Cannabis é um arsenal da medicina integrativa, diz Dr. Ricardo Ghelman

dr ricardo ghelman

O portal Cannabis & Saúde realizou na noite desta quarta-feira (26) uma LIVE em comemoração ao Dia Internacional da Medicina Integrativa, celebrado no último domingo (23). O convidado foi uma das maiores referências mundiais no assunto, o médico Dr. Ricardo Ghelman.

Ele é consultor expert da Organização Mundial da Saúde (OMS) para Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas, além de oncopediatra, médico da família com pós-doutorado em Neurociências em Antroposofia e dor pela Unifesp e presidente do Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa.

Para quem não conhece, a medicina integrativa engloba aspectos da medicina convencional à medicina complementar, colocando à disposição do paciente todos os instrumentos e possibilidades de tratamentos e cura. Neste cenário, a Cannabis, como medicina complementar, exerce papel importante no arsenal terapêutico, auxiliando no tratamento de patologias crônicas em que as terapias convencionais não são mais eficazes.

Ao longo de mais de uma hora, Dr. Ghelman respondeu às dúvidas da nossa audiência, que participou ativamente da live. Após uma longa apresenção sobre medicina integrativa, Dr. Ghelman fez um relato da história da Cannabis medicinal, que começa há mais de 10 mil anos como erva ritualística nos Himalaias, até ser descoberta pelo Ocidente.

“A partir do Século 18, nós temos a Cannabis fora do contexto ritualístico, e isso levou ao grande conhecimento da Cannabis de uso recreacional. E a gente começa a ter tantas políticas para reprimir e depois de descriminalizar. Mas agora, a gente está entrando na terceira era, que é o uso medicinal científico. Já descobrimos mais de 400 compostos químicos, e há toda uma pesquisa se desenvolvendo nessa área”.

Oncologia


O médico explicou também as aplicações da Cannabis medicinal e destacou que as áreas mais relevantes são oncologia e neurologia.

“A área que eu tive mais contato com Cannabis é oncologia, porque eu atendo pacientes oncológicos quase todos os dias. É uma demanda que vem dos pacientes. Existe uma série de condições para a oncologia, que são os efeitos colaterais, náuseas e vômitos induzidos pela quimioterapia. O Cannabis tem ação antiemética, tirando o paciente de um estado terminal”.

Neurologia


A segunda área mais importante do uso da Cannabis medicinal, segundo o Dr. Ghelman, é a neurologia, graças aos efeitos antiespasmódicos e antiepiléticos, sobretudo do canabidiol.

“Agora também foi descoberto também um efeito neuroprotetor, importante em casos pós-AVC, por exemplo. É um caminho bem interessante para o Alzheimer. É uma área muito nova, mas que está encontrando uma explosão de indicações para glaucoma, asma, insônia refratária, é uma área muito promissora”.

Cannabis, um arsenal na Medicina Integrativa


Conforme Dr. Ricardo Ghelman, apesar de tantos estudos mostrarem a eficácia da Cannabis em várias patologias, ela não age sozinha. Os canabinoides, na verdade, são mais um arsenal dentro de toda a abordagem holística da Medicina Integrativa.

“É importante se alimentar com probióticos, que são alimentos que sustentam a microbiota intestinal, os alimentos fermentados, como shoyu e iogurtes. Tem que dormir bem, fazer atividade física e buscar a felicidade”, explica.

“A felicidade significa o não isolamento, buscar amigos e amigas. No fim de semana, uma dose de álcool não faz mal! Eu indico caipirinha de caju ou uma cerveja artesanal ou vinho tinto rico em resveratrol, porque somos pessoas não radicais”, brincou. 

Assista à entrevista completa com o Dr. Ghelman abaixo. E se você busca um tratamento baseado na Medicina Integrativa, saiba que a plataforma de agendamento de contultas do portal Cannabis & Saúde conta com seis profissionais focados nessa abordagem. Acesse aqui a plataforma.

 

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email