Destaques

O que todo dentista deve saber sobre Cannabis medicinal

A área de saúde é um dos segmentos que mais se desenvolve com o passar do tempo, enfrentando uma busca incessante por alternativas que posam oferecer melhores resultados e melhorar a qualidade de vida dos pacientes pelo mundo. Pensando nisso, preparamos este conteúdo falando um pouco mais sobre a cannabis medicinal nos tratamentos odontológicos.

Trata-se de uma tendência que vem ganhando um espaço importante entre os dentistas, especialmente por proporcionar benefícios que diversas medicações não conseguem, sem efeitos adversos graves quando usada corretamente e prescrita por um profissional capacitado para isso. Quer aprender mais sobre o assunto? Então, continue a sua leitura!

O que é Cannabis medicinal?

A cannabis medicinal, como você já deve ter ouvido falar, consiste na utilização de derivados da planta popularmente conhecida como maconha para aplicações específicas na área de saúde. Isso nada tem a ver com o uso recreativo, sendo apenas o emprego de substâncias com propriedades incríveis em prol do bem-estar de pessoas com os mais variados diagnósticos.

Em alguns locais do mundo, isso já é recorrente, por exemplo, para portadores de câncer que desejam se aliviar dos efeitos adversos da quimioterapia ou pacientes com mal de Alzheimer, que visam um melhor equilíbrio neuroquímico. Em diversos outros casos, a prescrição pode ser feita para pacientes com doenças como epilepsia, glaucoma ou mesmo em estado terminal.

A grande maioria das medicações que são produzidas a partir da maconha tem como principal substância o canabidiol (CBD) ou o tetrahidrocanabidiol (THC), que contam, sobretudo, com propriedades analgésicas e relaxantes. Vale lembrar que tais medicamentos só podem ser vendidos com prescrição e dentro de concentrações estabelecidas por lei.

Para compreender melhor o funcionamento da cannabis medicinal, você deve entender que seus componentes agem no chamado sistema endocanabinoide humano, de grande relevância biológica, envolvido em funções de memória, apetite, resposta ao estresse, imunidade, balanço energético, modulação de dor, regulação de sono e vigília muito mais.

Com o estímulo aos receptores do sistema endocanabinoide por meio dos derivados da cannabis medicinal, é possível se aproximar de um equilíbrio de uma série de processos fisiológicos no corpo, com pouco ou nenhum efeito colateral, uma vez que, quando os compostos são administrados terapeuticamente, tendem a ser muito bem tolerados.

Falando especificamente sobre o universo da odontologia, podemos citar o exemplo das desordens de ATM (Articulação Temporomandibula), que causam muito desconforto em seus portadores. O tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CBD) ativam os receptores endocanabinoides no cérebro e tecidos musculares, aliviando dores e sintomas associados.

Quais as possibilidades de tratamento?

Como você já pôde perceber, as possibilidades de tratamento que a cannabis medicinal oferece são imensas. Além disso, embora este ainda seja um assunto relativamente polêmico no Brasil e encare um olhar preconceituoso por parte da sociedade, o cenário já vem mudando bastante, principalmente por conta dos numerosos benefícios que pode proporcionar.

O estudo dos derivados da planta e seus efeitos na área de saúde já vêm ganhando espaço como um complemento às terapias tradicionais, demonstrando ser uma opção interessante para o tratamento de diversas doenças, algumas das quais muito graves e com seríssimas limitações e/ou efeitos colaterais em seus esquemas medicamentosos habituais.

A partir de janeiro de 2020, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que é o órgão regulador brasileiro sobre o tema, estabeleceu os parâmetros e procedimentos para a prescrição de produtos derivados de cannabis para o uso no país. Agora, médicos e dentistas podem requerer o direito de receitar medicamentos à base de maconha para seus pacientes.

Eles podem ser aplicados, por exemplo, para os distúrbios temporomandibulares, notadamente os relativos aos músculos da mandíbula, das articulações do local ou do tecido fibroso que os une. Muita gente experimenta dor de cabeça ou grandes sensibilidades na mastigação e fonação, ouvindo sons de estalos ou cliques bastante incômodos.

Muitas vezes, isso é decorrente de problemas anatômicos, mas a causa pode envolver tensão muscular, demonstrando um componente psicológico. Na terapêutica tradicional, seriam utilizados remédios ansiolíticos e fortes analgésicos, que são extremamente viciantes e que podem gerar certos efeitos colaterais muito indesejáveis.

Como isso, o CBD e THC podem ser um caminho importante, com eficácia comprovada na redução de níveis de estresse e ansiedade, ativando os receptores canabinoides da região, sendo uma opção também para diversas outras doenças bucais ou dentais. As doses prescritas não geram o perigo de dependência e overdose, que haveria com outros medicamentos.

Falando mais especificamente sobre o canabidiol, ele vem fazendo parte do arsenal terapêutico de muitos profissionais, uma vez que demonstra ações anti-inflamatórias, analgésicas, ansiolíticas e antimicrobianas, com potencial de uso em enfermidades comuns no segmento, como ansiedades odontológicas, gengivites, bruxismos, câncer oral e muito mais.

Quais as vantagens da cannabis medicinal?

Agora que você já sabe o que é cannabis medicinal e aprendeu um pouco mais sobre as possibilidades de tratamento, vamos explicar melhor alguns dos maiores benefícios que os derivados da planta podem proporcionar a partir de uma prescrição adequada. Confira abaixo alguns exemplos.

Melhor controle da dor

Um dos principais benefícios da cannabis medicinal para os pacientes odontológicos está no controle da dor. Afinal, trata-se de uma queixa extremamente comum na área, especialmente em indivíduos sensíveis ou quando os procedimentos a serem feitos são mais invasivos. Algumas pessoas, dependendo do caso, sequer conseguem realizá-los.

Diante desse contexto, é muito interessante perceber que alguns dos principais derivados da planta contam com um poderoso efeito analgésico e anti-inflamatório. Nossos nervos periféricos, envolvidos na detecção dolorosa, contam com receptores canabinoides. Por isso, podem ser afetados positivamente com o uso do canabidiol e do THC.

Recuperação tecidual

Muitos dos procedimentos realizados no consultório de odontologia envolvem incisões, enxertos ou tratamento de lesões crônicas. Afinal, a cavidade oral é extremamente sensível e, dependendo de fatores como genética, hábitos de vida e qualidade da higiene oral, podem sofrer uma série de problemas, muitos dos quais de difícil tratamento.

Dependendo da enfermidade a ser abordada, pode ser que o organismo necessidade recrutar células de defesa ou de reparação tecidual, mesmo no ambiente bucal. A cannabis medicinal pode ajudar nesse sentido, inclusive em recuperações demandadas por traumas. Por isso, os melhores profissionais do ramo não podem deixar de aprender sobre a medicina canabinoide.

Efeitos ansiolíticos

Não é novidade para ninguém que muita gente fica completamente apreensiva só de pensar em sentar na cadeira do dentista. Tal situação pode ser ainda mais grave quando o paciente é portador de outros problemas de ordem mental, como ansiedade, depressão e síndrome do pânico. Felizmente, a cannabis medicinal pode ajudar em todos esses casos.

A rotina estressante dos grandes centros urbanos e a pressão da vida profissional fizeram com que a venda de medicamentos ansiolíticos e antidepressivos disparasse, mesmo com seus numerosos efeitos colaterais. O canabidiol e o THC não costumam apresentar reações adversas, mas ajudam nesses problemas, promovendo relaxamento e mais tranquilidade.

Abordagem da gengivite

O sistema endocanabinoide tem uma ação importante na regulação dos processos inflamatórios, que são muito comuns em diversas situações da cavidade bucal do ser humano. Por isso, a cannabis medicinal surge como uma alternativa para fazer o controle de inflamações, como pode ser necessário na abordagem aos quadros de gengivite.

Aliás, por sua atividade nos tecidos duros, os derivados na planta também podem ser receitados no tratamento odontológico com implantes. Eles ajudarão na promoção da analgesia necessária ao pós-operatório, além de contribuir com a cicatrização das lesões intraorais. Tudo isso com pouca ou nenhuma reação adversa.

Redução de náuseas

O paciente odontológico apresenta enjoos e vômitos antes ou depois dos procedimentos? Sente náuseas por conta de outras condições associadas? Não tem problema: a cannabis medicinal também pode ajudar nesse sentido. Muitas vezes, pode ser uma questão psicossomática, mais relacionada com o cérebro do que com o estômago.

Como falamos, a ansiedade de simplesmente pisar no consultório do dentista ainda afeta muita gente e os derivados da maconha contam com componentes que podem atuar na regulação dessa sensação de mal estar, agindo nos receptores canabinoides. Tanto o THC quanto o canabidiol demonstram ações positivas nesse sentido.

Melhora gastrointestinal

Além de diminuir os eventuais sintomas de enjoos, náuseas e vômitos que poderiam surgir em alguns dos tratamentos odontológicos, a cannabis medicinal parece ter efeitos positivos no sistema gastrointestinal. Os incômodos na região podem ocorrer por razões multifatoriais, mas o fato é que precisam ser abordados para uma melhor qualidade de vida do paciente.

Um desconforto comum, por exemplo, pode ser advindo do uso de analgésicos e anti-inflamatórios comuns, que atacam as paredes do estômago. O mesmo pode ocorrer também pela simples conjuntura de medo, estresse e ansiedade. Os derivados da planta estimulação os receptores do sistema endocanabinoide, permitindo seguir sem maiores problemas.

Estimulante de apetite

O paciente do consultório odontológico fez algum procedimento mais complexo e precisou mexer na arcada dentária, fazendo com que a mastigação se tornasse algo de maior complexidade? Isso é muito comum em implantes, tratamentos de canal, gengivectomias, restaurações ou outras abordagens que possam gerar desconfortos na cavidade oral.

Mais uma vez, os derivados da planta podem ser de grande valia quanto prescritos adequadamente. Eles podem estimular o apetite, mas sem as reações adversas e com pouco ou nenhuma implicação psicoativa para o paciente, como seria no consumo de maconha recreativa. Mesmo em doses baixas, os benefícios podem ser significativos.

A Cannabis medicinal possui contraindicações e efeitos colaterais?

Ao longo do conteúdo, falamos bastante sobre as poucas possibilidades de reações adversas que a cannabis medicinal possui. Isso ocorre porque o seu uso só é permitido com a indicação especializada de um médico ou dentista prescritor, que estudou especificamente sobre o tema e sabe muito bem como manejar os derivados, de acordo com as demandas do paciente.

Com isso, já fica fácil perceber que se trata de uma opção séria e fundamentada em estudos, que nada tem a ver com o uso recreativo ou com intenções psicoativas. Como medicamento, a os derivados da planta contam com excelente padrão de segurança e confiabilidade, com raros efeitos colaterais, bem tolerados e, usualmente, facilmente administráveis.

Como a Cannabis medicinal pode ser utilizada na odontologia?

Como vimos, a cannabis medicinal possui muitos usos na medicina, ajudando pacientes com dores crônicas, tratamento de câncer, fibromialgia, ansiedade e muitas outras patologias. A Medicina canabinoide também vem se mostrando muito eficiente no combate de sintomas de doenças neurodegenerativas, como Parkinson, mal de Alzheimer e esclerose múltipla.

Na saúde oral, são muitos os casos nos quais os derivados da planta se mostram uma solução interessante e, por isso mesmo, já vem sendo usada em clínicas de muitos lugares do mundo, ajudando a combater processos inflamatórios nos tecidos duros e moles intraorais, além de agir positivamente na dor neuropática pós-implante ou de restaurações, por exemplo.

Os dentistas também vêm empregando a cannabis medicinal nos problemas da ATM, aliviando o intenso desconforto presente em artralgias temporomandibulares, bruxismos e síndromes miofasciais. Além da analgesia da dor, funciona como ansiolítico, anti-inflamatório, cicatrizante e contribuindo para a indução do sono.

Como fazer a prescrição da cannabis medicinal?

Embora o uso da cannabis medicinal venha crescendo muito no Brasil e no mundo, por conta dos seus inúmeros benefícios, muitos profissionais ainda não sabem como fazê-lo. O primeiro passo é estar cadastrado no Conselho, uma exigência legal para a prescrição. Além disso, é altamente recomendável fazer uma especialização em Medicina Canabinoide.

São passos fundamentais para saber como manejar os princípios ativos presentes da planta, personalizando a conduta para cada paciente, tendo em vista que é possível utilizar o canabidiol e o THC de forma isolada ou em conjunto, dependendo do caso. A compra só é permitida com receitas emitidas por especialistas, preenchendo o formulário da ANVISA.

Como você pôde ver ao longo do conteúdo, não faltam utilizações incríveis da cannabis medicinal nos tratamentos odontológicos. No entanto, para isso, é preciso que o profissional eleve seus conhecimentos sobre o assunto e esteja em sintonia com as demandas legais exigidas para a prescrição dos derivados!

Se você chegou até aqui, já sabe como funciona a cannabis medicinal nos tratamentos odontológicos. Ficou interessado? Então, não perca mais tempo: clique aqui e fale com um de nossos consultores para agendar um horário conosco!

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

“Nosso corpo está preparado para receber os fitocanabinoides”, diz urologista

Especialista em urologia e pós-graduado em medicina integrativa, o médico Ricardo Vieira Ferreira mudou sua…

3 dias agora

Hospital das Clínicas da USP lança seu primeiro curso de Medicina Canabinoide

Em formato de EAD, o curso tem como objetivo o domínio do conhecimento sobre produtos…

3 dias agora

Hypera, maior farmacêutica brasileira, entra no setor da Cannabis

Já é a segunda farmacêutica tradicional brasileira que busca ampliar o portfólio com produtos à…

4 dias agora

Evento discute o mercado e inovação da Cannabis medicinal no Brasil e mundo

We Need to Talk About Cannabis trouxe especialistas em diversas áreas para discutir o cenário…

4 dias agora

A norte-americana dra. Genester Wilson-King foi atração do último dia do Medical Cannabis Summit

Ginecologista, obstetra e especialista no gerenciamento da idade, Wilson-King explicou os benefícios da Cannabis para…

6 dias agora

Capoeirista que fraturou a perna em acidente volta a gingar com Cannabis

No Medical Cannabis Summit, ortopedista Dr. Jimmy falou sobre Cannabis na traumatologia, controle de dor…

7 dias agora