Ciência

Pesquisadores analisam o efeito da Cannabis medicinal em crianças

Estudo coletou e analisou informações de 500 jovens sob tratamento com Cannabis

É cada vez mais comum o uso de Cannabis medicinal em crianças com doenças refratárias, como epilepsia. Embora muitas mães e familiares atestem com a experiência os benefícios dos fitocanabinoides em enfermidades de difícil tratamento, ainda existem poucas pesquisas científicas que analisam os efeitos em grandes grupos de pacientes jovens por um longo período.

É o que buscou fazer um grupo de pesquisadores liderados pelo professor Ilan Matok, da Universidade Hebraica de Jerusalém. “Uma vez que a Cannabis medicinal não é amplamente reconhecida como uma droga aceita ou regulamentada, simplesmente não há estudos suficientes para saber se ela é apropriada para crianças“, afirmou.

Cannabis para crianças

A equipe analisou sete estudos clínicos envolvendo aproximadamente 500 pacientes jovens (menores de 18 anos). Apesar do número limitado de participantes, eles foram capazes de colher os efeitos positivos e negativos do uso de Cannabis medicinal na saúde mental e física das crianças.

Por exemplo, a equipe descobriu que o CBD (canabidiol) é eficaz na redução do número de convulsões graves em crianças, especialmente aquelas com epilepsia de difícil tratamento. No entanto, o CBD também suprime muito o apetite. Eles também descobriram que vários ingredientes da planta de Cannabis usados em tratamentos médicos afetam adversamente o estado mental das crianças, causando fadiga, apatia, tontura e letargia.

“As crianças não são pequenos adultos”, disse Matok. “A Cannabis medicinal afeta as crianças de forma diferente, e os médicos precisam prestar muita atenção a essas diferenças”. Do lado positivo, a Cannabis medicinal se mostrou muito útil para crianças em quimioterapia, reduzindo a gravidade das náuseas e vômitos que costumam acompanhar esse tratamento.

Mais estudos necessários

O estudo da Cannabis medicinal em crianças, no entanto, ainda engatinha. Isso porque, como a Cannabis não é registrada como medicamento, geralmente é prescrita para crianças de acordo com cada necessidade – o que limita as evidências clínicas.

“Enquanto a Pfizer e a Moderna conseguiram realizar ensaios clínicos para sua vacina COVID-19 em crianças, existem poucos ensaios clínicos de alto nível para o uso de Cannabis em crianças”, argumentou Matok. “O objetivo de nossa meta-análise é lançar luz sobre esta área e fornecer aos médicos e pais com uma visão mais informada do potencial da Cannabis para ajudar ou prejudicar seus pacientes jovens “, concluiu Matok.

O estudo completo será apresentado durante o 31º Simpósio Anual da Sociedade Internacional de Pesquisa de Canabinoides (ICRS), que começa ontem, 21, em Jerusalém. O anfitrião da conferência é o Centro Multidisciplinar de Pesquisa de Canabinoides (MCCR) da Universidade Hebraica de Jerusalém. Devido a pandemia,a  participação no simpósio é toda virtual.

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Agência Mundial Antidoping revisará proibição da maconha no atletismo

Uma nova análise sobre os efeitos da erva no desempenho dos atletas será realizada em…

18 horas agora

Empresas de Cannabis do Canadá só venderam 20% da produção

O restante da erva foi incinerada ou está apodrecendo estocada desde a legalização, em 2018,…

4 dias agora

Jardineiro preso ao levar Cannabis a paciente é solto após quase 3 anos

Márcio Pereira conversou com o Cannabis & Saúde sobre o período detido e garantiu que…

5 dias agora

Clínica especializada em Cannabis medicinal se expande pelo Brasil

Gravital vê a demanda cada vez maior de pacientes em busca dos benefícios medicinais da…

1 semana agora

Atleta Cannabis inaugura 1º coletivo canábico de corrida do Brasil

Objetivo é fomentar as comunidades de corrida de rua, trazendo esporte, Cannabis e qualidade de…

1 semana agora

Dia do Veterinário: LIVE abordou uso da Cannabis

Quatro profissionais que pesquisam e prescrevem canabinoides para animais de estimação responderam dúvidas de tutores…

1 semana agora