Falta de opções para tratar Tourette aumenta espaço para THC

freepik.es/jcomp

Por Rogério Godinho

Mês de Conscientização da Síndrome de Tourette buscou alternativas, pois casos moderados e graves ainda sofrem sem tratamento eficaz

agendamento de consultas cannabis e saude

Agende uma consulta com um dos nossos médicos especialistas.

Nossa rede de médicos foi criada com o apoio de um conselho altamente qualificado para conectar você a profissionais sérios e habilitados para lidar com os mais diversos casos onde o tratamento com CBD é eficaz.

Uma doença da qual não podem se livrar e para a qual os medicamentos disponíveis não trazem o alívio necessário. Para tentar resolver este problema, ocorreu nos EUA entre 15 de maio a 15 de junho o mês de Conscientização da Síndrome de Tourette. O objetivo foi aumentar a visibilidade para a doença e arrecadar fundos para suporte e, principalmente, estudos para tratamentos. Entre eles, o THC.

Hoje, estima-se que 0,6% das crianças tenham a síndrome, metade desse número, não diagnosticadas. O percentual representa 138 mil crianças só nos Estados Unidos, segundo o americano Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

A enfermidade provoca tiques motores e vocais. Por ser um transtorno de neurodesenvolvimento, geralmente atinge crianças de 6 a 8 anos. Juntamente com os tiques, são comuns distúrbios como déficit de atenção, hiperatividade, transtorno obsessivo compulsivo, depressão, ataques de raiva, comportamento auto-agressivo, distúrbios de sono, entre outros. Ou seja, a doença afeta diretamente a qualidade de vida do paciente. 

As formas tradicionais de tratamento são terapia e interações medicamentosas. Entretanto, em muitos dos casos moderados a graves (37% dos doentes, ainda segundo o CDC), a eficácia medicamentosa é baixa. Por isso o mês de conscientização da Síndrome de Tourette busca novas formas de tratamento.

Nesse cenário, a cannabis se apresenta como excelente forma de complementar os tratamentos tradicionais, e, às vezes, até substituí-los. “Estou convencida de que é uma ferramenta terapêutica extremamente importante”, diz Ana Hounie, psiquiatra pernambucana referência no Brasil para síndrome de Tourette e seu tratamento com Cannabis. Ana hoje tem mais de 300 pacientes usando Cannabis medicinal. “Autistas que não falavam, começam a falar, pessoas com demência, que não reconheciam os familiares, voltam a reconhecer.”

Leia também: 30 doenças e tratamentos possíveis com Cannabis medicinal

Para tratar a síndrome de Tourette, o componente eficaz da cannabis é o THC, que é psicoativo. Mas esse canabinoide pode trazer alguns efeitos colaterais, como psicose, prejuízo de memória, aprendizado e até esquizofrenia. Por isso o CBD (canabidiol) também deve estar presente, pois protege dos efeitos colaterais do THC e ainda combate a ansiedade e problemas de concentração.

Há dois estudos que apontam para a eficiência do uso da cannabis no tratamento da síndrome de Tourette, ambos realizados na Medical School Hannover, pela psiquiatra alemã  Kirsten R. Müller-Vahl. Em 2003, apontaram a eficácia do THC, tanto no tratamento dos tiques, quanto nas problemas comportamentais que acompanham a síndrome. Em 2013, confirmaram que não há efeitos colaterais significativos nem duradouros.

Entretanto, as próprias pesquisas alemãs ressaltam que são necessários estudos mais abrangentes para assegurar segurança e eficácia da cannabis. Por isso, os médicos que a receitam, o fazem somente em casos graves, quando o paciente não respondeu bem ao tratamento convencional. 

Com iniciativas como o Mês de Conscientização da Síndrome de Tourette, mais pesquisas para comprovação de dosagem de cannabis para o tratamento da doença podem representar alívio e melhoria da qualidade de vida para milhares de crianças e adultos por todo o mundo.

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Clique aqui temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email