Salários da indústria de Cannabis são revelados em novo relatório

Guia de Salários da Indústria da Maconha lista seis categorias: varejo, cultivo, laboratório e extração, fabricação, vendas e entrega; valores podem chegar a US$ 150 mil por ano
Budtenders são profissionais especializados em flores de Cannabis

Trabalhadores e empresários da indústria da maconha legal nos Estados Unidos estão com uma nova visão sobre as faixas salariais e tendências de contratação com o lançamento de um novo guia da empresa de recrutamento profissional da Vangst. Em seu terceiro ano, o Guia de Salários da Indústria de Cannabis foi lançado nesta semana e está disponível para download gratuito. As informações são da Revista Forbes.

Para produzir o guia, a Vangst entrevistou empresas e trabalhadores para descobrir as tendências de contratação, pagamento e benefícios para a indústria da Cannabis em 2020. Os salários médios, assim como valores de referência altos e baixos que refletem diferenças em fatores como experiência e região, são indicados para empregos em seis categorias: varejo, cultivo, laboratório e extração, fabricação, vendas e entrega.

Ebook: "30 patologias que podem ser tratadas com o canabidiol"

Conheça o CBD e todo seu potencial para o tratamento de 30 doenças e transtornos.

O relatório analisa uma gama de taxas de pagamento para vários empregos nessas seis áreas. No cultivo, podadores começam com cerca de US$ 15 a hora em média, enquanto um diretor de cultivo pode ganhar cerca de US$ 115 mil por ano (US$ 9,6 mil por mês). É um valor 25% maior em relação ao ano anterior. Técnicos de extração ganham em média US$ 37 mil por ano, enquanto gerentes, por volta de US$ 65 mil. No varejo, os budtenders ganham US$ 15 por hora, mais gratificações. Já um vice-presidente de operações de varejo ganha em média US $ 150 mil por ano.

Também foi constatado que 83% dos funcionários recebem licença remunerada enquanto 73% recebem benefícios médicos. 

Mais da metade (57%) dos entrevistados tinha um diploma de bacharel ou diploma universitário avançado. Mais de dois terços tinham experiência anterior na indústria de Cannabis não legalizada, com 21% deles trabalhando no mercado clandestino por 10 anos ou mais.

O relatório descobriu que, apesar das reduções da força de trabalho e dispensas em março e abril do ano passado devido à pandemia da Covid-19, a indústria da Cannabis foi capaz de se recuperar com a forte demanda dos consumidores. As perspectivas de emprego nessa indústria também são encorajadoras, especialmente com o sucesso das medidas de legalização da maconha em mais cinco estados nas eleições de novembro. Somente nesses estados, espera-se que a indústria da cannabis agregue mais de 26 mil novos empregos até 2025, com Nova Jersey liderando o grupo com uma projeção de 21 mil novas vagas.

Sean Cooley, chefe de conteúdo da Vangst, disse que as posições temporárias fornecerão muitas das oportunidades de emprego na indústria da Cannabis e observou que os empregos relacionados à entrega em domicílio tiveram um enorme crescimento em 2020 devido à pandemia.

“Vemos consistentemente uma alta demanda por trabalhadores, então aparadores, embaladores e budtenders são sempre necessários e, no ano passado, houve um aumento nos motoristas de entrega e coordenadores de logística”, escreveu em e-mail encaminhado à Forbes. “Além disso, vimos um salto nos diretores de cultivo, funcionários administrativos e corporativos, representantes de vendas, profissionais de marketing, gerentes de laboratório e diretores de RH à medida que os planos de contratação estão aumentando para atender às demandas pós-quarentena.”

O Guia de Salários da Indústria de Cannabis de Vangst também inclui uma análise de dados de mais de mil profissionais da indústria de maconha legal que fornece um panorama dos funcionários que trabalham no campo. O relatório conclui que muitos trabalhadores estão fazendo a transição de outras indústrias para a de Cannabis, incluindo serviços de alimentação, varejo, agricultura, saúde e marketing e relações públicas. Contudo, o relatório não deixa claro se eles receberão uma melhor remuneração na indústria de cannabis em comparação com a anterior não está claro.

“É difícil resumir se as funções de Cannabis pagam melhor no geral em comparação com funções semelhantes em outras indústrias, pois você tem que levar em conta a maturidade do mercado, o histórico do empregador e as habilidades especializadas do candidato”, disse Cooley, acrescentando que as edições futuras do guia irão “examinar mais de perto a compensação comparável.

Fonte: Revista Forbes

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email