Cannabis & Saúde

Importações de Cannabis medicinal devem crescer 150% no Brasil em 2021

Solicitações para remédios à base de maconha junto à Anvisa devem chegar a 40 mil, segundo projeções de empresa de inteligência de mercado 
1

As solicitações para importação de remédios à base de Cannabis feitas à Anvisa crescem de forma exponencial no Brasil, movidas por cada vez mais acesso à informação, pesquisas e  o avanço político da pauta. Segundo projeções da Kaya Mind, startup brasileira de inteligência do mercado da Cannabis, 2021 terá um aumento de 151% das licenças iniciais (primeiro pedido de importação do paciente) solicitadas ao órgão, em comparação com o ano passado.

O dado faz parte do Kaya Board, um painel lançado pela empresa que traz, de maneira visual e interativa, informações relevantes nas áreas de Saúde e Mídias para a indústria canábica. O acesso é gratuito e está disponível no link

canhamo industrial brasil onde encontrar medico para prescricao

Agende uma consulta com médicos prescritores de Cannabis Medicinal.

O sistema de agendamento de consultas foi criado com o apoio de um conselho altamente qualificado para conectar você à profissionais sérios e habilitados para lidar com as mais diversas patologias nas quais o tratamento com CBD é recomendado

Por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), a Kaya Mind reuniu as principais informações da Anvisa relacionadas a solicitações, renovações e alterações para a importação de produtos derivados de Cannabis no Brasil.

Dados da startup revelam que a soma de todas as solicitações feitas ao órgão regulador no primeiro semestre de 2021 corresponde a 94% das licenças do total observado de 2020. Projeções da empresa apontam que, até o final de 2021, as solicitações para a primeira importação de remédios à base de substâncias da maconha podem chegar a 39 mil, um aumento de 151% em relação a 2020.

 

Os dados da Anvisa disponíveis são do ano de 2019, em que a RCD mudou e prolongou a validade da licença para 2 anos em janeiro de 2020. Atualmente, por volta de 33 mil pacientes podem fazer a importação de remédios. Desde 2016, foram realizadas 16 mil receitas médicas e em mais de 44 especialidades da medicina, sendo, as principais delas: neurologia, psiquiatria e neuropediatria. 

O relatório também revela o maior gargalo para desenvolver o mercado da Cannabis no Brasil: a falta de médicos prescritores. De 2015 a Jan 2021, apenas 2.100 profissionais receitaram algum remédio à base da planta. É um número insignificante comparado a quase meio milhão de médicos cadastrados no Conselho Federal de Medicina.

Outro painel do setor de Saúde trata dos produtos à base de Cannabis disponíveis no Brasil e na América Latina. A Kaya Mind mapeou mais de 430 produtos de 51 fabricantes, de nove países de origem diferentes.

“O Kaya Board é o primeiro painel de informações completas do mercado canábico na América Latina, que aborda setores de Saúde, Mídia, Governo, Finanças e mais”, disse a CEO da Kaya Mind, Maria Eugênia Riscala.

“O objetivo é aumentar o número de dados relacionados à planta existentes no mercado, assim como colaborar com a indústria canábica em desenvolvimento com informações para pensamento estratégico e tomadas de decisão. O acesso é gratuito, com possibilidade de assinatura personalizável para empresas e marcas interessadas”, concluiu a empresária. 

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email