Cannabis & Saúde

Care Club: clínica esportiva aposta no CBD para recuperação de atletas

Médico do Palmeiras e da Seleção Brasileira de Natação conversou com o Cannabis & Saúde sobre os benefícios da Cannabis no esporte
Care Club

Com a ciência e a medicina esportiva cada vez mais desenvolvidas, as clínicas para atletas precisam estar em constante atualização para, assim como os esportistas, manterem a competitividade. É o chamado acompanhamento 360º do atleta, que além de focar no treinamento, nutrição e suplementação, precisa abordar trabalhos de prevenção de lesões, tratamentos e, desde 2021, o uso da Cannabis, que já é considerada uma revolução no esporte. Cada vez mais ligas esportivas estão permitindo seu uso e até as Olimpíadas liberaram o canabidiol.

Uma dessas clínicas é a Care Club, com unidades em São Paulo, Rio e Porto Alegre. Entre os atletas que a clínica acompanha, estão a medalha de ouro na maratona aquática Ana Marcela Cunha, o Bruno Fratus, bronze na natação, e outros atletas da natação e ginástica olímpica. Não é possível dizer se eles usaram o CBD durante os Jogos, mas se usaram, foi permitido pela Agência Mundial Antidoping.

“A gente tem a preocupação do CBD puro para seguir a legislação antidoping. A questão do canabidiol é que é uma grande novidade. Os estudos estão recém saindo. Ou seja, não se tem nada na ação esportiva ainda. Tudo que a gente relaciona ao esporte é feito de forma indireta. Então a melhora da recuperação, do sono, do controle emocional do atleta, tudo isso são ações indiretas que a gente tenta associar ao esporte para que reflita em rendimento”, explica o Dr. Gustavo  Magliocca, médico do Esporte e sócio fundador da Care Club.

Gustavo Magiocca ao lado da campeã olímpica Ana Marcela

Magliocca também é médico da seleção brasileira de natação, diretor do departamento médico do Palmeiras e vice-presidente da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva. O profissional também é um entusiasta da Cannabis medicinal no âmbito esportivo.

“É impressionante a recuperação!”

“A gente está muito empolgado com isso. O primeiro motivo mais importante é que não é mais doping, mas o segundo é que trata-se de uma planta natural. Não vem de um processo industrial, então a gente pode usar sem ter grandes preocupações de restrição terapêutica”.

O que ele mais tem visto na prática médica é a recuperação muscular dos atletas: “é impressionante como o tempo de recuperação e as dores pós estímulo de intensidade recuperam mais rápido. Sem deixar de falar da qualidade do sono, que interfere muito em performance”.

Aproveite e agende uma consulta com o Dr. Roberto Beck, médico da Care Club, disponível em nosso portal. CLIQUE AQUI.

Futuro do Esporte

Para Gustavo Magliocca, é impossível pensa no futuro do esporte sem considerar a Cannabis.

“Ainda temos muito a percorrer. Mas uma vez liberada e uma vez que se torne natural nesse meio, tem tudo para ser usado em larga escala. Eu acredito que no próximo ciclo olímpico o canabidiol será uma droga de uso extensivo, e nós temos que ficar atentos aos efeitos, não só de melhora de performance, mas prevenção de tratamentos de dores e lesões”, acredita.

“E o mais importante nisso tudo é a substituição medicamentosa. Uma vez que você tem comprovação científica do efeito analgésico, você consegue tirar da rotina do atleta drogas que se sabe que tem efeitos colaterais importantes”, conclui.

O portal Cannabis & Saúde está com o projeto editorial CBD nas Olimpíadas, por conta dos primeiros jogos olímpicos com a substância liberada pela agência antidoping. Confira nossa página com os conteúdos especiais ou veja nossa playlist com as lives do YouTube!

CBD no Esporte

 

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email