Destaques

LIVE abordou Cannabis e transtornos alimentares com Dra Janaína Barboza

O portal Cannabis & Saúde realizou, na noite desta quarta-feira (13), o 14º episódio da nossa série Pergunte ao Especialista. O tema desta edição foram os tratamentos com a Cannabis no controle de transtornos alimentares, como anorexia, obesidade e bulimia.

Nosso editor, Marcus Bruno, entrevistou a médica Dra. Janaína Barboza, uma das primeiras profissionais a pesquisar e prescrever derivados da Cannabis no Brasil. Janaína é especializada em medicina Ortomolecular e estética. É considerada a profissional ideal quando o assunto é unir saúde, bem-estar e prevenção.

Por quase 1h20, a profissional respondeu às dúvidas da nossa audiência sobre alimentação saudável e tratamentos com a Cannabis em diversos transtornos alimentares. Conforme a médica, os canabinoides podem tratar tanto pessoas com falta de apetite – a famosa larica causada pelo THC – mas também o controle da saciedade e, por sua vez, da obesidade.

E tudo está relacionado ao nosso sistema endocanabinoide, uma complexa rede de receptores das moléculas produzidas pelas plantas de Cannabis.

“Nós temos receptores canabinóides em todos os órgãos envolvidos no apetite e na saciedade: no cérebro, glândulas adrenais, pâncreas, nas células de gordura. Então quando eu ofereço canabinóides eu posso estimular ou arrefecer receptores diferentes”. 

Agende uma consulta com a Dra. Janaina Barboza

Falta de apetite

“O sistema endocanabinóide é uma tecnologia de altíssima precisão. Nós temos efeitos antagônicos com a mesma molécula. É um sistema de chave e fechadura. Quando a gente tem uma planta rica em THC, geralmente usada no uso adulto, provavelmente disparam o apetite nas pessoas, pois ele é a chave nos receptores, na fechadura da fome”. 

Conforme a médica, em condições como caquexia, pacientes com câncer ou HIV, é interessante oferecer um produto com perfil de mais THC: “tem pessoas que se sentam à mesa e não conseguem comer, então elas podem vaporizar o THC e a fome vem”.

Saciedade

Em outro caso, com um produto com THC muito baixo ou menor que 0,3%. com efeito do canabidiol (CBD) dominante, a molécula irá promover um equilíbrio desse sistema.

“Quando a gente está com um transtorno como anorexia, eu vou estimular esse sistema para abrir esse apetite. E se estou comendo demais, eu vou aquietar mais esse sistema. Quando eu tenho uma pessoa compulsiva, eu ofereço uma medicação com traços de THC e CBD dominante. E aí a gente vai promover a dopamina e, por sua vez, a saciedade, que uma pessoa compulsiva alimentar não tem”.

Agende uma consulta com a Dra. Janaina Barboza

A LIVE foi aberta ao público, com mais de 240 pessoas assistindo simultaneamente. Para rever o evento, é só clicar no player do YouTube abaixo.

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Capoeirista que fraturou a perna em acidente volta a gingar com Cannabis

No Medical Cannabis Summit, ortopedista Dr. Jimmy falou sobre Cannabis na traumatologia, controle de dor…

19 horas agora

Oncologista comenta o uso da Cannabis medicinal no tratamento do câncer

Oncologista especialista em cânceres do sistema gastrointestinal Renata D’Alpino explica como utiliza a prescrição de…

20 horas agora

“Dormimos uma noite inteira pela 1ª vez em 5 anos”, lembra Katiele Fischer

No 4º dia do Medical Cannabis Summit, a primeira mãe autorizada a importar canabidiol no…

4 dias agora

“Estou vendo o renascimento dela”, diz irmã de paciente com epilepsia

Luciana Fernandes sofre com convulsões há 36 anos. Com a Cannabis, sua família acompanha o…

4 dias agora

Deputados aprovam urgência para PL que prevê Cannabis no SUS em SP

Durante votação, Marina Helou emocionou colegas com relato do tratamento da mãe, com câncer, que…

5 dias agora

“A Cannabis pode ser uma porta de saída para o vício”, diz Peter Grinspoon

Com ampla experiência no tratamento e recuperação de usuários de drogas, incluindo a própria, o…

6 dias agora