Gana legaliza o uso medicinal de Cannabis

gio-bartlett-zxlf9ck9aby-unsplash-e1585055720399-1024x420

Governo de Gana aprova lei que permite uso da cannabis para fins medicinais e industriais, com THC inferior a 0,3%, tornando-se o mais recente país africano a legalizar

Na última sexta-feira, 20, o parlamento de Gana aprovou um Projeto de Lei da Comissão de Controle de Narcóticos que permite o uso e cultivo de cannabis para fins medicinais e industriais. A nova lei limita a concentração de tetra-hidrocanabinol (THC) nas plantas a 0,3%. O uso recreativo segue ilegal no país.

Outros países também afrouxaram as leis voltadas para a cannabis nos últimos meses. Malawi, Zimbábue, Zâmbia, África do Sul e Lesoto seguiram o mesmo caminho. Ainda assim, como acontece em vários lugares do mundo, nem sempre a população interpreta bem a nova legislação. Muitos ganenses acreditam que a legalização da cannabis é para uso pessoal, o que não é o caso.

Siga-nos em nosso Instagram

“Não estamos promovendo o fumo. Estamos promovendo a indústria e promovendo a limpeza do meio ambiente. Estamos promovendo a criação de um novo fluxo de receita para o governo em termos de tributação do cultivo e exportação. Além disso, estamos falando sobre a promoção de medicamentos muito melhores do que opioides, porque ninguém morreu de consumir cannabis, explicou Nana Kwaku Agyemang, presidente da Associação de Cânhamo de Gana, a um portal de notícias local.

Quem irá regulamentar o comércio de cannabis será o Conselho de Narcóticos do país.

USO INDUSTRIAL

As fibras de cânhamo também são usadas para fazer roupas, biocombustível, papel e outros produtos. E costumam ser alternativas mais baratas, em relação aos outros produtos disponíveis no mercado.

A expectativa do governo é aumentar a arrecadação de impostos no país. A Associação de Cânhamo de Gana, que já assinou um acordo com uma operadora comercial de cannabis sediada em Portugal, espera arrecadar, nos próximos cinco anos, cerca de US$ 56 milhões. E pagar, ao governo, em impostos, quase US$ 10 milhões.

LEIA MAIS
Cannabis medicinal não protege contra o Coronavírus, mas aumenta imunidade
Coronavírus: dispensários de Cannabis estão abertos nos Estados Unidos por serem considerados essenciais

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email