Estresse

Remédio para estresse: o canabidiol como alternativa no tratamento

Você está se sentindo estressado atualmente? Como você se sente ao pensar no seu trabalho ou nos problemas financeiros e pessoais? Acredita que está na hora de procurar ajuda e buscar um remédio para estresse?

Apesar das evoluções com relação aos estudos de saúde mental, bem como uma maior conscientização nesse sentido, muita gente desmerece os efeitos do estresse no corpo.

Embora possa parecer algo que acontece apenas na mente, o estresse pode trazer consequências e fazer com que uma pessoa fique doente mais facilmente, por exemplo.

Isso acontece pois, ao estar estressado, há uma alteração na produção de substâncias químicas no cérebro.

Boa parte destas substâncias químicas estão ligadas a como são dadas as respostas do nosso corpo e da nossa mente a determinadas situações. Se você está numa situação de perigo, por exemplo, é bem provável que comece a estar num estágio de maior alerta.

Quando estamos estressados, a liberação dessas substâncias de atenção constante são feitas de forma contínua e praticamente sem nenhum tipo de preparação.

Com isso, outras substâncias deixam de agir (ou tem sua ação mais tímida), o que pode impactar diretamente no sistema imunológico, por exemplo.

Ou seja: se você está sentindo um nível muito grande de estresse, é importante ficar de olho. Diversas outras doenças e condições podem aparecer mais facilmente em pessoas estressadas e sabemos que ninguém quer fazer parte dessas estatísticas.

Por isso, neste artigo contaremos um pouco mais sobre o que é o estresse, as principais causas e tipos e claro – remédios para combatê-lo.

Ao final, apresentaremos também algumas alternativas eficazes, legais e seguras de se utilizar substâncias da Cannabis no tratamento do estresse elevado.

Quer entender melhor?

Continue lendo!

O que é o estresse?

O que é o estresse?

Apesar de ser um conceito que está sempre em nossas vidas, se você pedir para que alguém explique de fato o que é estresse, pode haver uma certa hesitação em dar a resposta.

O estresse nada mais é do que uma reação da mente, organismo ou corpo que acontece quando somos submetidos a situações de ameaça ou perigo.

Essas condições podem ter a ver com questões sentimentais, emocionais ou até mesmo físicas.

Quando um episódio de estresse agudo acontece, o mais natural é que o nosso corpo esteja mais preparado para atuar em situação de “autodefesa”. Entretanto, quadros repetitivos e prolongados de estresse podem ser bastante problemáticos.

Isso acontece pelo fato de que o nosso corpo fica mais preparado para enfrentar essas situações apenas quando há a liberação de algumas substâncias e toxinas em nosso cérebro.

Os hormônios mais comuns que estão ligados ao estresse são o cortisol, adrenalina e noradrenalina.

Para fazer uma analogia, podemos dizer que o estresse é como se ativássemos o modo esportivo de um carro – ele nos responderá melhor e de forma mais ágil em situações específicas, mas cobrará um preço em outras questões.

No caso do carro, certamente os pneus ficarão desgastados mais rapidamente, além do consumo de gasolina que será muito mais drástico do que num modo econômico ou normal.

Por outro lado, quando falamos de quadros de estresse, ele pode ser benéfico para nos tirar de situações de perigo ou enfrentar algumas situações do dia a dia.

Porém, se ele acontece de forma prolongada e contínua, questões como o aumento da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos podem se tornar também contínuos e levar a quadros substancialmente problemáticos a médio e longo prazo.

Causas do estresse

O estresse pode ter algumas causas bem definidas. Entre as mais comuns, podemos destacar:

  • Pressão no trabalho ou na universidade: Esse é um dos motivos mais claros pelos quais uma pessoa pode estar sofrendo com o estresse.

A pressão excessiva para que se cumpra horários, metas e prazos pode ser um gatilho para que o estresse se transforme até mesmo em doenças mais graves como a síndrome de Burnout.

Nesse sentido, é muito importante que os gestores e administradores de negócios (ou de recursos humanos, a depender da empresa) entendam que a pressão exagerada e a competitividade acima do normal podem trazer prejuízos.

Isto é: redução da produtividade e desempenho, mas também problemas na saúde do colaborador, aumentando o absenteísmo e a falta de pontualidade no trabalho.

  • Sono desregulado: O estresse causa problemas no sono, mas o contrário também pode acontecer.

Quando uma pessoa opta por dormir pouco ou dormir tarde demais, o seu corpo acostuma-se a estar num estado de vigília mesmo quando não é necessário.

Para isso, hormônios ligados à atenção e concentração são ativados, fazendo com que o estresse tome conta do dia a dia dessa pessoa.

  • Problemas Familiares: De forma mais ampla, os problemas familiares podem atingir de forma substancial alguém que esteja suscetível ao estresse crônico.

Nesse sentido, é bem comum que estes episódios estejam ligados à brigas com familiares ou com o cônjuge ou em condições de internação ou problemas de saúde destas pessoas.

Pode atingir tanto crianças quanto pessoas idosas em diferentes graus.

  • Questões financeiras: Além do trabalho poder impactar de forma considerável na vida de uma pessoa, a falta dele ou da renda num geral pode ser um motivo de preocupação e estresse frequente.

A falta de dinheiro é capaz de gerar problemas sérios e levar à depressão e outras doenças de ordem psicológica e psiquiátrica.

Nesse sentido, é muito importante que a pessoa consiga ter uma organização financeira para evitar que o nível de estresse ultrapasse a medida do aceitável.

  • Sentimento de rejeição: Muitas pessoas acabam se importando muito com a opinião alheia e por isso, sentir frustrações quando esta aprovação não vem pode gerar estresses em níveis alarmantes.

Muitos desses sentimentos tem a ver com a autoestima e podem ser impactados por modernidades como o uso em excesso das redes sociais.

  • Doenças adjacentes: Doenças adjacentes (ligadas às questões mentais ou não) também podem trazer preocupações importantes que levam ao estresse.

As doenças mais comuns nesse caso são aquelas que são terminais ou bastante perigosas, mas também podem acontecer com problemas de saúde menos graves.

É muito comum que pessoas ansiosas ou estressadas não consigam diferenciar o que de fato é muito preocupante do que é pouco preocupante.

Isso faz com que as pessoas se tornem menos receptivas com qualquer notícia relacionada ao estado de saúde ao qual a pessoa está passando.

Além dessas causas, pode acontecer do estresse ser causado também por questões internas, de acordo com os pensamentos e a forma com que se lida com cada uma das situações.

Há diversas causas não citadas nesse texto que podem virar estresse crônico, que também devem ser levadas em conta ao passar por algum tipo de episódio estressante.

Tipos de estresse

Tipos de estresse.

Basicamente, existem três formas principais de estresse. Cada uma delas leva a um caminho diferente e que, por consequência, deve ser visualizado, tratado e cuidado seguindo diretrizes específicas.

Além disso, conhecer o tipo de estresse pelo qual você está passando pode ser de grande ajuda no tratamento, pois pode facilitar na identificação da gravidade do quadro.

Estresse agudo

Esse é um tipo de estresse mais comum e está ligado com algum fator que aconteceu ou irá acontecer no seu dia e que tira você da sua zona de conforto.

Uma situação de estresse agudo pode acontecer quando você está passando por um período de provas na faculdade ou um término de relacionamento.

Além disso, questões no trabalho também podem levar a um pico de estresse agudo, até mesmo no trajeto por causa do congestionamento ou de um acidente/pneu furado.

Porém, há casos em que esse tipo de estresse agudo pode ser algo mais grave, sobretudo quando a pessoa continua sentindo sensações similares às quais conviveu no momento do evento traumático ou desagradável.

Nesse sentido, é importante verificar se os quadros são persistentes (acima de um mês, considera-se como um transtorno de estresse pós-traumático – TEPT).

Os sintomas mais comuns do estresse agudo envolvem:

  • irritabilidade;
  • instabilidade do humor;
  • ansiedade;
  • tremores;
  • apreensão;
  • angústia;
  • dor de cabeça;
  • dor nas costas;
  • dores musculares;
  • taquicardia;
  • elevação na pressão arterial;
  • insegurança.

Estresse agudo episódico

O estresse agudo episódico é definido pela Associação Americana de Psicologia como estímulos do estresse agudo podem ocorrer com o passar do tempo e se prolongam mais do que o esperado.

Normalmente acontecem com pessoas que sofrem de estresse no seu dia-a-dia, seja por problemas no trabalho, por excesso de desorganização ou simplesmente excesso de carga emocional.

Nesses casos, é bem comum que a pessoa esteja sempre em alerta, pois sempre se vê em uma condição de perigo iminente, o que nem sempre é verdade. Normalmente são pessoas que se apresentam de forma pessimista e ansiosa: sempre esperando que o pior chegue na próxima notícia.

Além disso, são pessoas impacientes e ansiosas, sendo muito comum que “descontem” o seu estresse em pessoas próximas, acreditando que essa condição é normal.

Por fim, os principais sintomas que destacam o estresse agudo episódico são:

  • Dores de cabeça persistentes;
  • Enxaqueca;
  • Pressão alta;
  • Dores no tórax e doenças cardíacas

Estresse crônico

Por fim, o estresse crônico acontece quando o estresse já se tornou parte essencial da rotina de uma pessoa. Ou seja, as reações e estímulos sentidos pela pessoa já estão naturalmente ligados às atividades do estresse, não indo embora em nenhum momento.

Nesse caso, é necessária a realização do tratamento médico adequado, pois o estresse crônico pode reverberar em outros problemas de saúde como a depressão, ansiedade e até mesmo problemas cardíacos.

Nesse sentido, há a utilização de medicamentos controlados (os famosos tarja preta) como a principal forma de tratamento para casos de estresse crônico. No entanto, boa parte destes medicamentos podem causar algum tipo de dependência e outros efeitos colaterais.

Além disso, por ser uma condição crônica, tal tratamento não deve ser interrompido.

Por isso, há casos em que o medicamento para de fazer efeito depois de um tempo, sendo necessário aumentar a dose (e por consequência os efeitos colaterais).

Como é o tratamento com remédio para estresse?

Como é o tratamento com remédio para estresse?

Para situações onde o estresse vem causando muitos danos mentais e físicos de um indivíduo, é necessário que se busque um tratamento ou um remédio para que os sintomas cessem ou sejam reduzidos.

Nesse sentido, medicamentos que atuam na melhora de hormônios responsáveis pela regulação do equilíbrio nas atividades cerebrais foram desenvolvidos pela medicina e pela indústria farmacêutica.

Remédio para estresse de origem farmacêutica

Nessa categoria de tratamentos e remédio para estresse, existem no Brasil dezenas de psicofármacos  para o tratamento de diversos transtornos.

O seu uso não deve ser feito de forma indiscriminada, devendo obrigatoriamente contar com uma orientação profissional e prescrição médica.

Estes medicamentos podem ser contraindicados para alguns pacientes com algumas condições pré-existentes ou até mesmo

  • História pessoal do paciente
  • Idade
  • Patologias físicas
  • Histórico de doenças
  • Resposta a usos anteriores.

Portanto, é bem comum o paciente experimentar mais de um remédio até encontrar aquele que aja da maneira desejada.

Outro contraponto é que por causa disso todos os remédios com a tarja psiquiátrica, psicofármacos ou psicotrópicos necessitam de receita médica.

Em contrapartida, nas farmácias também é possível encontrar os remédios manipulados, sendo estes livres de obrigação de prescrição médica, mas que ainda  merece cuidado.

Em outras palavras, estes são remédios que em suas fórmulas apresentam flores, ervas ou raízes, a fim de melhorar o funcionamento cerebral com produtos naturais.

Como tratar o estresse com calmantes naturais

O estresse pode ser tratado através dos calmantes naturais. A maior parte desses tratamentos é indicado quando o estresse não é generalizado ou se apresenta de forma momentânea.

Nesses casos, os calmantes naturais são utilizados em formatos de chás, sucos e xaropes à base de frutas, plantas e vegetais que tenham propriedades relaxantes, ansiolíticas e calmantes.

Os ingredientes mais comuns para esses chás, xaropes e sucos são as folhas de maracujá, a camomila, a valeriana, a erva-doce e o capim-limão. Todos estes ingredientes têm capacidades de acalmar a mente e o corpo, mesmo após um dia com muito estresse.

Como dissemos anteriormente, o tratamento de estresse à base de calmantes naturais não serve para todos os pacientes e níveis de estresse. Por isso, é importante saber quando essa estratégia está funcionando para você ou não.

Atividades cotidianas que funcionam como remédio para estresse

Além dos calmantes naturais, há algumas atividades que você pode utilizar no seu dia-a-dia e que terão efeito similar a um remédio para estresse.

Confira nos tópicos abaixo:

Faça atividades físicas

Você pode até não gostar, mas as atividades físicas são unanimidades quando falamos em tarefas para combater o estresse sem o uso de remédio.

Nesse sentido, é muito importante que as atividades físicas sejam feitas de maneira constante e não apenas no momento em que as crises de estresse chegam.

Quando você realiza uma atividade física a nível moderado, sem sentir dores e promovendo um bom fortalecimento muscular, o seu cérebro passa a produzir hormônios que estão ligados à sensação de bem estar.

O principal deles é a endorfina, que age de forma analgésica e quando é liberada, leva a pessoa a um estado de bom humor e alegria.

Dessa forma, o exercício físico age também como um remédio para o estresse, visto que causa a sensação contrária ao que costumamos ver nas crises de estresse.

As melhores atividades físicas para combater o estresse são:

  • Caminhada ao ar livre;
  • Pedalar;
  • Nadar;
  • Atividades aeróbicas.

Além disso, você pode colocar outras atividades no meio do seu cotidiano que permitirão uma diminuição no nível do seu estresse:

Socializar com outras pessoas

Algumas pessoas passam por crises de estresse por estarem sempre inseridas num só ambiente ou convivendo sempre com as mesmas pessoas.

Por isso, socializar é uma ótima estratégia! Procure atividades que te deem prazer – montar uma banda, participar de atividades na sua igreja ou ir a um grupo de forró pode trazer melhoras consideráveis na sua qualidade de vida.

Além disso, a socialização e a busca por novos hobbies fazem com que você pense menos no seu trabalho e nas atividades que trazem o estresse para a sua vida.

Saia com as pessoas que você gosta!

Outra atividade que faz muito bem e serve como um bom remédio para estresse é sair com as pessoas que você gosta.

Não importa para onde ou qual tipo de atividade você irá desenvolver, sair para um lugar ao ar livre ou que você possa conversar com estas pessoas pode fazer diferença na sua vida.

Se você não puder pagar por um ingresso no cinema ou por uma noite num barzinho, convide sua família ou seus amigos para ir caminhar ou fazer piquenique num parque.

Além de ser bastante revigorante com relação ao estresse, é provável que você tenha também uma melhora na forma com que lida com essas pessoas e como elas enxergam sua importância na vida delas.

Tenha bons hábitos de sono

Nem todo mundo consegue dormir da maneira correta e isso pode trazer efeitos negativos à saúde física e mental, acarretando num aumento do nível de estresse.

Por isso, manter hábitos adequados pode ser benéfico para que o estresse seja controlado. Tente dormir pelo menos 7 horas por dia, todos os dias e mantenha uma rotina controlada de sono.

Um dos maiores vilões quando falamos de estresse é o sono mal dormido – não ter um horário para dormir e acordar, por exemplo, pode fazer com que a duração do seu estado de alerta seja muito maior do que de fato é necessário.

Esteja de olho na sua saúde

Estar de olho na sua saúde física pode impactar diretamente na sua saúde mental. É importante que você construa um histórico de saúde por meio dos check-ups anuais para garantir que doenças não apareçam – ou que, caso apareçam, sejam tratadas de forma precoce.

Nesse sentido, consulte o seu médico regularmente e faça exames de forma periódica.

Canabidiol utilizado como remédio para estresse

Canabidiol utilizado como remédio para estresse.

Se você está em busca de um remédio para o estresse, você deve ficar atento a algumas alternativas que têm sido amplamente estudadas nos últimos anos.

Uma delas é o canabidiol (CBD), uma substância presente nas plantas do gênero cannabis.

Confira abaixo um pouco mais a respeito do tratamento para estresse utilizando o CBD.

O que é o canabidiol (CBD)?

O canabidiol é uma das centenas de substâncias ou compostos químicos que podem ser encontrados em plantas do gênero Cannabis.

Portanto, ao contrário do que o senso comum pensa, a Cannabis medicinal não está associada apenas à planta Cannabis sativa, usada para fins recreativos, mas a diversas outras plantas.

Nessas plantas existem mais de 400 substâncias químicas, sendo o CBD o mais utilizado de forma medicinal e terapêutica.

O canabidiol é um canabinoide, ou seja, um tipo de substância com capacidade de interagir com o sistema endocanabinoide do corpo humano.

Este sistema está ligado a diversos fatores como a regulação de processos químicos e fisiológicos do corpo humano. Destacam-se, por exemplo, a regulação de temperatura corporal, controle e relaxamento muscular, equilíbrio energético e metabolismo.

Quando há deficiências no sistema endocanabinoide, problemas de saúde podem se manifestar e, nesse sentido, a Cannabis medicinal por meio do canabidiol pode ser uma das principais soluções.

Quais os efeitos do canabidiol que atuam como remédio para estresse?

Conforme já estudado tanto no Brasil, quanto em diversas partes do mundo, o canabidiol tem se mostrado eficaz no tratamento de diversas doenças, distúrbios e transtornos mentais.

Nesse sentido, os estudos mais recentes apontam de forma contundente sobre as possibilidades de amenização das crises de estresse pois entregam resultados similares aos de antidepressivos e ansiolíticos.

Um exemplo de estudo sobre isso foi desenvolvido por pesquisadores norte-americanos, que visava avaliar sobre qual era o impacto do uso do canabidiol em condições psiquiátricas e médicas.

Conforme cita o estudo, o canabidiol é utilizado para diversas condições médicas e psiquiátricas que incluem: depressão, ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático, doenças inflamatórias, entre outras.

Como conclusão, a avaliação é que o canabidiol atua de forma relevante no combate de sintomas importantes dessas doenças e transtornos. Um dos principais fatores nesse sentido é a redução nos quadros de ansiedade, cuja redução pode chegar a até 66%.

Além disso, reduções nos distúrbios de sono também aparecem como uma importante característica positiva nos tratamentos com a utilização do canabidiol.

Outro estudo (de 2018, desenvolvido no Brasil), buscou promover a avaliação sobre como pacientes de casos de Transtorno de Estresse Pós-Traumáticos (TEPT) tiveram boas respostas ao tratamento com o uso de canabidiol.

Ao avaliar estudos tanto em humanos quanto em modelos que envolvem o uso de animais, os autores apontam sobre como o canabidiol é capaz de oferecer benefícios terapêuticos relacionados a distúrbios de estresse com memórias traumáticas.

O estudo demonstra ainda que os efeitos do CBD no processamento da memória traumática faz com que  haja uma melhor resposta em comparação a situações onde o tratamento não é realizado de nenhuma forma.

Além disso, salienta-se que o remédio para estresse à base do Canabidiol não apresenta tantos efeitos colaterais quanto a maioria dos medicamentos utilizados para tratar esse tipo de transtorno.

Por fim, há um apontamento de que o uso do canabidiol para o tratamento de estresse não apresenta aumentos no índice de ansiedade, mesmo quando aplicado em altas doses.

Nesse sentido, pode-se concluir, portanto, que o uso de CBD traz boas respostas em quadros de estresse agudo, sem que seja necessário enfrentar quadros e efeitos colaterais relevantes.

Dessa forma, o canabidiol tem sido buscado como uma alternativa aos tratamentos convencionais, ou como um complemento às terapias já utilizadas pelos pacientes.

O canabidiol é mais indicado como remédio para estresse que calmantes farmacêuticos?

Indicação do canabidiol como remédio para estresse.

O canabidiol não é mais nem menos indicado como remédio para estresse do que calmantes farmacêuticos.

Há casos e casos, que devem ser avaliados pelo profissional de saúde que faz o seu acompanhamento.

Há casos em que a utilização do canabidiol como remédio para estresse pode ser feita de forma complementar, não excluindo os medicamentos convencionais. Já em outros, o canabidiol pode ser administrado de maneira individualizada.

Em todos os casos, é necessário que a escolha dos tratamentos sejam escolhidos e feitos por meio do profissional médico, que será capaz de indicar e orientar sobre quais são os cuidados, efeitos colaterais e alternativas em quaisquer dos casos.

Como buscar tratamento com remédio à base de canabidiol para estresse?

Tratamento com remédio à base de canabidiol para estresse.

Se você está em busca do Canabidiol como remédio para estresse, é necessário saber algumas coisas muito importantes.

A utilização desse tipo de medicamento é legalmente autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), conforme a regulamentação RDC 660.

Este regimento aponta sobre a necessidade de consulta e prescrição médica para o tratamento à base de substâncias canabinoides (caso do CBD).

Para isso, o médico deverá constar em sua receita dados como o remédio a ser utilizado, dose a ser administrada, concentração de cada um dos componentes, (proporção de THC/CBD, por exemplo).

Entretanto, no Brasil menos de 1 por cento dos médicos já teve qualquer tipo de experiência com a prescrição do tratamento com substâncias canabinoides (para qualquer patologia, distúrbio ou transtorno).

Especialistas apontam que esse índice baixo tem a ver com o reduzido conhecimento sobre os benefícios na utilização da cannabis de forma complementar como tratamento para várias doenças.

Pensando nisso, o Portal Cannabis & Saúde criou uma plataforma exclusiva para solicitações de consultas com profissionais habilitados e experientes na abordagem terapêutica de canabinoides.

Nessa plataforma, você pode buscar médicos prescritores de Cannabis e filtrá-los com base em especialidade, cidade onde atuam, patologia, preço da consulta e até mesmo atendimento por planos de saúde.

Você pode fazer a sua consulta por meio de telemedicina ou atendimento presencial. Escolha a melhor forma de atendimento para você, clique aqui e agende já a sua consulta!

Conclusão

Remédio para estresse.

Como você pôde conferir ao longo desse artigo sobre remédio para estresse, há diversas formas de tratamento.

A opinião do profissional de saúde para a escolha do melhor tipo de tratamento deve levar em consideração fatores como o estilo de vida do paciente, o histórico com doenças e condições adjacentes e até mesmo a sua abertura com o auxílio psicológico e psiquiátrico.

Caso o paciente já tenha experimentado boa parte dos medicamentos convencionais existentes no mercado e não obteve os resultados que se esperava, considerar a Cannabis como uma alternativa complementar ao tratamento pode ser uma boa opção.

Como dissemos anteriormente, existem diversos estudos, comprovações e indícios de que a Cannabis por meio de suas substâncias é capaz de agir como um remédio para estresse e reduzir o nível do estresse e suas influências na qualidade de vida do paciente.

Por isso, se você é paciente e está em busca de um remédio para estresse eficaz, seguro e com baixo índice de efeitos colaterais, considere buscar um médico com experiência no tratamento canabinoide.

Além de ser um processo simples e legal, há boas chances de melhora nos quadros de estresse crônico, como você conferiu ao longo deste artigo.

Para encontrar um médico com experiência em tratamento canabinoide, clique aqui!

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Estudo: pessoas com enxaqueca podem se beneficiar com a Cannabis

Na Universidade do Arizona, nos EUA, uma equipe de pesquisadores revisou os resultados de estudos…

23 horas agora

Crianças podem usar óleo com altos índices de THC?

É imprescindível ter segurança para utilizar um canabinoide como medicamento, ainda mais quando o tratamento…

23 horas agora

Neurocirurgião fala sobre suas primeiras experiências com a Cannabis

Apesar de ser neurocirurgião, o médico Gustavo Valadão atende a todas as patologias neurológicas e…

1 dia agora

Cannabis marcou seu espaço na BIO Convention

Tratando temas regulatórios, pesquisas na área e a possibilidade de produtos à base de Cannabis…

1 dia agora

Suíça simplifica acesso de pacientes à Cannabis

O governo federal da Suíça retirou a necessidade de uma autorização especial para quem quer…

2 dias agora

Neurologista apoia o uso da Cannabis no tratamento da COVID longa

Em LIVE do portal Cannabis & Saúde, a médica Marcela Agostinho explicou as causas dos…

2 dias agora