Destaques

A verdadeira razão pela qual a Amazon está apoiando a legalização da maconha

O movimento pró liberação da legalização da maconha é visto constantemente em diversos lugares do mundo, em especial nos Estados Unidos este movimento ganha cada vez mais força e apoio, não somente de políticos, artistas, celebridades, esportistas, pacientes, médicos, empresários, simpatizantes e agora de grandes empresas.

Na última semana a Amazon, uma das maiores corporações do globo terrestre declarou para a grande imprensa ser a favor da legalização da maconha a nível federal e que deixará de realizar testes da substância para alguns recrutamentos, disse Dave Clark, consumer boss, em um post de blog. E, quando um fato inédito como esse acontece, as pessoas param para entender o que realmente aconteceu.

Continue lendo esta matéria que tem a curadoria de conteúdo, tradução e edição do Portal Cannabis & Saúde, com informações do site Cannabis.net por Thom Baccus.

O que está por trás do anúncio da Amazon

Como muitos devem ter pensado que o big boss da empresa, Jeff Bezos e todos os seus executivos já estão pensando no exponencial mercado de Cannabis e se preparando para vender e realizar entregas de maconha.  Segundo a matéria de Baccus, não seria bem por aí.

Segundo o jornalista, embora a Amazon possa algum dia ser capaz de vender e enviar produtos com THC, ainda não se está nem perto dessa ideia em relação à legalização e às leis estaduais. Lembre-se, a Amazon tem o governo federal dos Estados Unidos, 50 governos estaduais e cerca de 120 governos em outros países para se preocupar e aplacar antes que eles comecem a transportar a planta e seus derivados por meio marítimo por toda a América do Norte.

Depois do jornalista ligar para suas fontes na Amazon e conversar com vários parceiros da empresa, qual é a verdadeira razão para o novo apoia a legalização pela Amazon?

Não é um benevolente ou maléfico, como você pode pensar. Trata-se de conseguir trabalhadores em seus armazéns.

Amazon não está conseguindo recrutar empregados?

A Amazon, como a maioria das empresas nos Estados Unidos, está tendo muita dificuldade para conseguir que as pessoas voltem ao trabalho e no nível salarial de 16 a 18 dólares por hora, e muitas estações da Amazon estão mudando para o “megaciclo” onde os trabalhadores dos armazéns trabalham das 23h às 7h, eles não estão encontrando quem aceite essa oferta de trabalho.

Recentemente, a Amazon anunciou um aumento de US$ 1 bilhão no salário dos trabalhadores e na criação de empregos. Isto não foi feito por nenhuma razão benevolente pela Amazon, foi feito porque eles não conseguiam obter trabalhadores em seus níveis salariais atuais. O salário mínimo no armazém da Amazon subiu de 10% para mais de 30% a fim de tentar atrair trabalhadores. Isto não inclui nem mesmo os novos $1.000 e $1.500 bônus de contratação que a Amazon está oferecendo aos trabalhadores do depósito, a fim de tentar preencher suas vagas.

O que isso tem a ver com a legalização da maconha nos EUA?

A Amazon tem uma política de testes de drogas que inclui a maconha. No entanto percebe que eles podem expandir muito seu grupo de trabalhadores qualificados nesse nível salarial se pararem de testar maconha ou Cannabis utilizada em tratamentos, se legalizarem a nível federal.

Enquanto o comunicado de imprensa diz que eles vão parar de testar para non-DOT positions, que inclui a dos motoristas, eles percebem que, como muitos escritórios governamentais, se você eliminar todos que não podem passar no teste de drogas de maconha, você elimina muitos funcionários potenciais. Isto é especialmente relevante em grandes estados americanos que já legalizaram a maconha como Califórnia, Colorado, e agora a Flórida.

Segundo o jornalista, ele pode garantir que a Amazon recentemente descobriu um grande aumento na quantidade de funcionários que estão sendo reprovados no teste de maconha  a cada mês, digamos 10.000 por diversão, e percebeu que se eles não tivessem a política de testes de maconha, mais 10.000 pessoas poderiam ser capazes de preencher seus turnos de coleta e embalagem da meia-noite às 7 da manhã.

A Amazon quer vender Cannabis e enviá-la um dia?

Absolutamente, eles já estão trabalhando com recargas de medicamentos prescritos para uma área de testes cada vez maior, mas esse não é o objetivo principal com o apoio à legalização da maconha agora, mas sim expandir seu pool de trabalhadores qualificados em US$ 15 a US$ 17 por hora.

O FBI e a CIA enfrentaram problemas semelhantes e discutiram isso, especialmente em torno do recrutamento de programas de computador e “hackers”, uma vez que a grande maioria dessa comunidade seria incapaz de passar em um teste de drogas para maconha.

A Semana Amazon Prime ocorre de 21 a 22 de junho deste ano. Prepare-se, porque quando você vender alguns bilhões de dólares de itens em 48 horas, alguém precisa embalar e enviar todos esses pacotes para sua casa.

Redação Cannabis & Saúde

Postagens recentes

Luxemburgo é o primeiro país da Europa a legalizar cultivo de maconha

Governo do país de 630 mil habitantes vai permitir adultos possam cultivar até quatro plantas…

17 horas agora

Justiça determina que ONG Flor da Vida volte a funcionar em SP

Associação continuará fornecendo remédios à base de Cannabis na desobediência civil até decisão final do…

2 dias agora

Lançada Frente Parlamentar da Cannabis em SP

Primeira meta do grupo é aprovar o PL 1180/19, que prevê fornecimento gratuito de derivados…

2 dias agora

“Meu pai só está vivo por causa da Cannabis”, diz médica prescritora

Especialista em ginecologia e obstetrícia, a médica Andrea Martins De Oliveira descobriu os benefícios da…

3 dias agora

Deputados de SP lançam frente em defesa da Cannabis medicinal

Formada por 21 deputados de 12 partidos, a frente será lançada nesta quarta-feira na Assembleia…

4 dias agora

Dia do Médico: os profissionais pioneiros na Cannabis no Brasil

Cannabis & Saúde lembra alguns dos primeiros profissionais a enfrentar preconceito e proibicação para garantir…

5 dias agora