Abuso de maconha pode alterar DNA humano, diz estudo inglês

O uso intenso da erva tem um impacto no DNA humano que pode afetar a saúde mental. Porém, efeito é mais forte em pessoas que fumam tabaco, sugere uma nova pesquisa da Universidade de Canterbury (UC).

Um estudo publicado na revista científica Translational Psychiatry investiga se o uso abusivo de maconha pode alterar a metilação do DNA, que são mudanças químicas no corpo que influenciam o funcionamento de nossos genes.

A pesquisa afirma que os potenciais benefícios medicinais e terapêuticos da Cannabis e seus principais ingredientes ativos, o THC e o CBD, têm ganhado cada vez mais interesse. Os pesquisadores ponderam, no entanto, que existem fortes evidências que sugerem que o uso pesado e prolongado da droga pode estar associado a um risco aumentado de resultados adversos em várias áreas, incluindo saúde mental, como depressão e esquizofrenia. Também está associado a doenças cardíacas.

“Este estudo mostra como o uso de cannabis está ligado a alterações nas vias gênicas que podem explicar a ligação entre o uso pesado de cannabis e os resultados adversos à saúde”, diz ela. “No entanto, em termos do efeito sobre o genoma e a metilação do DNA, a cannabis parece ter um efeito distinto e um pouco mais sutil que o tabaco. Não está alterando os caminhos dos genes na mesma extensão, mas os afeta de maneiras muito específicas”, afirmou a principal autora do estudo da UC, a professora Amy Osborne, ao portal Medical Xpress.

O estudo coletou amostras de sangue de 48 voluntários com 28 anos de idade e as analisou quanto às diferenças de metilação do DNA entre usuários e não usuários de maconha. As maiores mudanças ocorreram naqueles que fumavam tabaco e Cannabis. Contudo também havia evidências de alterações e específicas do DNA naqueles que fumavam apenas maconha, comparado aos não usuários. Os genes mais afetados foram identificados como aqueles envolvidos na função cerebral e cardíaca.

Osborne diz que o estudo da UC sugere que, embora o tabaco tenha um efeito mais forte no DNA do que a maconha, a maconha parece exercer efeitos específicos nos genes envolvidos nas funções do cérebro e do coração. No entanto, pondera que são necessárias mais pesquisas com um tamanho de amostra maior.

Conforme o estudo, existem aspectos hereditários do transtorno de uso de Cannabis, e vários candidatos a fenótipos, como o uso de Cannabis ao longo da vida, foram recentemente identificados. Eles explicam uma proporção da variação na herdabilidade do uso da planta.

Mecanismos genéticos estão envolvidos na interação entre o genoma e o ambiente. Eles respondem a mudanças nos estímulos ambientais (como dieta, exercício, medicamentos) e agem para alterar a estrutura da cromatina e, assim, regular a expressão gênica.

Modificações epigenéticas, como a metilação do DNA, contribuem para características e doenças complexas. Por exemplo: fatores ambientais como drogas, álcool, estresse, nutrição, infecção bacteriana e exercícios têm sido associados a alterações na metilação. Foi demonstrado que várias dessas mudanças de metilação perduram e induzem mudanças biológicas duradouras, enquanto outras são dinâmicas e transitórias.

O consumo de álcool afeta os padrões de metilação em todo o genoma, e algumas dessas mudanças revertem com a abstinência do consumo de álcool. Uma observação semelhante é relatada para ex-fumantes de tabaco, com alterações na metilação do DNA após a cessação, chegando a níveis próximos daqueles que nunca fumaram tabaco. Assim, a metilação do DNA pode ser indicativa de uma exposição ambiental específica, lançar luz sobre a interação dinâmica entre o ambiente e o genoma e fornecer novos insights sobre a resposta biológica.

O estudo afirma que o uso recreativo de drogas (estímulo ambiental) tem sido associado a resultados adversos da saúde mental, particularmente em jovens, e a epigenética pode desempenhar um papel na mediação da biologia envolvida.

Leia o estudo completo aqui (em inglês).

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar para você realizar uma consulta.

Leia também:

Cannabis medicinal customizada: seu DNA, sua planta

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Inédito: Justiça autoriza 10 pacientes a plantar Cannabis em casa

Autorização coletiva permitirá o tratamento de doenças como depressão, epilepsia, enxaqueca, alcoolismo e se estende…

15 horas agora

Médico e paciente, psiquiatra conta como a Cannabis mudou sua vida

Vítima de atropelamento, com estresse pós-traumático, Caio Vieira encontrou tratamento na Cannabis, e agora amplia…

16 horas agora

Lúpus: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento com CBD

O lúpus é uma doença inflamatória autoimune, causada por uma reação anormal do sistema imunológico.…

23 horas agora

Família faz vaquinha para custear canabidiol para criança com microcefalia no RJ

Jogadores do Vasco estão envolvidos na campanha pelo tratamento do Yuri e vão doar itens…

2 dias agora

“A Cannabis me deu mais prazer em tratar pacientes”, diz neurologista

A doutora Christina Funatsu relata angústias e experiências em sua prática com Cannabis medicinal ……

2 dias agora

Sistema Imunológico: o que é, como funciona e importância

O sistema imunológico existe para conter ou rechaçar eventuais invasores com potencial de causar danos…

2 dias agora