UFRRJ assina convênio com ONG para desenvolver pesquisas científicas com Cannabis

O objetivo é viabilizar estudos farmacológicos e na área de melhoramento genético com a planta Cannabis sativa e suas variações.
ufrrj

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro informou nesta terça-feira (06) que firmou um acordo de cooperação técnico-científica com a ONG Canapse (Canabiologia, Pesquisa e Serviços), uma associação sem fins lucrativos. O objetivo é viabilizar estudos farmacológicos e na área de melhoramento genético com a planta Cannabis sativa e suas variações.

O reitor da UFRRJ, Ricardo Berbara, explica que o convênio irá possibilitar o acesso dos pesquisadores da Rural ao material biológico da Cannabis, sementes e flores. Os projetos de pesquisa serão registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Atualmente, o cultivo da planta acontece na sede da Canapse, amparado por habeas corpus concedido em 2018 ao secretário geral da associação, Ricardo Nemer.

Para o reitor, a sociedade ganha com o investimento público em pesquisas científicas com Cannabis para fins medicinais.

“Hoje a planta é usada em praticamente todos os países desenvolvidos do mundo como alternativa terapêutica. É uma espécie vegetal extraordinária sobre a qual não temos no Brasil conhecimento científico sobre formas de cultivo e manejo”, explica Berbara.

De acordo com o reitor, a UFRRJ irá mobilizar suas equipes de pesquisa nas áreas de Farmácia, Química, Agronomia, melhoramento de plantas, manejo de solos e fitotecnia para desenvolver protocolos que aumentem a eficiência dos processos de extração de metabólitos para fins farmacológicos e, também, o conhecimento sobre o manejo da espécie em ambientes tropicais.

>>> Você é um médico prescritor de Cannabis medicinal? Faça seu cadastro aqui para alcançar mais pacientes! 

Evento debaterá uso medicinal da espécie

Para fomentar discussões sobre o tema na comunidade acadêmica, a UFRRJ promoverá a Oficina sobre Cânabis: uma revisão, de 13 de outubro a 17 de novembro. As 200 vagas oferecidas foram preenchidas no primeiro dia das inscrições. A abertura da oficina será transmitida on-line e contará com a presença do neurocientista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Sidarta Ribeiro, do deputado estadual Carlos Minc, e do reitor Ricardo Berbara, que debaterão como canabinóides e psicodélicos clássicos estão revolucionando a medicina. A pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Cecilia Hedin-Pereira será a mediadora.

O chefe do Departanento de Ciências Farmacêuticas da UFRRJ e coordenador regional da Sociedade Brasileira de Farmacognosia, Douglas Siqueira de Almeida Chaves, explica que a proposta da oficina é abranger toda a cadeia produtiva relacionada à planta, desde o cultivo, manejo, passando pelo controle de qualidade e chegando às aplicações biológicas. Também serão abordadas as questões de legislação envolvidas com o uso da planta.

“O grande impacto social que esperamos é a divulgação do conhecimento científico para desmistificar o uso medicinal da Cannabissua composição química e os principais benefícios que traz aos pacientes”, afirma o docente, responsável pela coordenação da oficina.

Para acompanhar a abertura do evento não há necessidade de inscrição prévia. O debate será transmitido no YouTube, no dia 13 de outubro, às 10 horas. Para participar, acesse: http://abre.ai/aberturapesquisacanabis.

Procurando por um médico prescritor de cannabis medicinal? Temos grandes nomes da medicina canabinoide para indicar.

As informações são da UFRRJ

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email