Cannabis & Saúde

O que a ciência sabe sobre Cannabis no tratamento do coronavírus?

Estudos preliminares demonstram a eficácia dos fitocanabinoides para evitar casos graves de infecção pelo novo coronavírus
cannabis-medicinal-tratamento-covid

Dos casos mais graves de Covid-19, boa parte decorre de uma condição chamada de Síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA). Caracterizada pela intensa falta de ar, é o que torna ventiladores pulmonares, os chamados respiradores, tão importantes em tempos de pandemia.

Não há qualquer evidência de que algum componente da Cannabis seja capaz de enfrentar o vírus. Entretanto, os fitocanabinoides podem desempenhar um papel importante no combate aos sintomas da doença, como a fatal SDRA. 

É o que sugerem alguns estudos internacionais. Em um modelo de computador que simula o pulmão humano e o efeito de cada substância em seu funcionamento, pesquisadores da Universidade de Lethbridge, no Canadá, testaram 800 variedades de Cannabis sativa.

Porta de entrada da Covid-19

O vírus SARS-CoV2 é transmitido por microscópicas gotículas de saliva que emitimos em cada respiração. Quando outra pessoa aspira essas gotículas, ele entra pelo sistema respiratório, onde encontra uma enzima chamada ACE2 (sigla em inglês para enzima conversora de angiotensina 2). Essa enzima é fundamental para o ciclo de vida do vírus, já que é onde se encaixa para contaminar as células.

Controlar essa porta de entrada, então, aparece como uma possibilidade de tratamento. A Cannabis, com suas já demonstradas propriedades anti-inflamatórias, como meio para tornar isso possível.

Coronavírus e a Cannabis

O modelo demonstrou que a Cannabis sativa, principalmente as variedades com alta concentração de canabidiol, demonstrou ser capaz de reduzir a atividade do gene ACE2, que dita as regras para a produção das enzimas de mesmo nome. Os testes também demonstraram a redução da atividade de outra enzima, a protease serina 2 (TMPRSS2), que também desempenha um papel na infecção pelo SARS-CoV2.

Apesar de indicarem a necessidade de mais estudos, os pesquisadores abrem a possibilidade para a utilização de enxaguantes bucais à base de Cannabis como tratamento preventivo.

Mais evidências

Outro grupo de pesquisadores, da Universidade da Georgia, nos EUA, também tiveram bons resultados no uso de CBD para evitar casos graves da Covid-19. Para o estudo, os pesquisadores utilizaram uma técnica que recria de forma sintética o RNA, o código genético do vírus.

De acordo com os pesquisadores, os casos mais graves de infecção pelo novo coronavírus, que desenvolvem a SDRA, acontecem por uma tempestade de citocina. São moléculas secretadas pelo sistema imunológico relacionadas à inflamação, parte da resposta de defesa de um corpo saudável. O vírus, no entanto, provoca a superprodução dessa citocina, o que acaba comprometendo os pulmões.

“A resposta imune exagerada pode desativar rapidamente os pulmões, transformando-os em um local onde o vírus é replicado, em vez de um local que disponibiliza oxigênio para nossos corpos”, escreveram em comunicado.

Os testes, depois replicados em camundongos, demonstram que o canabidiol é capaz de regular essa resposta exagerada do sistema imunológico. O CBD melhorou rapidamente os sintomas clínicos, depois estudos detalhados posteriores dos pulmões mostraram que os danos à sua estrutura, como crescimento excessivo de tecido, cicatrizes e inchaço, também haviam sido total ou parcialmente resolvidos.

“Acredita-se que pelo menos uma das maneiras pelas quais o CBD acalme a resposta imune é porque ele se parece com os endocanabinoides, um sistema de sinalização celular natural em nossos corpos que se acredita estar envolvido em uma ampla variedade de funções, desde o sono até a reprodução, inflamação e resposta imune”, afirma Jack Yu, que liderou o estudo.

“CB1 e CB2, os principais receptores desse sistema, são encontrados extensivamente por todo o corpo, incluindo o cérebro e o sistema respiratório, onde respiramos irritantes naturais e artificiais no ar – bem como vírus e bactérias – que podem inflamar.”

THC e Covid-19

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Carolina do Sul também encontraram benefícios da utilização de Cannabis para evitar SDRA. Mas dessa vez, o promissor canabinoide é o THC.

Apesar de estar intimamente relacionado aos casos graves de Covid-19, o novo coronavírus não é o único responsável pelos casos de SDRA. Lesões no pulmão pela inalação de fumaça, assim como a infecção por bactérias, também podem desencadear a essa grave síndrome respiratória, com mortalidade em até 50% dos casos. Os pesquisadores testaram a administração de THC nos casos de infecção pela enterotoxina estafilocócica, que também provoca a tempestade de citocina. 

Eles observaram que, durante o processo de inflamação, o ambiente do pulmão favorece a proliferação de bactérias patogênicas. Já o THC favoreceu bactérias benéficas, que controlam a resposta exagerada do sistema imunológico e, assim, evita danos aos pulmões. 

“A tempestade de citocinas é um grande problema clínico que leva à falência de vários órgãos e, muitas vezes, à morte. Também é observada em pacientes com COVID-19, e não há modalidades de tratamento eficazes contra esta síndrome”, diz Prakash Nagarkatti, do Departamento de Patologia, Microbiologia e Imunologia, um dos autores do estudo.

“Temos trabalhado com canabinoides por mais de 20 anos e descobrimos que canabinoides como o THC são altamente anti-inflamatórios. Assim, nossos estudos levantam a sugestão emocionante de testar o THC contra a SDRA observada em pacientes com COVID-19 “, disse Prakash Nagarkatti.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email