Março, Mês de Consciência à Endometriose: Cannabis pode ajudar?

Sem Título-1

Março é mundialmente lembrado como o mês da conscientização para a endometriose, um distúrbio que acontece quando o tecido que reveste o útero cresce fora dele. Neste período, especialmente na semana internacional europeia e americana, de 4 a 11 de março, muitos países destacam o amarelo, cor da fita da endometriose.

O objetivo é lembrar sobre o diagnóstico e os cuidados com essa doença, que atinge quase 180 milhões de mulheres, praticamente a população inteira do Brasil.

Apesar da alta incidência, obter um diagnóstico leva em média de 7 a 9 anos, segundo este estudo de 2020. São mais de 4 anos até buscar ajuda médica, e outros 5 fazendo exames até constatar a patologia. Além das fortes dores, se não for tratada a tempo, a endometriose pode levar à infertilidade, além de problemas emocionais. 

Por isso a importância deste Março Amarelo, para que cada vez mais mulheres saibam diagnosticar a doença e iniciar um tratamento o quanto antes. Se amigos e familiares souberem aos sinais da doença, é possível descobrir cedo e a paciente receber um tratamento efetivo. 

O que é endometriose?

Endometriose é uma alteração do endométrio, a mucosa que envolve o útero. Durante a gravidez, é nele que o bebê se desenvolve. Por causas desconhecidas, ele sai de dentro do útero e vai para outras partes do sistema reprodutivo feminino e órgãos próximos.

Ela é identificada pela Classificação Internacional de Doenças (CID 10 – N80) e seus principais sintomas são dores na menstruação, em relações sexuais e até infertilidade. 

As causas exatas da endometriose ainda não foram totalmente esclarecidas pela ciência, mas uma das possíveis explicações seria o refluxo do sangue menstrual, que levaria o tecido a se desenvolver nas trompas e em outras partes do ovário.

Além das dores e da infertilidade, a endometriose pode causar os seguintes sintomas:

  • Dor pré-menstrual, que pode ocorrer entre uma e duas semanas antes da menstruação
  • Cansaço e fadiga
  • Diarreia
  • Sangramento na menstruação irregular e intenso
  • Problemas para engravidar e, em último caso, infertilidade
  • Dores fortes em relações sexuais (dispareunia)
  • Sangramentos urinários e intestinais ao longo da menstruação.

Neste artigo do Cannabis & Saúde, nós explicamos tudo sobre essa doença, como causas, fatores de risco, tipos de endometriose, como funcionam os exames e os tratamentos convencionais. Se você ainda não tem o diagnóstico e está em dúvidas, recomendamos que leia este artigo. A seguir, vamos explicar sobre um dos tratamentos que têm se mostrado mais promissor para esta condição: a Cannabis medicinal.

Dores e excesso de sangramento menstrual podem ser endometriose – Jornal O Paraná

Como a Cannabis pode ajudar no tratamento de endometriose

A cientista Adriana Grosso, especialista em Pesquisa Clínica, acompanha há anos a literatura científica sobre uma nova esperança contra a endometriose: os canabinoides. 

Estudos mostram que o sistema endocanabinoide, uma rede de receptores do corpo humano para os compostos da Cannabis, está associado ao controle dos hormônios do ciclo menstrual. Segundo Adriana, esses pesquisadores suspeitam que pode haver uma falha em partes do sistema endocanabinoide pelas pacientes. E aí o corpo entra em desequilíbrio, num estado inflamatório, com dores constantes.

Segundo Grosso, é fácil entender por que a Cannabis pode ajudar: o CBD já mostrou ser um poderoso anti-inflamatório. Há ainda outras descobertas recentes. Pesquisadores acreditam que os canabinoides podem bloquear a proliferação e migração celular. Ou seja, impedir que células do endométrio se multipliquem durante a menstruação e se prendam a outros órgãos. Eles também podem bloquear a síntese de substâncias pró-inflamatórias, modular a resposta imunológica e reduzir a dor.

“Existem médicos ginecologistas que já prescrevem CBD (com ou sem THC) para pacientes com endometriose. Esses médicos nos dão retorno e feedbacks de tratamentos (principalmente os que eu acompanho)”, explica Adriana Grosso.

“Por isso, já existem evidências clínicas e práticas de que esse tratamento tem sido eficaz”, completa.

Ginecologista referência global destaca a Cannabis contra endometriose

Em novembro de 2021, a ginecologista e obstetra norte-americana Dra. Genester Wilson-King, fundadora do renomado Victory Rejuvenation Center, falou sobre Cannabis e saúde da mulher para o público brasileiro. Foi durante o congresso online Medical Cannabis Summit. Na ocasião, a médica destacou, entre outros assuntos, o tratamento para endometriose.

“A segunda maior quantidade de receptores canabinoides é no sistema reprodutor feminino. Está no trato reprodutivo masculino, mas não é tão prevalente quanto nas mulheres. Algumas das descobertas da literatura que apoiam a eficácia da Cannabis.

“Mulheres com endometriose têm níveis mais baixos de receptores CB1 em seu tecido endometrial. Quando estimulado (pelos fitocanabinoides) fornece alívio da dor e anti inflamatório. O THC, como agonista CB1 e CB2,  levam a desaceleração do crescimento da endometriose.”

Confira aqui o resumo da participação da ginecologista no Medical Cannabis Summit. A médica falou sobre outras questões envolvendo Cannabis e saúde da mulher, mas também sobre tratamentos para o câncer, entre outros assuntos.

Pesquisas sobre Cannabis e endometriose

Neste estudo conduzido por cientistas do Joseph’s Hospital and Medical Center, em Phoenix (AZ), nos EUA, dos 240 participantes, 77 (32%) relataram ter experimentado Cannabis, com a maioria (67,5%) relatando que a planta foi muito ou moderadamente eficaz contra a endometriose.

Outro estudo, por seis cientistas australianos publicado no Journal of Obstetrics and Gynaecology do Canada chegou a um resultado parecido. Um total de 484 mulheres foram entrevistadas, sendo que apenas 13% relataram usar Cannabis para controle de sintomas. Porém, a eficácia autorrelatada por elas na redução da dor foi alta (7,6 de 10), com 56% também capazes de reduzir medicamentos farmacêuticos em pelo menos metade.

As mulheres relataram as maiores melhorias no sono e nas náuseas e vômitos. Os efeitos adversos foram infrequentes (10%) e menores.

Recentemente, também foi realizado um novo estudo para o tratamento da endometriose em camundongos por um professor da Universidade Pompeu Fabra de Barcelona, Espanha.

A equipe de pesquisa estudou camundongos com implantes endometriais na pelve para imitar a endometriose em humanos. Aqueles com os implantes eram mais sensíveis à dor na pelve, que também pode estar associada a alterações emocionais e cognitivas – semelhantes aos sintomas observados em algumas mulheres com endometriose.

Depois de tratar os camundongos com uma dose diária de 2 mg/kg de THC, por 28 dias, a sensibilidade à dor foi aliviada na pelve. No entanto, não teve efeito sobre a dor em outras áreas, mostrando que o tratamento era específico da dor causada pela endometriose.

Inscreva-se e participe da live sobre Endometriose

O mês de março é dedicado à conscientização sobre a endometriose, com o importante objetivo de alertar mulheres de todo o mundo sobre a doença.

O tema é importante para que, por meio de exames preventivos, seja possível evitar que a doença atinja sua forma grave que, em muitos casos, pode causar infertilidad ou até mesmo contribuir para o desenvolvimento do câncer de ovário. Além disso, também é indispensável estar atento aos sintomas para evitar o diagnóstico tardio, que pode levar até dez anos após os primeiros sintomas.

Pensando nesse cenário, iremos no dia 09/03/2022 às 19h a live com o tema Cannabis no tratamento da endometriose, com o Dr. Mário Grieco foi escolhido como um dos 20 líderes mais influentes da América Latina no campo da longevidade, pelo “Longevity Leaders International”.  Atua na pesquisa de doenças neurológicas, com o objetivo de melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas, tornando acessíveis as novas tecnologias de prevenção, diagnóstico e tratamento.

É Fellowship em Medicina da Família nos Estados Unidos. Pesquisa Clínica na Universidade de São Paulo (USP) e na Universidade da Flórida (EUA). Possui trabalhos publicados em revistas nacionais e internacionais. Ex-Presidente da Bristol-Myers Squibb (Brasil), Pfizer (EUA), Pharmacia-Upjohn (EUA), Monsanto (Brasil), Moksha8 (LA) e Cannabis Care (AL), além de ter vários livros publicados.

Participe e venha fazer suas perguntas diretamente para o médico. Inscreva-se aqui.

Presente para você que chegou até aqui

Você demonstrou bastante interesse em aprender mais sobre a Cannabis no tratamento da endometriose. Por isso, o portal Cannabis & Saúde disponibilizará agora gratuitamente o e-book “Endometriose e Cannabis Medicinal – Como o Tratamento Pode Auxiliar.

O texto foi elaborado com base nos artigos do médico pós-graduado em medicina interna pela Universidade da Flórida (EUA) Mario Griecco. Ele foi escolhido como um dos 20 líderes mais influentes da América Latina no campo da longevidade pelo “Longevity Leaders International”.

O médico atua na pesquisa de doenças neurológicas, com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas, tornando acessíveis as novas tecnologias de prevenção, diagnóstico e tratamento. Especialista em clínica médica, medicina do trabalho, medicina da família e medicina canabinoide, atende pacientes com diversas patologias, tais como: dor crônica, ansiedade, depressão, epilepsia, autismo, Parkinson, Alzheimer, esclerose múltipla, deficiência canabinoide, longevidade e muitas outras.

Baixar E-Book

Conteúdo

  • O que é endometriose
  • Principais causas
  • Tratamento da endometriose com Cannabis Medicinal
  • Caso Clínico
  • Referências Bibliográficas

Entenda como a cannabis pode tratar endometriose

Como iniciar o tratamento com Cannabis

Estão cada vez mais acessíveis os tratamentos com Cannabis medicinal no Brasil. Atualmente, as autorizações para importação levam menos de um dia para serem emitidas pela Anvisa, e menos de duas semanas para o produto chegar na casa do paciente. Além disso, a Anvisa também liberou a venda desses produtos em farmácias, e existem associações de pacientes.

No entanto, para todas as alternativas é obrigatório uma receita médica para o produto. Por isso, o primeiro passo é se consultar com um médico prescritor de terapias canabinoides. A boa notícia é que o portal Cannabis & Saúde possui uma plataforma de agendamento de consultas com mais de 150 profissionais cadastrados. Mais de 4 mil pacientes já iniciaram seus tratamentos através desta plataforma.

Neste link, você acessa a plataforma já com o filtro para os profissionais que tratam endometriose. Se você deseja tratamento para outra patologia, é só alterar na busca. Você também pode escolher a cidade do médico, a especialidade e até o valor que você pode pagar.

E boa sorte com o seu tratamento!

Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email