receptores do sistema cannabinóide, o CBC parece se ligar a receptores diferentes, os vanilóides. Mesmo assim, o CBC influencia o sistema endocanabinóide, presente no corpo todo, mas através desse sistema vanilóide.

Precauções

Ainda não existem estudos clínicos (em humanos) comprovando eficácia e segurança, portanto, o consumo do CBC deve ser feito com orientação médica. 

Nos Estados Unidos, a agência reguladora de medicamentos americana FDA ainda não aprovou o isolado de CBC para uso medicinal. A justificativa é a falta de ensaios clínicos suficientes para garantir a segurança do consumidor. Por isso, o consumo de CBC só é legal com um percentual abaixo de 0,3% de THC, justamente pelo caráter psicoativo do componente.

O CBC também pode interagir e mudar o metabolismo e eficácia de remédios processados pelo fígado.

Em estudos em macacos e ratos, houve casos de sonolência e tontura.

Aos médicos interessados em prescrever, o conselho dos especialistas é iniciar com doses baixas e aumentar lentamente ao perceber resultados positivos.

Procurando por um médico prescritor de Cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email