Categorias: Cannabis

Canabidiol Síndrome do Pânico: Como Funciona o Tratamento?

O canabidiol na síndrome do pânico é uma das esperanças de tratamento eficaz e seguro.

Indo além das abordagens convencionais, o CBD pode ser empregado no alívio de crises, devolvendo a qualidade de vida aos pacientes.

Ou seja, estamos falando sobre um reforço importante para uma doença preocupante.

Trata-se de uma condição de saúde que pode evoluir para se tornar incapacitante e, conforme o caso, levar à morte.

No Brasil, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgados no portal R7, cerca de 19 milhões de brasileiros são potenciais vítimas dessa síndrome.

Por outro lado, existe ainda muita desinformação a respeito do assunto, o que leva pessoas que sofrem de distúrbios de comportamento a não procurarem ajuda.

Nesse sentido, o canabidiol vem a ser uma resposta para quem acha que males como ansiedade, depressão e síndrome do pânico não têm solução.

E é sobre o CBD e seu papel terapêutico que vamos falar neste conteúdo, bem como explicar os seus efeitos, processo de compra e mais.

Acompanhe todas as informações deste guia até o final.

O que é o canabidiol?

É comum que, ao tratar de distúrbios de comportamento ou psiquiátricos, a medicina tradicional indique barbitúricos e outros medicamentos controlados.

O problema é que, embora eles até sejam eficazes, seu uso cobra um preço às vezes alto demais, já que podem causar dependência química.

Nesse sentido, surge como uma alternativa segura o tratamento com canabidiol (CBD), um dos muitos canabinoides extraídos das plantas do gênero Cannabis.

Mas por que, afinal, ele vem sendo tão procurado por pessoas com síndrome do pânico e distúrbios associados?

Primeiramente, é preciso entender que a eficácia do canabidiol está relacionada com a sua interação no sistema endocanabinoide.

Descoberto por Raphael Mechoulam, esse sistema tem como função básica promover o equilíbrio das reações corporais.

Vem dessa relação, portanto, as ações benéficas à saúde e os incontáveis efeitos terapêuticos associados ao CBD.

Quais são os efeitos do canabidiol?

Um ponto a se destacar sobre o CBD é que, embora muitos estudos sugiram sua eficácia, ainda são necessárias mais pesquisas conclusivas a respeito do assunto.

Mesmo assim, o que a ciência produziu até hoje nos indica aquilo que pacientes de todo o mundo já sabem na prática: o canabidiol é bastante eficaz no tratamento de diversas doenças.

Acerca da síndrome do pânico, um deles, conduzido pelas brasileiras Vanessa Soares e Alline Campos, sinaliza para a eficácia do CBD a partir de testes realizados com animais e humanos.

O estudo indica que a administração de medicamentos à base de canabidiol contribui para reduzir a ansiedade relacionada ao medo de falar em público, por exemplo.

As pesquisadoras concluíram que:

“Após o tratamento com CBD (600mg, p.o.), no entanto, foi observada uma redução significativa nas medidas relacionadas à ansiedade obtidas durante o desempenho da fala. Esses resultados encorajaram novas abordagens no estudo dos efeitos putativos do CBD no Transtorno do Pânico.”

Como o canabidiol age?

Como você acaba de ver, o CBD exerce efeitos terapêuticos graças à interação desse canabinoide com as células do corpo, via sistema endocanabinoide.

Mas esse é só o princípio de tudo, já que há uma série de reações e processos bioquímicos que acontecem quando administramos canabidiol.

No caso, os canabinoides extraídos das plantas do gênero Cannabis interagem com os receptores do sistema endocanabinoide de um forma parecida com o que ocorre com os canabinoides endógenos.

É para essa relação mimética que se creditam as poucas reações adversas causadas pelos fármacos à base de canabinoides.

Por sua vez, a ciência sabe que o tetrahidrocanabinol – THC (outro canabinoide abundante na Cannabis) interage com os receptores CB1 e CB2.

Processo distinto acontece com o CBD, que é absorvido não só por esses receptores, como por outras vias.

Como o canabidiol age no cérebro?

Há estudos que trazem evidências concretas a respeito da ação do CBD no corpo humano.

Alguns desses efeitos estão relacionados não só aos canabinoides, como aos terpenos, que são as substâncias responsáveis pelo sabor e aroma das plantas.

Um deles, o mirceno, presente na Cannabis, tem ação anti-inflamatória e antioxidante na pele e no cérebro.

Já o CBD, como sugere um estudo realizado pela University of College London, tem, entre outras propriedades, a de melhorar o fluxo sanguíneo cerebral.

Desse modo, ele pode ser um poderoso agente no sentido de prevenir o acidente vascular cerebral (AVC), entre outros males relacionados à má circulação.

Essa é uma boa notícia também para quem sofre com doenças que afetam a memória, como o Alzheimer.

No estudo, os pesquisadores começaram a investigar como o CBD influencia o fluxo sanguíneo cerebral em diferentes regiões envolvidas no processamento da memória.

De acordo com um dos membros da equipe, Michael Bloomfield:

“Há evidências de que o CBD pode ajudar a reduzir os sintomas de psicose e ansiedade. Existem, ainda, evidências que sugerem que o CBD pode melhorar a função da memória.

Além disso, o CBD muda a forma como o cérebro processa as memórias emocionais, o que poderia ajudar a explicar seus supostos efeitos terapêuticos no estresse pós-traumático e outros transtornos psiquiátricos. No entanto, os mecanismos precisos subjacentes aos efeitos do CBD na memória não são claros.”

O que é síndrome do pânico?

Em uma publicação no site da OMS, o psiquiatra José Bertolote associa ansiedade, depressão e síndrome do pânico.

Segundo o especialista: 

“A depressão é comum em pessoas com quadros prolongados de transtornos de ansiedade. Já os pacientes que sofrem de síndrome do pânico podem desenvolver a depressão”.

Portanto, a síndrome do pânico pode ser compreendida como uma forma mais aguda de ansiedade.

Não por acaso, muitos diagnósticos dessa condição estão interligados com os de outros distúrbios comportamentais.

Em outras palavras, essa síndrome é, de certo modo, como o agravamento de um quadro de ansiedade, com sintomas mais severos e manifestações psicossomáticas recorrentes.

Na Classificação Internacional de Doenças (CID), ela recebe o código F41.0 — Transtorno de pânico (ansiedade paroxística episódica).

Como o nome deixa claro, ela vem a ser a ansiedade levada ao paroxismo, ou seja, à sua versão mais extrema.

Vale, ainda, destacar a definição do que é síndrome do pânico dada pelo Ministério da Saúde:

“O transtorno do pânico (TP) é caracterizado por crises de ansiedade repentina e intensa com forte sensação de medo ou mal-estar, acompanhadas de sintomas físicos. As crises podem ocorrer em qualquer lugar, contexto ou momento, durando em média de 15 a 30 minutos.”

Quais são as causas da síndrome do pânico?

Como boa parte dos transtornos de comportamento e doenças psicossomáticas, a síndrome do pânico tem causas imprecisas.

No entanto, acredita-se que alguns fatores de risco e certas condições preexistentes contribuem para que ela venha a se manifestar.

Entre eles, podemos citar:

  • Mudanças no funcionamento do cérebro
  • Reações e condicionamentos perante determinadas situações
  • Personalidade forte e suscetibilidade ao estresse
  • Estresse
  • Genética.

Ainda que o medo seja reconhecido pela Psicologia como uma espécie de defesa contra situações de perigo, não se sabe bem por que esse sentimento foge do controle, tornando-se uma síndrome.

Como vimos, ela está ligada mais a fatores comportamentais, logo, a abordagem com medicação deve ser o último recurso.

Nesse aspecto, o tratamento fitoterápico com canabidiol revela a vantagem adicional de ser eficaz para reduzir a ansiedade, sem os efeitos adversos dos psicotrópicos convencionais.

Qual é a diferença entre ansiedade e síndrome do pânico?

Por ser uma forma extrema de ansiedade, em alguns casos, pode ser difícil fazer a distinção entre uma condição e outra.

Sendo assim, e de maneira direta, a diferença entre ambas está na intensidade dos sintomas e no quão imprevisível é a sua ocorrência.

Na síndrome, acontecem ainda os chamados ataques de pânico, que, em geral, são acompanhados dos seguintes sintomas:

  • Boca seca
  • Medo da morte iminente
  • Pensamentos catastróficos
  • Dificuldade de respirar
  • Perda do foco visual
  • Sensação de irrealidade
  • Suor frio.

Outra diferença está no grau de dificuldade em encontrar as causas.

Enquanto, na ansiedade, é mais fácil de se identificá-las, na síndrome, há um grau de incerteza que dificulta o diagnóstico.

Como os ataques são repentinos e muito intensos, em boa parte dos casos, é difícil encontrar um fator que explique a sua origem.

Cabe frisar ainda que essa doença é mais recorrente entre mulheres, que respondem pelo dobro de ocorrências, em comparação com os homens.

Tratamento: como funciona o canabidiol para síndrome do pânico?

Uma vez que ansiedade e síndrome do pânico têm uma “relação íntima”, conclui-se que, evitando a primeira, a segunda não deve se manifestar.

Você viu no estudo que apresentamos sobre os efeitos do CBD que esse composto age diretamente para aliviar o TP.

Já em relação à ansiedade, além das pesquisas, existe toda uma casuística para apoiar o uso de canabinoides no tratamento dessa condição.

Um desses casos é o do paulistano Paulo (nome fictício) que voltou a trabalhar depois de se ver incapacitado pela ansiedade e pelo pânico.

Aliás, vale a pena ler, depois de concluir este artigo, o material em que explicamos como funciona o tratamento da ansiedade com CBD.

Além dele, fica também a sugestão para conhecer a emocionante história do pequeno Alexandre, de 9 anos.

Diagnosticado com câncer ósseo, ele conseguiu alívio para a ansiedade depois de realizar o tratamento com canabidiol.

Uso terapêutico dos canabinoides em psiquiatria

Além de ser eficaz contra a ansiedade e o transtorno do pânico, o CBD também vem se mostrando um poderoso aliado para tratar dos distúrbios psiquiátricos em geral.

Essa atuação eficaz é sugerida pelo estudo Medicinal cannabis for psychiatric disorders: a clinically-focused systematic review, em que os autores concluem:

“Atualmente, há evidências encorajadoras, embora embrionárias, da eficácia da Cannabis medicinal no tratamento de uma série de distúrbios psiquiátricos. Descobertas recentes apoiam essa afirmação, no entanto, os médicos precisam estar atentos a uma série de considerações prescritivas e de segurança ocupacional, especialmente se estiverem iniciando fórmulas de THC de dose mais alta.”

Um outro estudo, Cannabidiol (CBD) use in psychiatric disorders: A systematic review, reforça o papel do canabidiol no tratamento de distúrbios psiquiátricos.

Os autores afirmam que:

“Os estudos disponíveis relataram efeitos terapêuticos potenciais para condições psicopatológicas específicas, como transtornos por uso de substâncias, psicose crônica e ansiedade. Outros ensaios clínicos randomizados em larga escala são necessários para avaliar melhor a eficácia do CBD em doenças agudas e crônicas, bem como para excluir qualquer possível responsabilidade por abuso.”

Quanto tempo leva para o canabidiol fazer efeito no tratamento de síndrome do pânico?

O tempo de duração do tratamento e o prazo que a medicação leva para fazer efeito dependem de várias condições.

Entre elas, estão a fisiologia do paciente e a própria dinâmica do seu sistema endocanabinoide.

Um aspecto importante a salientar é que o CBD não é um remédio milagroso, como bem destaca Paulo no artigo já citado, em que conta um pouco da sua luta contra a ansiedade.

Portanto, os efeitos têm duração e podem acontecer em intervalos de tempo bastante variados.

Todavia, existem estudos que sugerem um tempo de ação bastante curto, como a tese de doutorado de Mateus Bergamaschi, da USP, Subjective effects of cannabidiol in anxiety disorder and cannabinoid excretion in chronic daily cannabis smokers during sustained abstinence.

Nesse estudo, foram testadas as reações de dois grupos de pessoas diante da tarefa de fazer um discurso.

No grupo que recebeu CBD, duas horas depois de ingerirem o composto, foi observado desempenho superior em relação aos que receberam placebo.

Quais estudos comprovam a eficácia do canabidiol no tratamento da síndrome do pânico?

Você viu ao longo deste conteúdo que estudos não faltam para atestar a eficácia do CBD no tratamento da síndrome do pânico.

Para conferir as publicações em detalhes, clique nos links abaixo:

Qual é o preço do canabidiol?

Um dos obstáculos a serem superados para que remédios à base de CBD sejam vendidos no Brasil é a proibição do cultivo de Cannabis em território nacional.

Tendo em vista essa limitação, os poucos laboratórios autorizados a vender canabidiol medicinal no Brasil são obrigados a importar a matéria-prima do exterior.

Isso encarece bastante o preço final do medicamento.

Não por acaso, no momento, só existem dois fármacos à venda no Brasil.

Um deles, produzido pela farmacêutica Prati-Donaduzzi, tem preço cheio de R$ 2,5 mil.

Por sua vez, a 4Bio desenvolveu o Mevatyl, vendido hoje ao preço de R$ 3 mil, embora possa ser encontrado por R$ 2.833,74 em valor promocional. 

De qualquer forma, há esperança para que esse quadro mude.

Como costuma ocorrer em mercados de regulamentação recente, a expectativa para os próximos meses é de queda no preço do CBD, já que a mais recente resolução da Anvisa deve abrir novas possibilidades.

Por isso, há importadores que calculam diminuição de até 75% no preço dos medicamentos, inclusive para os que têm a etapa final da produção feita no Brasil.

Portanto, em médio prazo, estima-se que o preço do tratamento com canabidiol possa vir a custar menos de R$ 500,00.

Considere, ainda, que há um projeto de lei (PL 399/15) tramitando na Câmara dos Deputados, tendo a liberação do plantio de Cannabis entre suas deliberações. 

Canabidiol: onde comprar?

Como veremos mais adiante, ao falar sobre o processo de importação, a compra do CBD deve ser feita conforme os trâmites impostos pela Anvisa.

Antes, lembramos que existem as opções que você acabou de conhecer no tópico anterior, que podem ser encontradas em algumas farmácias brasileiras ou mesmo para venda online.

Contudo, a oferta restrita ainda leva a maioria das pessoas que buscam por CBD a recorrer mesmo à compra do exterior.

Se for o seu caso, é importante verificar, antes da aquisição, se a loja estrangeira apresenta garantias de entrega e se que é autorizada pelas autoridades do seu país para operar.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o órgão que autoriza ou não a venda do CBD medicinal é a FDA, que tem uma seção em seu site dedicada exclusivamente a esse produto (em inglês).

Processo de compra do canabidiol para síndrome do pânico: como funciona?

Independentemente da doença que se busca tratar, a compra de CBD segue o mesmo roteiro.

Para quem for prescrito medicamento já à venda no Brasil, como o fitofármaco da Prati-Donaduzzi ou o Mevatyl (para esclerose múltipla), o processo é mais direto.

Tudo se resume, nesse caso, a ir à farmácia ou drogaria e apresentar a receita médica para a compra – uma via será retida pelo estabelecimento.

Contudo, para quem busca óleo de canabidiol para depressão ou síndrome do pânico, é bastante provável que o único meio de adquiri-lo seja pela importação.

Se você se enquadra nesse grupo de pessoas, então, o passo a passo para a compra segue as etapas descritas abaixo.

Prescrição médica

O primeiro passo é sempre consultar um médico prescritor de CBD, que deverá indicar o composto e a dosagem mais segura para o paciente.

Se você procura um especialista, nesta página, pode agendar uma consulta.

Pedido junto à Anvisa

No site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o comprador, de posse da receita, preenche o formulário, junto ao qual devem ser anexados cópia da identidade e comprovante de residência.

Resposta da Anvisa

Depois de feita a solicitação, o órgão do governo vai se pronunciar em aproximadamente 10 dias.

Se a resposta for positiva, é emitida uma autorização para que o produto seja importado.

Caso seja negativa, o comprador precisará fazer novo pedido com eventuais documentos em falta ou informações a critério da Anvisa.

Compra e entrega

Tendo a autorização, é feita a compra do medicamento junto a uma loja estrangeira que, por sua vez, também deverá ser autorizada pelas autoridades locais.

Vale destacar que, no Brasil, a Anvisa só autoriza fármacos à base de CBD administrados via oral ou por inalação.

Para maior comodidade, utilize o serviço de concierge da CanTeraMed, que realiza todo esse trabalho para o paciente.

Clique e veja como importar produtos à base de Cannabis medicinal no Brasil.

Conclusão

O uso do canabidiol para síndrome do pânico ainda precisa ser mais investigado para ter suas propriedades terapêuticas totalmente elucidadas.

Por outro lado, ele já vem sendo utilizado com bastante sucesso no tratamento da ansiedade e do TP, como vimos nos casos reais destacados neste conteúdo.

E você, sofre de ansiedade ou síndrome do pânico e pretende aderir ao tratamento com canabidiol? Ou tem algum amigo ou parente que pode necessitar?

Seja qual for o caso, antes de recorrer ao CBD, é fundamental se informar.

Para isso, leia os materiais publicados aqui no Portal Cannabis & Saúde, sua fonte de informação segura sobre Cannabis medicinal.

Caso queira encontrar um médico prescritor, acesse esta página e marque uma consulta.

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

“Sete a cada dez pacientes me procuram pelo tratamento com Cannabis”, conta médica

A anestesiologista Wanderli Carvalho se especializou em dor em 2018 e relata a melhora de…

2 dias agora

Calmantes que não precisam de receita: Por que substituí-los?

Os calmantes que não precisam de receita vêm sendo utilizados em uma escala preocupante. Saiba…

2 dias agora

“A Cannabis mudou as nossas vidas”, conta mãe de garoto com autismo

Cauã, filho de Monalisa Almeida, sofria com insônia, irritação e com as dores da fibromialgia.…

4 dias agora

Pesquisa mostra apoio de 70% dos brasileiros ao uso medicinal da Cannabis

Apesar do volume expressivo favorável à medicina canabinoide, percentual de pessoas beneficiadas é baixo e…

5 dias agora

CBD pode reduzir consumo de álcool, aponta estudo

Pesquisadores americanos realizaram um estudo para avaliar o consumo de álcool entre usuários de Cannabis.…

5 dias agora

Mercado de Cannabis é estimado em US$ 103,9 bilhões até 2024

A Clarivate Analytics e Derwent, adaptado ao mercado brasileiro pela The Green Hub, consultoria e…

1 semana agora